Logística/Sistemas de informação/Rastreabilidade

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Figura 1. Exemplo de auxiliar de rastreabilidade, neste caso o código de barras GS1-128

A rastreabilidade é a capacidade de traçar a história, aplicação ou localização de um determinado produto ou produtos através de identificação (Figura 1). No que diz respeito a produtos, pode identificar a origem dos materiais ou componentes, a história de produção do produto ou ainda a distribuição e localização do produto depois de pronto (Olsen, 2009).<br.>

O significado da palavra rastreabilidade não está presente no dicionário da língua portuguesa, uma vez que é uma palavra composta pelo verbo rastrear, que tem por significado «seguir o rasto ou a pista de, investigar, inquirir, indagar» e pelo substantivo feminino habilidade, que tem por significado «qualidade de hábil» (Rodrigues, 2007, p. 16).

A mundialização dos mercados comerciais veio criar uma grande dificuldade na identificação da origem das matérias-primas e das condições em que a produção dos alimentos é realizada, tornando-se a rastreabilidade num instrumento fundamental. Esta indicação permite definir a responsabilidade de cada um dos intervenientes na produção e ainda, no caso de surgir um problema de saúde pública, identificar todo o lote contaminado e, se necessário, retirá-lo do mercado. Consequentemente, é possível uma intervenção rápida por parte das autoridades competentes (SOS, [2010]).

Os parceiros comerciais vêem-se obrigados a estabelecer a rastreabilidade, quer pela qualidade, quer pela legislação de um sector específico, o que faz com que seja de extrema importância nas indústrias. Antes de se implementar um sistema de rastreabilidade, deve-se ter em conta um aspecto muito importante que é a selecção do método de identificação. Para que um sistema seja eficiente, deve poder adaptar a rastreabilidade sem restrições, ou seja, deve ser independente do método de identificação (RQ LABELS, [200?]).

A rastreabilidade é identificação, este é um ponto que deve ficar esclarecido. O sistema de rastreabilidade deve ser obrigatoriamente configurado para que se realize um registo sobre todas as operações possíveis de alterar factores de qualidade de um produto.

Um bom sistema de rastreabilidade deve ter algumas características fundamentais, tais como:

  • Flexibilidade: A implantação do sistema numa indústria pode-se tornar complicado pois cada empresa tem um método de trabalho diferente e máquinas diferentes. Apenas se consegue flexibilidade através de componentes modulares.
  • Fácil manuseamento: Deve haver a capacidade para se conseguir um fácil manuseamento do sistema na indústria, com terminais que facilitem as instruções técnicas ao funcionário e nos escritórios deve existir um sistema de configuração e consulta simples.
  • Nível de rastreabilidade facilmente configurável: O nível de rastreabilidade (fixo pela empresa) contribui com valor acrescentado para o produto, mas deve ser aplicado ao menor custo possível. Os processos e passos necessários para rastrear devem ser definidos pelos sistemas, uma vez que cabe à empresa fixar um nível de rastreabilidade equilibrado.
  • Ser uma potente ferramenta de gestão: O sistema de rastreabilidade deve ajudar na tomada de decisões e na optimização de recursos.
  • Capacidade de consulta de dados por parte dos clientes: Concluído e rastreado o processo produtivo, o cliente tem que conhecer os dados do produto que vai adquirir. Torna-se então fundamental que o sistema tenha um método para proporcionar tais dados. Existindo maior segurança e fidelização por parte do cliente, o produto adquire um valor acrescentado.

A rastreabilidade não garante a segurança alimentar, no entanto, a clareza perceptível e necessária para medidas de controlo eficazes é uma mais-valia que pode e deve ser utilizada pelos vários intervenientes no processo. Permite um maior controlo da rotulagem, de forma a gerar valor acrescentado, e aumenta a confiança dos consumidores (Fontes, 2004, p. 43).

Etapas de desenvolvimento - 9 fases
Início: 0de8.svg Básico: 1de8.svg Criação: 2de8.svg Desenvolvimento: 3de8.svg Maturação: 4de8.svg Revisão: 5de8.svg Desenvolvido: 6de8.svg Finalização: 7de8.svg Abrangente: 8de8.svg
  1. 2de8.svg Rastreabilidade e tecnologias da informação
  2. 7de8.svg Unidades de expedição
  3. 2de8.svg Processo de rastreabilidade GS1
  4. 2de8.svg Sistema de rastreabilidade no sector alimentar
    1. 7de8.svg Características fundamentais
    2. 2de8.svg Rastreabilidade e qualidade alimentar
    3. 2de8.svg Autenticidade
    4. 2de8.svg Melhorar a cadeia de abastecimento