Logística/Movimentação de materiais/Equipamento/Equipamento de armazenagem/Equipamento de armazenagem de pequenas cargas/Equipamento stock-to-operator

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Etapas de desenvolvimento - 9 fases
Início: 0de8.svg Básico: 1de8.svg Criação: 2de8.svg Desenvolvimento: 3de8.svg Maturação: 4de8.svg Revisão: 5de8.svg Desenvolvido: 6de8.svg Finalização: 7de8.svg Abrangente: 8de8.svg

A pergunta que responde à diferença entre os equipamentos do sistema stock-to-operator e operator-to-stock é: É o técnico logístico que se movimenta para a localização onde estão as existências, ou são as existências que se movimentam até ao técnico logístico? Quando as existências se movimenta até ao técnico logístico, o equipamento é classificado como stock-to-operator. Nos equipamentos stock-to-operator, o tempo de percurso de realização de todas as ordens de picking é transferido do técnico logístico para um equipamento que traz as localizações até ao técnico logístico. A componente de tempo de procura relativa às ordens de picking também é significativamente reduzida dado que a localização correcta é automaticamente fornecida ao operador.

Em sistemas bem concebidos, o resultado tem um grande impacto na produtividade. Nos sistemas que não são tão eficazes, as melhorias podem ser irrelevantes se o técnico logístico tiver de aguardar até o dispositivo apresentar as existências.

Os dois tipos de equipamentos mais populares de stock-to-operator são os carrosséis e as máquinas de armazenagem automática para pequenas cargas. Mais caros, mas mais produtivos são os os dispensadores automáticos. Cada tipo de equipamento é descrito a seguir (Tompkins et al., 2003, p. 271).

  1. 2de8.svg Carrosséis
  2. 2de8.svg Máquina de armazenagem automática para pequenas cargas
  3. 2de8.svg Armazenagem vertical de alta densidade
  4. 2de8.svg Dispensador automático