Logística/Técnicas de previsão/Análise conjunta

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A análise conjunta é um método baseado numa pesquisa, realizada por gestores, tendo em conta a perspectiva do cliente. Tem como objectivo auxiliar na tomada de decisões relativamente à criação de um novo produto e é, especialmente, utilizada na área do marketing, com o objectivo de quantificar a atitude dos clientes quando têm várias alternativas disponíveis no mercado (Wittink et al., 2001, p. 147).

Esta metodologia envolve a elaboração das questões e administração e análise das respostas, de modo a identificar quais as características que fariam o público-alvo optar por determinado produto em detrimento de um outro, como, por exemplo, o preço, os benefícios ou as características de determinado produto (Armstrong, 2001, p. 145).

Uma vez obtidos os dados relevantes a uma pesquisa, os investigadores conseguem ter uma visão geral sobre as preferências do consumidor. Estas são fundamentais para que os investigadores explorem o potencial do mercado para um novo produto, antes de tomarem qualquer decisão. No entanto, estas previsões dependem de vários factores, entre os quais a disponibilidade dos produtos que estão incluídos num cenário de mercado para cada cliente e a percepção do cliente relativamente a estes produtos (Wittink et al., 2001, p. 147-148).

É de notar que a complexidade prática envolvida nesta técnica torna difícil a obtenção de conjuntos de resultados fiáveis, por parte dos investigadores (Wittink et al., 2001, p. 147).

A análise conjunta teve origem na psicologia matemática, na qual os investigadores estavam interessados em determinar as condições em que poderiam obter hard output a partir de soft input. Quando este método começa a ser utilizado por empresas, pretendia-se determinar a importância dos atributos e o preço dos produtos. Posteriormente, foi usado para simular as preferências dos clientes e prever respostas do mercado relativamente a mudanças nos produtos da empresa ou das concorrentes (Armstrong, 2001, p. 145-146).