Piratas/História dos Piratas

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Piratas Primitivos[editar | editar código-fonte]

Pyle pirate murder.jpg

Os oceanos foram uma grande ajuda para o comércio, pois o comércio marítimo, era rápido e fácil, ao contrário do comércio terrestre. Por isso, os comerciantes preferiam as vias marítimas. Como a mercadoria passou a ser entregue por via marítima, por comerciantes que seguiam junto à costa e sem bússolas, os primeiros piratas começaram a atacar embarcações. A primeira atividade pirata registrada data do início do séc. VII a.C., no mar Egeu. Nesta época, o rei assírio Sennacherib tentou expulsar alguns piratas da foz do Golfo Pérsico. Alexandre, o Grande, tentou, embora sem êxito, expulsar de todo o mar Mediterrâneo, os piratas. No ano 67 a.C., Pompeu, general romano, mandou milhares de homens exterminar os piratas, e até conseguiram exterminar um grande número deles, embora no séc. I d.C., o imperador Trajano ainda tentava arranjar planos para se livrar dos piratas. À medida que o crescimento econômico europeu ia aumentando, com ele aumentava também, o número de piratas.

Era Dourada da Pirataria[editar | editar código-fonte]

Esta era estende-se desde 1660 até 1730, devido à comercialização de mercadoria via marítima, entre vários locais. Desde as riquezas do Novo Mundo, que eram transportadas em caravelas comandadas por portugueses ou espanhóis do Brasil à Península Ibérica, até à mercadoria transportada no mar das Caraíbas. Alguns piratas ficaram com o seu nome na história, tal como Edward Teach, mais conhecido por Barba Negra. Mas, a pirataria não era só um problema europeu e americano: as embarcações de Xangai até Singapura, de Vietname ao Japão e à China, e até as embarcações não muçulmanas da costa norte de África eram alvos de Corso*. Enquanto os mapas se tornavam cada vez mais disponíveis, a atividade pirata aumentava. A pirataria continua nos dias de hoje e, embora já muito reduzida, é um problema internacional.

* Corso - Sinônimo de Pirataria Corso é uma forma de ataque à navios ou cidades costeiras onde o comandante do ataque, apesar de ter uma certa autonomia, obedece comando de uma nação, diferente da pirataria que não obedecia nenhum comando e atacava qualquer um.


Nuvola apps kworldclock.png

Esta página é um esboço de História. Ampliando-a você ajudará a melhorar o Wikilivros.


BlankMap-Caribbean.png
[Portugal]
Caraíbas

[Brasil]
Caribe
Atenção! Apenas os locais a Negro pertencem às Caraíbas!
Sabia Que....png

No ano 331 a.C., Alexandre, o Grande ordenou a expulsão dos piratas do mar Egeu, e perguntou a um deles qual a razão pela qual estes tornavam os mares inseguros. O pirata respondeu-lhe: "A mesma razão pela qual vós fazeis estremecer o mundo inteiro. Mas como eu faço o que faço num pequeno navio, eu sou chamado pirata. Como vós fazeis o que fazeis com uma grande armada, vós sois chamado de imperador."