Retórica e argumentação/Figuras de estilo/Eutrepismo

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Eutrepismo consiste em listar e enumerar itens. Geralmente, esta figura é usada em conjunto com merismus e distributio

Exemplo 1: "Primeiro ao mercador de vinho / É que bebem os libertinos / Uma vez aos prisioneiros / Depois bebem três vezes aos vivos / Quatro a todos os cristãos / Cinco aos fiéis defuntos / Seis às irmãs perdidas / Sete aos guardas florestais / Oito aos irmãos desgarrados / Nove aos monges errantes / Dez aos navegantes / Onze aos brigões / Doze aos penitentes / Treze aos viajantes / Tanto ao Papa quanto ao rei / Bebem todos sem lei" (Carmina Burana, In Taberna Quando Sumus)

Exemplo 2: "Tu, que pela primeira vez pegas em armas sob o estandarte de Vênus, encontres, em primeiro lugar, a mulher que estejas afeito a amar. Tua próxima incumbência será dobrá-la a tua vontade; tua terceira é assegurar que vosso amor persevere." (Ovídio, Arte do Amor)

Exemplo 3: "Há sete causas de preocupação para um estado. Quais são estas sete causas? Quando as muralhas externa e interna de uma cidade são indefensáveis, esta é a primeira causa. Quando um estado inimigo se aproxima e ainda assim seus vizinhos não prestam ajuda, esta é a segunda preocupação. Quando os recursos do povo foi todo gasto em empreitadas inúteis e presentes gastos com homens incapazes... esta é a terceira preocupação. Quando os oficiais valorizam apenas seus salários, e os sofistas apenas a amizade, e quando os subordinados não ousam argumentar contra leis persecutórias do governante, esta é a quarta preocupação. Quando o senhor superestima sua própria sabedoria e não busca aconselhamento... esta é a quinta preocupação. Quando os confiados são desleais e os leais não são confiados, esta é a sexta preocupação. Quando as colheitas não são o suficiente para alimentação... e as recompensas não fazem as pessoas felizes nem as punições as fazem temer, esta é a sétima preocupação." (Mozi, Livro I)

Exemplo 4: "Saiba, então, que há três tipos de orgulho: (1) contra Deus, (2) contra profetas e santos, (3) contra seus semelhantes. Contra Deus se deve à tolice de criaturas bípedes que se consideram mestres do universo. Contra profetas e santos se deve à auto-estima injustificada daquele que considera a obediência a qualquer mortal como algo que rebaixa sua própria posição. Contra semelhantes [ocorre quando] um homem orgulhoso se considera um ser superior e gostaria que todos se aviltassem perante ele." (Al-Ghazali, Orgulho e Vaidade)

Exemplo 5: "Existem cinco tipos de discurso, dos quais um é aquele que os políticos empregam em assembleias, o qual é chamado de discurso político. A segunda divisão é aquela na qual os retóricos empregam em composições escritas, quer seja para exibição ou exaltação ou recriminação, ou por acusação. Assim, esta divisão é chamada de retórica. A terceira divisão do discurso é aquela na qual indivíduos conversam uns com os outros; a qual é chamada de discurso da vida ordinária. Outra divisão do discurso é aquela daqueles que conversam por meio de perguntas e respostas curtas; o que é chamado de dialética. A quinta divisão é o discurso de artesãos conversando sobre seus próprios tópicos, o que é chamado de linguagem técnica... Há seis tipos de retórica. Quando os oradores pleiteiam [por exemplo] guerra ou aliança com um estado vizinho, isto é chamado de persuasão. Mas quando eles falam contra guerra ou aliança e pleiteiam que suas audiência permaneça em paz, este tipo de retórica é chamada de dissuasão. Um terceiro tipo de retórica é empregado quando o orador afirma que ele fora injustiçado por alguém... acusação é o nome aplicado ao tipo aqui definido. O quarto tipo de retórica é denominado defesa; aqui o orador mostra que ele não cometeu injustiça e que sua conduta não é de forma alguma anormal... Um quinto tipo de retórica é empregado quando o orador fela bem de alguém e demonstra ele é digno e honrado; elogio é o nome dado a este tipo. Um sexto tipo é empregado quando o orador mostra que alguém é indigno; o nome dado a isto é injúria." (Diógenes Läertius, Vidas dos Filósofos Eminentes)


Uso na retórica: O eutrepismo serve para organizar o discurso e facilitar sua memorização. Afinal de contas é mais fácil se lembrar das coisas quando se sabe quantas coisas se deve lembrar. Reconhecendo o valor mnemônico desta figura, as religiões tendem a enumerar seus princípios a fim de facilitar a catequese: tem-se os 10 Mandamentos nas religiões abraâmicas; especificamente no catolicismo, tem-se os 7 Pecados Capitais e as 7 Virtudes Cardinais; segundo algumas tradições budistas, os primeiros ensinamentos de Gautama Buddha após atingir a iluminação teriam sido as 4 Nobres Verdades e o Caminho Óctuplo.