Logística/Gestão de existências/Controlo de existências

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As unidades em stock devem ser classificadas em categorias de forma a reduzir as existências. A complexidade do inventário requer que sejam aplicados procedimentos para a gerir e dividir os stocks em categorias. É inevitável que o tipo de controlo de existências seleccionado terá um impacto em toda a organização da empresa (Tersine, 1988, p. 501).

O ponto de partida no desenvolvimento de um sistema de controlo é uma análise de objectivos do sistema destinado. Este procedimento permite perceber quais são as actividades críticas nas operações em que o controlo pode ser mais eficiente.

É determinante que o mecanismo satisfaça o serviço e os objectivos operacionais no mínimo custo possível. Por esta razão é da responsabilidade da gestão de topo seleccionar o sistema de controlo e estabelecer níveis de stocks agregados.

Um sistema de operações deve indicar como as situações devem ser tratadas através de regras pré-determinadas e de procedimentos.

A análise de custos é a base da política de gestão de stocks. Esta análise terá de ser racional e emotiva. Apesar da sua exactidão o uso de técnicas matemáticas avançadas não resultará necessariamente num sistema efectivo.

Existem vários tipos de sistemas de controlo de existências. É difícil classifica-los de forma ordenada e separa-los das características que os definem.


Sistemas de controlo:


Sistema de procura independente

  • Sistemas permanentes
  • Sistemas de dois compartimentos
  • Sistema periódico
  • Sistema de reabastecimento opcional
  • Sistemas de planeamento de distribuição
  • Sistema de ordem de quantidade única


Sistemas de procura dependente

  • Sistemas de planeamento de distribuição
  • Sistema de ordem de quantidade única
  • Sistemas de planeamento das necessidades dos materiais
  • Sistemas just-in-time

Os sistemas permanentes e os de dois compartimentos são os dois sistemas que tem quantidade fixa de encomenda. O sistema periódico e o sistema opcional de reabastecimento são ambos sistemas de ordens fixas de encomenda. O planeamento das necessidades dos materiais e os sistemas just-in-time são derivadas dos sistemas de quantidade de ordem para ambientes de produção. Os sistemas baseados na quantidade são verificados