WikiRPG/Fantasia medieval

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
AM 738 4to Valhöll.jpg

Fantasia Medieval é o nome de um sub-gênero de ambientações de fantasia que envolvem elementos medievais históricos (como cavaleiros, castelos e afins) com elementos fantásticos. Geralmente estes elementos fantásticos são de origem germânica e anglo-saxã, já que este tipo de gênero é comum em obras destes povos, que envolvem elfos, anões e outros seres mitológicos, apesar de nada impedir a inclusão de outros elementos de mitologias diversas. Este é um guia para auxiliar o Mestre na criação de cenários coerentes de Fantasia Medieval.

Fantasia[editar | editar código-fonte]

Fantasia é um género de arte que usa a magia e outras formas sobrenaturais como o elemento principal/primário de uma história, Este género é geralmente distinguido de Ficção Científica e horror pelo aspecto geral, atmosfera e pelos temas de cada autor individual, embora haja uma grande sobreposição entre os três (conhecidos no seu conjunto por Ficção especulativa). De modo geral, o termo fantasia cobre trabalhos de escritores, artistas e músicos, desde de mitos e lendas até obras mais recentes, conhecidas por uma vasta audiência.

Como noutras formas de ficção especulativa, os acontecimentos e acções na literatura fantástica muitas vezes diferem daqueles possíveis na realidade. Em muitos casos, especialmente em trabalhos mais antigos, mas também em muitos modernos, isto é explicado por uma intervenção divina, mágica, ou de outras forças sobrenaturais. Noutros casos, mais frequentemente em trabalhos de História, na chamada High Fantasy, a história pode acontecer num mundo fantástico, que é completamente diferente do nosso, completado com leis distintas da natureza que permitem a magia.

Apesar de o género, no seu sentido moderno, ter menos de dois séculos, os seus antecedentes têm uma história longa.

Começam talvez com os documentos mais antigos conhecidos pela humanidade.Mitos e outros elementos que surgiriam para definir a Fantasia e os seus subgéneros, foram parte de alguns dos mais grandiosos e celebrados trabalhos de literatura. Desde A Odisseia, as Lendas Arturianas, dos romances medievais à poesia épica da Divina Comédia, das aventuras fantásticas de bravos heróis e heroínas, monstros e reinos secretos, inspiraram muitas audiências. Neste sentido, a história da Fantasia e a História da Literatura estão intimamente interligadas.

A história do mundo moderno da fantasia começa com William Morris, membro da irmandade pré-rafaelita, que, nos fins do século XIX, se tornou o pioneiro do género com a obra “The Well at the World’s End” (o Poço no Fim do Mundo) e outras obras, e Edward Plunkett, Lord Dunsany, que continuou a tradição até ao século XX.

Desde o início até meados do século XX, muitas obras de fantasia foram publicadas nas mesmas revistas de ficção científica, sendo muitas vezes escrita pelos mesmos autores.

Nos meados do século XX, dois subgéneros de fantasia tornaram-se muito populares: High Fantasy e Sword and Sorcery (Espada e Feitiçaria). Dentro do género de High Fantasy, O Hobbit e O Senhor dos Anéis são marcos; outros trabalhos importantes são As Crónicas de Narnia , de C. S. Lewis e as séries Earthsea de Úrsula K. Le Guin.Alguns dos mais importantes contributos para o género Sword and Sorcery incluem Fritz Leiber, Robert E. Howard e Clark Ashton Smith. A literatura fantástica viu a sua popularidade renovada no fim do século XX, muitas vezes influenciadas por estes trabalhos e, tal como eles, influenciada por mitos e romances épicos e medievais.

A popularidade do género fantástico continuou a aumentar no século XXI, como é demonstrado pelos best sellers Harry Potter, a Triologia Esperança e Percy Jackson, como pelas adaptações ao cinema de algumas obras, que se tornaram êxitos estrondosos, de que são exemplo os recentes filmes d’O Senhor dos Anéis.