Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vista parcial do Vale do Anhangabaú. São Paulo-SP 19

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vista parcial do Vale do Anhangabaú. São Paulo/SP (metadados).

Lista de marcas identificadas[editar | editar código-fonte]

  • Philips
  • CICA
  • Sartisar
  • Extrato de Tomate
  • Urbania
  • Cosmopolita
  • Óleo de gordura

Pesquisa sobre marcas[editar | editar código-fonte]

Philips[editar | editar código-fonte]

A marca Philips foi fundada pelo engenheiro mecânico Gerard Philips, com o apoio financeiro de seu pai banqueiro em 15 de maio de 1891. Benjamim Frederik David que concebeu a empresa Philips & Company na cidade holandesa de Eindhovn, para produção de lâmpadas incandescentes de filamento de carbono dentre outros produtos elétricos (como lanternas), possuíam como finalidade atender à demanda crescente depois da comercialização da eletricidade. A princípio a empresa fabricava lâmpadas com filamentos de carbono em uma modesta fábrica. Após um ano de trabalho tal obteve uma encomenda de lâmpadas de uma notável fabricante de velas, aumentando assim sua produção diária para 500 unidades em 1895. Nesse mesmo ano o irmão de Gerard, Anton juntou-se a nova empresa. Ele mostrou-se com grande talento comercial e em poucos anos o negócio pertenceu ao seleto grupo dos maiores produtores de lâmpadas do mundo. Em 1910, possuindo dois mil funcionários, a fábrica era a maior empregadora da Holanda. Com a evolução das novas tecnologias de iluminação, tal incentivou um programa de expansão regular e em 1914 a empresa formou um laboratório de pesquisa designado a estudar fenômenos físicos e químicos e a promover a inovação de produtos revolucionários. Antes da Primeira Guerra Mundial, os produtos da marca já eram comercializados na América do Norte e França.

Referências

https://www.philips.com.br/

https://www.philips.com.br/a-w/about-philips/perfil-da-empresa.html

CICA[editar | editar código-fonte]

A companhia de alimentos em conserva CICA foi introduzida no mercado em 1941, em Jundiaí. As propagandas iniciais do Extrato de Elefante da Cica que foram entre 1942 a junho de 1943 mencionava “duplo concentrado de tomate”, que também era exposto na lata. Em 1943 a marca decidiu aumentar o concentrado de tomate, mudando a expressão para “triplo concentrado” apresentando na lata “é melhor e rende mais”. A marca reforçava que só trabalhava com tomate selecionado.O famoso slogan “Se a marca é CICA, bons produtos indica” foi lançado em janeiro de 1944, quando já havia uma linha diversificada de produtos para suportá-lo. As propagandas individuais eram simples, diretas e sem ilustrações. O elefante CICA só foi introduzido em 1962 e criado por Maurício de Souza, que o chamou de Jotalhão, a marca o abordou em 1979, que substituiu o desenho realista de um elefante, animal que integrava a logomarca da Cica. Ao assumir a presidência, Rodolfo Marco Bonfiglioli mudou a dinâmica da CICA, e tirou a imagem que todos tinham de que esta era uma “empresa de família”. Em 1992, a CICA foi comprada pela Gessy Lever, por 250 milhões de dólares. De 2003 a 2009, a CICA foi gradativamente desaparecendo, com suas marcas sendo aos poucos substituídas por marcas globais da Unilever. Em setembro de 2010, A multinacional americana Cargill adquiriu da Unilever as marcas CICA, Elefante e Pomarola.


Referências

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,unilever-tira-a-tradicional-marca-cica-de-metade-de-seus-produtos,20020617p31926

Extrato de Tomate[editar | editar código-fonte]

O Extrato de tomate existe desde 1941 e a o produto mais famoso da antiga marca CICA. Tal produto originou-se a partir do gosto do filho de um dos fundadores da empresa.

O ícone do elefante era primeiramente de toda a empresa e expedia ao gosto pela caça.

Na década de 60, o elefante tornou-se ícone exclusivo de toda a CICA. Inicialmente tal ícone era um desenho de uma campanha publicitária de um jornal que não teve contiguidade e assim que foi filiado pela marca e personalizado pelo cartunista Mauricio Mauricio de Sousa como o personagem Jotalhão.

Referências

http://www.produtosquero.com.br/extrato-de-tomate-2/

https://www.propagandashistoricas.com.br/2015/09/historia-do-molho-de-tomate-elefante.html

Urbania Capitalização[editar | editar código-fonte]

Foi uma empresa de capitalização com filiais na Bahia, no Distrito Federal e no Rio de Janeiro, Acredita-se também que existiu uma unidade em São Paulo devido ao letreiro fotografado por Werner Haberkorn no Vale do Anhangabaú.

Foi criada para favorecer a economia e estimular a previdência em todo território brasileiro.

Alguns membros conhecidos: José Joaquim de Carvalho, diretor presidente, Augusto Viana Ribeiro dos Santos e Antonio Osmar Gomes, diretores e Sr. Castelar Pinheiro, gerente geral.

(Não foi encontrada nenhuma informação nas juntas comerciais dos estados mencionados.)

Referências

Acervo da FGV Diário da Noite (RJ) - Ano 1948

Óleo de gordura[editar | editar código-fonte]

Após pesquisas não foi possível encontrar registros da história da marca em São Paulo.

Sartisar[editar | editar código-fonte]

Após pesquisas não foi possível encontrar registros da história da marca em São Paulo.

Cosmopolita[editar | editar código-fonte]

A Cosmopolita foi uma marca de utensílios domésticos que eram produzidos e vendidos no Brasil durante o século 20, fundada pela Metalúrgica Paulista S/A, foi pioneira em fogões e aquecedores a gás no Brasil. Nas décadas de 70 e 80, a empresa foi comprada pela Wallig Sul S/A e assumida pela Coomec-Coop Industrial Mecânica, a companhia acabou falindo a companhia faliu e a marca foi adquirida como parte de pagamento de um de seus representante. E em 2010, a marca foi comprada pela Marabraz.

Referência

http://propmark.com.br/mercado/superbid-leiloa-marca-de-fogoes-cosmopolita

Comentários sobre a fotografia[editar | editar código-fonte]

A fotografia de Werner Haberkorn é um registro do Vale do Anhangabaú entre 1940 e 1950. Na imagem, o fotógrafo quis enfatizar dois elementos do processo de urbanização da cidade de São Paulo: a verticalização, com o aparecimento de edifícios na área central, e o da circulação de automóveis. Também podemos observar uma das partes do centro de São Paulo, diante da modernização urbanística. Podemos enxergar a variação entre prédios e elementos da natureza em primeiro plano. Haberknorn utlizou recursos que incluem justaposição e contraste de luz. Tal foto faz parte de uma coleção de aproximadamente 600 imagens. As fotografias eram tiradas normalmente para a realização de cartões postais pela empresa de Haberkorn, chamada "Fotolabor" e para campanhas publicitárias.