Línguas do Mundo/Esperanto

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Qual o sistema de escrita usado nessa língua?[editar | editar código-fonte]

Esperanto usa o alfabeto latino, como em português com algumas diferenças. Essa língua não tem as letras q, w, x, and y, mas tem outras como ĉ, ĝ, ĥ, ĵ, ŝ e ŭ.

Segue abaixo uma boa explicação: *[1]

• Toda palavra se lê como está escrita;
• Cada letra tem um único som e a cada som corresponde uma única letra;
• Não há letras mudas ou mortas;
• Cada vogal faz parte de uma única sílaba;
• Toda palavra com mais de uma sílaba (e que não seja apostrofada) é paroxítona, ou seja, a penúltima sílaba é a mais forte.
• O acento circunflexo que colocamos no "o" final de cada palavra é só para lembrar que não se deve pronunciá-lo como "u".

Tabela de letras e sons[editar | editar código-fonte]

Alfabeto Pronúncia
a como a alfabeto
b como b
c como tsô pizza
ĉ como tchô atchim
d como dô dedo
e como ê mesa
f como fô garfo
g como gô fogo
ĥ como rrô (espanhol o j) mujer
i como i igual
j como iô i breve
ĵ jô jornal
k kô soco
l lô lobo
m mô morro
n n novo
o ô orelha
p pô povo
r rô ouro
s s soma
ŝ chô cacho
t tô tolo
u u uva
ŭ uô Europa
v vô vovô
z zô zona


Quantas pessoas falam essa língua?[editar | editar código-fonte]

A resposta é: ninguém sabe! Não há números exatos; os falantes de esperanto estão espalhados pelo mundo afora. Acredita-se que deve haver entre 100,000 e 2 milhões de falantes de esperanto como sua língua nativa. Uma pessoa que fala esperanto é chamada de esperantista.


Onde essa língua é falada?[editar | editar código-fonte]

O esperanto é falado no mundo inteiro. Verdade! Embora a maior parte dos esperantistas use a língua como segundo idioma, ela não é na verdade a língua da maioria das pessoas. Os falantes de esperanto vivem como falantes de outras línguas, em seus países ou vivem em outros países onde falam também a língua oficial, mas também falam esperanto. Para identificar-se para outros falantes de esperanto, eles usam alguns símbolos

A estrela verde de esperanto, é o símbolo mais comum e mais antigo usado.

Ela está incorporada à bandeira do esperanto.

Um símbolo mais recente é chamado de símbolo do jubileu e foi criado em 1987.

Em qualquer evento da língua esperanto é comum ver os três símbolos.


Qual é a história dessa língua?[editar | editar código-fonte]

Esperanto é uma língua artificial inventada por um oftalmologista judeu polonês chamado L.L. Zamenhof (1859 – 1917).

Ele cresceu numa cidade da Polônia dividida entre grupos que falavam línguas diferentes, e ele não conseguia se adaptar. Ele desejava que todos pudessem se entender e pudessem viver juntos e em paz.


L.L. Zamenhof


Em 1872, quando tinha apenas 13 anos, ele começou a criar uma língua chamada Lingwe uniwersala ("língua universal"). Em 1878, com 19 anos, ele partilhou a língua com alguns poucos amigos próximos, mas depois disso precisou ir embora, para universidade, estudar medicina. Assim, deixou as notas sobre a língua que criou com seu pai, para que ficasse protegida.

Infelizmente, o pai ficou com medo, que essa tal língua universal pudesse trazer problemas com o governante russo, o Tsar, que governava a Polônia nessa época, e então ele queimou todas as anotações.

Zamenhof só descobriu que todo o seu trabalho havia sido destruído, quando voltou da universidade em 1881.


Ele, imediatamente tratou de construir uma versão nova e melhorada, que chamou de Lingvo universala (que significa "língua universal " em esperanto moderno).

Durante seis anos ele tentou publicar sua nova língua, mas os censores do Tsar não permitiram. Ao invés de abandonar seu sonho, ele usou esse tempo para melhorar a língua e praticá-la, traduzindo muitos trabalhos.


A Primeira Língua Artificial?

Esperanto é praticamente a primeira língua artificial que teve algum sucesso. Zamenhof começou a trabalhar naquilo que se transformou em esperanto em 1872, mas infelizmente não pode publicá-la até 1887.

Nesse meio tempo, o padre alemão Johann Martin Schleyer (1831 – 1912) estava começando a criar sua própria língua, volapük, em 1879, e ele a publicou em 1880— sete anos antes de Zamenhof publicar o esperanto.

Volapük foi popular durante alguns anos, mas quando esperanto foi publicada, muitas pessoas abandonaram o Volapük para aprender esperanto, uma vez que, esperanto é muito mais fácil de aprender. Hoje, volapük está praticamente extinta e possui apenas uns 20 falantes no mundo.


Em 1887, Zamenhof publicou Unua Libro ("Primeiro Livro"), para descrever a língua universal.

Zamenhof não usou seu nome verdadeiro quando publicou o livro porque já tinha passado por muitos problemas com os censores do Tsar. No entanto, ele publicou o livro sob o pseudônimo de Doktoro Esperanto, que significa "Dr. Esperança" na língua que criou. O nome "Esperanto" (que significa alguém que deseja ou espera em esperanto) se tornou o nome da língua.


A língua se espalhou com rapidez por ser bastante simples, e porque já havia muita coisa escrita em esperanto (algumas que Zamenhof já tinha escrito e outras tinha traduzido enquanto esperava que os censores do Tzar o liberassem).

Por volta de 1905, houve o Primeiro Congresso de Esperanto (Lang Universala Kongreso) em Boulogne-sur-Mer na França.

A Primeira Guerra Mundial começou em 1914 e Zamenhof foi escolhido por duas vezes para o Prêmio Nobel da Paz. Esperanto fazia parte do currículo escolar na China, Samos e Macedônia, e havia até mesmo uma moeda em esperanto (spesmilo) Infelizmente, Zamenhof faleceu em 1917 e não viveu para ver o fim da guerra em 1918.

Foi depois da Primeira Guerra que a popularidade do Esperanto aumentou.

Os horrores da guerra criaram nas pessoas o desejo de paz universal. O esperanto parecia uma grande esperança de que uma língua universal fosse facilitar a comunicação entre as pessoas e assim evitar uma nova guerra.

A Liga das Nações— foi a precursora das Nações Unidas recomendava a seus membros que usassem esperanto como segunda língua, e algumas das sociedades científicas mais importantes, sugeriam que o esperanto fosse usado para futuras comunicações científicas. Durante algum tempo o esperanto parecia que ia se tornar uma língua internacional para a comunicação, ciência e é claro, paz— esse tempo, os anos 20 foi considerado a Era de Ouro do Esperanto.

Mas, os grandes ditadores, que surgiram no início da II Guerra Mundial—Adolf Hitler e Joseph Stalin—baniram o esperanto.

Muitos esperantistas, inclusive membros da família de Zamenhof, morreram nos campos de morte nazistas. A Liga das Nações, junto com muitas associações importantes de esperanto, não sobreviveram à guerra.

Desde então, o movimento em prol do Esperanto tem sido recuperado, embora não atinja o alcance que havia antes da II Guerra Mundial.

Embora as Nações Unidas não apoiem o esperanto da mesma forma que a Liga das Nações fazia, algumas agências ainda apóiam a língua.

A internet e organizações como Pasporta Servo, (que ajuda aos falantes de esperanto a viajar ficando com outros esperantistas através do mundo) têm ajudado os esperantistas a se manter em contato da mesma forma que antigamente.

O esperanto hoje existe graças ao entusiasmo de seus falantes, sem o apoio de qualquer nação ou de alguma grande organização internacional.


Quem são os autores ou poetas famosos nessa língua?[editar | editar código-fonte]

  • L. L. Zamenhof (1859 – 1917),

O próprio Zamenhof foi o primeiro autor. Enquanto esperava pelos censores para poder publicar sua língua, ele fez várias traduções, inclusive de Shakespeare. Ele também escreveu alguns livros originalmente em esperanto e também poemas.

Claude Piron
  • Julio Baghy (1891 – 1967).

Ator húngaro que escreveu novelas e poesia em esperanto e foi muito influente nos primórdios do desenvolvimento da língua para uso poético.

Sua novela mais famosa é Printempo en Aŭtuno ("Primavera no Outono", 1931), mas ele é mais conhecido por sua poesia. Seu trabalho mais importante é uma coleção de poemas Preter la vivo ("Além da Vida", 1922).

  • William Auld (1924 – 2006).

Poeta escocês que foi indicado por três vezes (1999, 2004 e 2006) para o Prêmio Nobel de Literatura por seus trabalhos em esperanto. Seu trabalho mais famoso é La infana raso ("A Corrida Infantil", 1956).

  • Claude Piron (1931 – 2008).

Linguista suiço que escreveu dezenas de livros em esperanto, novelas, poemas e livros de não-ficção. Seu trabalho mais famoso é Gerda malaperis! ("Gerda Desapareceu!"), que não é apenas uma novela de mistério, mas também foi escrita usando o esperanto básico nos seus capítulos iniciais e que vai usando a língua mais avançada a cada capítulo.

Quais são as palavras básicas que posso aprender nessa língua?[editar | editar código-fonte]

Cumprimentos Básicos:
  • Saluton! — "Olá!"
  • Bonan matenon! — "Bom dia!"
  • Bonan vesperon! — "Boa tarde!"
  • Bonan nokton — "Boa noite!"
  • Ĝis poste! — "Até logo!"
  • Ĝis! — "Tchau!"
  • Adiaŭ! — "Adeus!"

Palavras Simples:

  • Jes — "Sim"
  • Ne — "Não"

Gentilezas:

  • Dankon — "Obrigado"
  • Mi bedaŭras — "Me desculpe"
  • Pardonu min — "Com licença"
Números:
  • Nul — "Zero"
  • Unu — "Um"
  • Du — "Dois"
  • Tri — "Três"
  • Kvar — "Quatro"
  • Kvin — "Cinco"
  • Ses — "Seis"
  • Sep — "Sete"
  • Ok — "Oito"
  • Naŭ — "Nove"
  • Dek — "Dez"
  • Dek unu — "Onze"
  • Dek du — "Doze"
  • Dek tri — "Treze"
  • Dek kvar — "Quatorze"
  • Cent — "Cem"
  • Mil — "Mil"

Frases para aprender:

  • Kio estas via nomo? — "Qual o seu nome?"
  • Mia nomo estas _____. — "Meu nome é _____"
  • Kiom da jaroj havas vi? — "Quantos anos você tem?
  • Mi havas _____ jarojn. — "Eu tenho _____ anos.
  • Kiel vi fartas? — "Como vai?"
  • (Mi fartas) bone/malbone/ne malbone. — "(Eu vou) bem/mal/mais ou menos."
  • Ĉu vi parolas Esperanton? — "Você fala Esperanto?"
  • Ne, mi ne parolas Esperanton. — "Não, eu não falo Esperanto."
  • Ĉu vi parolas la anglan? — "Você fala inglês?"
  • Jes, mi parolas la anglan. — "Sim, eu falo inglês."

Qual é uma música/poema ou história que posso aprender nessa língua?[editar | editar código-fonte]

La Espero A Esperança
En la mondon venis nova sento,
tra la mondo iras forta voko;
per flugiloj de facila vento
nun de loko flugu ĝi al loko.
Chegou ao mundo uma nova esperança,
mundo afora um chamado poderoso;
através das asas de um vento suave
agora o deixe voar para muitos lugares.