História do Brasil/A Segunda Guerra Mundial e o Brasil

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Soldados da Força Expedicionária Brasileira (FEB) sendo saudados por moradores de Massarosa, na Itália, no final de setembro de 1944.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Brasil estava sendo comandado pelo Estado Novo de Getúlio Vargas, simpático ao model fascista. Quando o Brasil aderiu à Carta do Atlântico, em que previa o alinhamento automático com qualquer nação do continente americano que fosse atacada por uma potência extracontinental, submarinos alemães e italianos iniciaram o torpedeamento de embarcações brasileiras no oceano Atlântico, em fevereiro de 1942.

Em 1942, os americanos instalaram bases aeronaves ao longo da costa Norte-Nordeste brasileira. Depois de meses de navios mercantes brasileiros sendo torpedeados o povo vai às ruas e o Governo Brasileiro declara guerra à Alemanha nazista e à Itália fascista, em agosto de 1942. Naquela época, a população brasileira era majoritariamente analfabeta, vivendo no campo, com uma economia com foco principal voltado para exportação de commodities.

A Força Expedicionária Brasileira (FEB) teve sua formação definida na Conferência do Potengi, logo após a Conferência de Casablanca, mas sua criação foi protelada por um ano após a declaração de guerra. O Brasil enviou cerca de 25.000 homens, de um total inicial previsto de 100.000. A FEB cumpriu as principais missões que lhe foram dadas pelo comando aliado. Teve grande destaque o apoio oferecido pelo Brasil aos aliados, através do 1º Grupo de Aviação de Caça criado em 18 de dezembro de 1943.

A participação do Brasil na guerra e a forma como a mesma se desenrolou contribuíram decisivamente para o fim do Estado Novo.