Logística/Manutenção de instalações/Estrutura organizacional/Manutenção preventiva

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


A manutenção preventiva é realizada com o objectivo de reduzir e evitar a ocorrência de avarias. É portanto, considerada um investimento futuro pois actua antes dos problemas ocorrerem. A sua intervenção é feita com base em intervalos de tempo predeterminados ou de acordo com critérios prescritos com o objectivo de manter a probabilidade de avaria de um equipamento ou instalação (Cabral, 1998, p. 21, 55).

Existem dois tipos de manutenção preventiva:

  • Preventiva sistemática: é executada de acordo com um padrão de intervalos fixos de tempo de vida. Ou seja, de tempos a tempos é substituído um componente ou equipamento, independentemente de este se manifestar em bom funcionamento. Rotinas de inspecção e de lubrificação são exemplos de trabalhos de manutenção preventiva sistemática.
  • Preventiva condicional: recorre a meios de vigilância sistemáticos para determinar qual é a oportunidade certa para intervir em determinado componente para evitar que ele falhe. Ou seja, a manutenção só actua no equipamento quando este tiver indícios de mau funcionamento. Análises de óleos é um exemplo de trabalho de manutenção preventiva condicional (Cabral, 2004, p. 55-57).

A manutenção preventiva é adoptada em sistemas complexos ou de operação contínua, quando não é possível aplicar a manutenção predictiva. Tal como a manutenção predictiva, obedece a um plano previamente elaborado, com intervalos de tempo definidos e actua em equipamentos ou estruturas bem definidas e identificadas, tendo em conta a segurança do pessoal e da instalação, equipamentos críticos e os riscos de agressão ao meio ambiente (Silva, 2004, p. 31).

É também da responsabilidade da manutenção preventiva as inspecções e as actividades de manutenção regular, como lubrificação, limpeza de linhas e mudança de filtros, que são planeadas a fim de evitar falhas súbitas de equipamentos e garantir o funcionamento do equipamento dentro dos limites de especificidade (Niebel, 1994, p. 146).