República Popular da China/Economia

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Ir para: navegação, pesquisa
Gráfico mostrando a evolução do produto interno bruto chinês de 1952 até 2012. Notar o grande crescimento a partir do final da década de 1970, coincidindo com as reformas econômicas de Deng Xiaoping.
Mapa mostrando o produto interno bruto per capita das províncias chinesas. Quanto mais escuro, maior o produto interno bruto per capita. As províncias mais ricas situam-se no leste do país.

Atualmente, o país apresenta o segundo maior produto interno bruto do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Desde a permissão da existência de empresas privadas no país por iniciativa de Deng Xiaoping, no final dos anos 1970, o país tem apresentado taxas anuais de crescimento do produto interno bruto da ordem de dez por cento. Este crescimento baseou-se, sobretudo, nos baixos salários da mão de obra no país, o que fez com que os produtos industrializados do país adquirissem preços extremamente competitivos no mercado internacional. Com isso, os produtos industrializados chineses invadiram os mercados do mundo inteiro.

Porém esse crescimento industrial não se distribuiu de modo homogêneo no país. Ele permaneceu restrito ao litoral, que apresenta maior facilidade em termos logísticos para a exportação. O interior do país, ao contrário, permaneceu com uma economia atrasada e basicamente agrícola.

A permissão da iniciativa privada, efetuada por Deng Xiaoping, não eliminou totalmente, contudo, as empresas estatais chinesas. Elas continuaram a existir lado a lado com as novas empresas privadas, especialmente em setores estratégicos da economia[1][2].

Referências