Saltar para o conteúdo

Mecânica dos fluidos/Válvulas lineares

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.

Válvula de comporta[editar | editar código-fonte]

Nas válvulas de comporta, o obturador, usualmente em forma de cunha, é fixado a uma haste e colocado em posição perpendicular ao escoamento, e desliza para dentro e para fora do bojo, de maneira a interromper ou liberar o fluxo. Como mencionado anteriormente, esse tipo de válvula não pode ser usado como válvula de controle, pois o obturador sofreria um desgaste muito grande se inserido apenas parcialmente no fluido em movimento.

Essa construção é bastante simples e robusta, mas a vedação é problemática. Possui ainda a vantagem de apresentar perda nula quando totalmente aberta.

Válvula de comporta para duto de de 20" de diâmetro, em uso na represa de Calf Hey (Inglaterra) a partir de 1856.

Válvula globo[editar | editar código-fonte]

Válvula globo

Nas válvulas globo, o bojo é construído de forma a mudar a direção de escoamento em 90° e fazê-lo passar por um orifício circular. Em volta desse orifício é colocado um anel (ou gaxeta) de vedação. O obturador é um plug terminado em um disco, que é fixado a uma haste e se move para dentro e para fora do bojo, encaixando-se sobre o anel de vedação quando totalmente imerso. Após atravessar o orifício, o fluxo retorna à direção de escoamento original.

Esse tipo de construção é o mais comum em uso na indústria, tanto para válvulas on-off quanto para válvulas de controle. Apresenta as desvantagens de grande perda de carga, alto custo, maior peso, menor capacidade de vazão e a possibilidade de vazamento pela gaxeta.

Válvula angular[editar | editar código-fonte]

Válvula de três vias[editar | editar código-fonte]