Português/Período composto/Orações subordinadas

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No período composto por subordinação, há oração principal (subordinante) e oração(ões) subordinada(s). A oração principal é um termo que depende de sentença que possui verbo, sendo sua estrutura sintática quase completa, necessitando da complementação, que pode ser de substantivo, adjetivo ou advérbio. Pelo fato de o termo complementar ter verbo, será uma oração, e justamente pelo fato de complementar, são dependentes, são subordinados.

Morfossíntaxe[editar | editar código-fonte]

As orações subordinadas, bem diferentes das coordenadas, possuem uma formação.

Orações infixas[editar | editar código-fonte]

Quando ocorre a transformação do período (característica comum das orações subordinadas substantivas e adjetivas), ocorre a transmutação do núcleo do termo, de substantivo, adjetivo ou advérbio, para verbo. Veja (o termo/sentença está sublinhado e o núcleo em negrito):

  • Período simples: Eu percebi o nosso erro. (termo= objeto direto; núcleo= substantivo)
  • Período composto: Eu percebi o que erramos. (sentença= oração objetiva direta; núcleo= verbo)

Ocorreu a transformação de período simples para composto, e a transmutação de núcleo do termo, de substantivo (erro) para verbo (erramos). Sendo o termo no período simples o objeto direto (o nosso erro), no período composto será uma oração objetiva direta (o que erramos), e por seu núcleo transmutado ser um substantivo, é substantiva objetiva direta. Este foi um caso clássico de oração. Estas orações recebem a classificação morfossintática de infixas, justamente por apresentarem mais de uma forma. Mas há exceções: nem todas as orações são infixas.

Orações fixas[editar | editar código-fonte]

As orações fixas ocorrem quando não há nem palavra primitiva e derivada (radical) do núcleo do termo que seja verbo. O substantivo erro possui o radical err, e o verbo errar. Ao tratarmos de advérbio, é difícil de encontrar o radical com verbo. Exemplo:

Certamente este será um grande desafio.

Não há verbo com o mesmo radical do advérbio certamente, logo, é impossível haver a transformação de períodos, pois não teríamos a transmutação do núcleo do termo.

Funções[editar | editar código-fonte]

As orações subordinadas podem possuir várias funções, bem diferentes das orações coordenadas. Podem restringir e específicar qualidades, explicar, ter função de advérbio e denotar causa e fatos futuros, procedentes, além de poder ter função de termo acessório (mas não ser um termo acessório), termo integrante (mas não ser um termo integrante) e termo essencial (mas não ser um termo essencial):

  • As orações que são subordinadas exercem relação sintática à principal - Função qualificativa
  • Não durmi, até que chegou a noite e adormeci - Função adverbial
  • São todas sindéticas porque possuem sindeto, que é a conjunção - Função causal e qualificativa
  • Fizeram tudo que nem perceberam que a chuva cessara - Denota consequência e termo integrante
Observações: Tanto as orações fixas quanto as infixas possuem função.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Crystal Clear app xmag.png Ver módulo principal: Classificação das orações subordinadas

As orações subordinadas infixas são classificadas de acordo com o termo e o núcleo deste termo transmutados. Já as orações fixas são classificas de acordo com sua função. É fácil de identificá-las, pois cada uma acontece em casos diferentes, com conjunções diferentes e diferentes estruras sintáticas. Nas páginas de cada tipo de oração, você encontrará estas informações.