A cultura da manga/Introdução

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Palmerbigbox.jpg

Não há mesmo muito para onde fugir o texto, quando se trata de iniciar o assunto do cultivo da manga, senão falando de suas fases. No Brasil, este país continental, até as últimas décadas do século passado, grandes áreas do interior se conservavam distantes dos avanços tecnológicos. E a manga é bem um símbolo disso. Tradicionalmente, essa fruta carregada de brasilidade, foi sempre cultivada em pequenas propriedades, em fundos de quintal, de maneira "extensiva", como se diz tecnicamente. Essa seria a primeira fase.

A partir da década de 80, quando grandes plantadores do sul do país começaram a plantar novas variedades com incorporação de novas tecnologias, esse perfil foi se alterando. E com a criação de polos produtivos no vale do Rio São Francisco, voltados para o mercado externo, uma segunda fase se consolidou, a fase do cultivo intensivo.

Em termos de localização geográfica dessa cultura, além do Vale do São Francisco, que abrange os estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, o Vale do Açu e o vale do Rio Jaguaribe, no Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí, também se destacam como áreas nordestinas produtoras de manga. Entre 1990 e 2000 o semi árido nordestino se consolidou por causa das condições climáticas favoráveis e o nível de tecnificação introduzido. Nesse período, graças a um crescimento de mais de 100% da área plantada no Nordeste, esse crescimento em termos de Brasil foi de quase 52%.