Suazilândia/Cultura

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ir para o capítulo anterior: História Suazilândia Ir para o próximo capítulo: Economia

As línguas oficiais da Suazilândia são o inglês e o suazi. O Cristianismo é a religião predominante, com a presença tanto de católicos como protestantes. Porém os cultos de origem africana também são seguidos por uma parcela significativa da população, geralmente sincretizados com as práticas cristãs. Dentro da prática religiosa tradicional africana, tem grande peso o culto aos antepassados. A poligamia é outro traço característico da cultura suazi.

Tradicionais casas suazis
Típica cabana suazi

Após um período em declínio, as práticas tradicionais da cultura suazi começaram a ser retomadas, como forma de combate à propagação da AIDS. Como exemplo, podem ser citados :

  • os terrenos Indlunkhulu, que são terrenos agrícolas cuja produção é destinada à alimentação das pessoas necessitadas, como por exemplo as crianças órfãs cujos pais morreram por causa da AIDS;
  • os centros sociais KaGogo (literalmente, "casa da avó"), que são lugares tradicionalmente usados como local de discussão de temas relativos à comunidade. Atualmente, estes lugares estão sendo aproveitados como locais de discussão sobre formas de combater a propagação da AIDS;
  • tradicionalmente, a população suazi é dividida em regimentos segundo a idade, o gênero e o estado marital. Tais divisões tinham função militar e de fortalecimento dos laços de solidariedade. As campanhas de esclarecimentos da população sobre a AIDS estão procurando se utilizar dessa estrutura para disseminar as informações sobre o combate à doença;
  • o rito do umchwasho, que prescreve um período de abstinência sexual para as mulheres solteiras. Este rito foi revivido entre 2001 e 2005 por ordem do Rei Mswati III, como forma de frear a propagação da AIDS no país. Durante o período de umchwasho, a pessoa que violar a regra fica obrigada ao pagamento de um boi. As mulheres solteiras abaixo dos dezoito anos de idade são obrigadas a usar um lenço azul e amarelo de lã ao redor do pescoço e não podem ter contato físico com homens. As solteiras maiores de dezoito são obrigadas a usar um lenço vermelho e preto e podem ter contato físico, mas não sexual, com os homens[1].
Umhlanga, a tradicional festa anual que reúne as mulheres solteiras suazis. Durante a cerimônia, as mulheres reúnem canas que serão usadas para a construção e a reparação da residência da mãe do rei. Ao mesmo tempo, se oferecem como noivas para o rei.
Suazilandesas carregando canas durante a festividade típica de Umhlanga
Princesa Sikhanyiso Dlamini, filha da primeira esposa do Rei Mswati III, durante a festividade de Umhlanga. Ela porta uma miniatura de um tradicional escudo suazi.
Turistas observando o Umhlanga

Outra festa tradicional suazi é o incwala, que comemora o ano-novo e a colheita agrícola, em dezembro. Durante a festa, o rei dá aos súditos o direito de consumir os produtos da colheita.

A capital administrativa é Mbabane, mas a corte real e o parlamento se localizam em Lobamba. A maior cidade é Manzini[2].

Centro de Mbabane
Mbabane
Mbabane

Referências