Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vista parcial do Vale do Anhangabaú. São Paulo-SP 15

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vista parcial do Vale do Anhangabaú. São Paulo/SP (metadados).

Lista de marcas identificadas[editar | editar código-fonte]

  • Goomtex
  • Cosmopolita
  • Coca Cola
  • CICA
  • Philips
  • Urbania Capitalização
  • Peixe
  • Passaro Marron

Pesquisa sobre marcas[editar | editar código-fonte]

Goomtex[editar | editar código-fonte]

Shaja (Salomão) Zeiger, um alfaiate, fundou no começo do século XX, na famosa rua José Paulino a Goomtex, com o slogan "A capa que veste o Brasil", vendiam capas de chuva e abrigos.

Nos anos 60 foi integrada a outra marca de moda feminina, a Pullsport, fundada por David Zeiger (filho de Shaja), sua esposa Mila Zeiger, e os pais David e Rachel Liberman, com sua sede sendo na Aclimação. A Pull sport fez muito sucesso, gerando grandes números e muita visibilidade por parceiras com outras marcas e artistas da época.

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/David_Zeiger

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mila_Zeiger#cite_note-1

http://sergiozeiger.wixsite.com/david-zeiger/fbrica-e-escritrios

http://sergiozeiger.wixsite.com/david-zeiger/goomtex

http://sergiozeiger.wixsite.com/david-zeiger

Cosmopolita[editar | editar código-fonte]

A marca Cosmopolita foi fundada no final do século XIX, pela Metalúrgica Paulista S/A, pioneira na fabricação de fogões e aquecedores a gás. No inicio dos aos 70, a companhia foi transferida para a Wallig Sul S/A, sendo assumida pela Coomec-Coop, para operações também no mercado de distribuição de gás, principalmente no Rio de Janeiro e São Paulo. Porém, a companhia faliu e a marca foi adquirida como parte de pagamento de um de seus representantes.

Referêrencias

http://propmark.com.br/mercado/superbid-leiloa-marca-de-fogoes-cosmopolita

Coca Cola[editar | editar código-fonte]

Em 1886, John Stith Pemberton, farmacêutico da cidade de Atlanta, no estado da Geórgia, criou um remédio para amenizar dores de cabeça e do estomago, que consistia em uma mistura líquida, feita de extrato de noz de cola, um estimulante com alto teor de cafeína e extrato de folhas de coca, da qual chamou de “tônico para o cérebro”. A mistura foi oferecida na farmácia junto com água gaseificada para os clientes, por apenas 5 centavos o copo, que logo se apaixonaram.

Frank M. Robinson, o sócio e contador de Dr. Pemberton, sugeriu o nome e produziu a caligrafia da marca, pensando que “dois Cs ficariam ótimos em uma propaganda”.

Aos poucos as ações foram vendidas, graças a falta de reconhecimento do possível sucesso do seu produto. As últimas ações foram adquiridas pelo Asa G. Candler, se tornando dono prioritário da marca apenas em 1891, pelo custo de US$ 2.300. 

Em 1893 a The Coca-Cola Company foi formada pelo John S. Candler, Frank Robinson, e mais dois sócios, com o capital inicial de US$ 100 mil, tendo a marca COCA-COLA registrada oficialmente.

Em 1894, em Vicksburg, Mississippi, Joseph A. Biedenharn utilizou os fundos de sua loja para instalar uma máquina de envase e começou a vender engradados de Coca-Cola.

Chegou ao Brasil em 1941, em Recife, mas foi só quando a Segunda Guerra Mundial acabou que ela conseguiu se espalhar para o país inteiro. O primeiro slogan foi “Coca-Cola borbulhante, refrescante, 10 tostões”, criado pelo escritor Guilherme Figueiredo, que também veio com uma publicidade que marca até hoje a Coca Cola, propagandas com artistas bebendo o refrigerante diretamente no gargalo. A partir de 1950 o slogan muda para “Isto faz um bem”, e se mantém por 14 anos. Em 1983 com a frase que marcava as campanhas publicitárias, “Coca-Cola é isso aí”, a empresa crescia cada vez mais, e assim começaram a atuar em projetos sociais, culturais, ambientais e esportivos. Em 2016 foi iniciada a campanha “Taste the feeling”, ou “Sinta o sabor”, com o objetivo de unir todas as versões da bebida, celebrar o prazer de beber qualquer sabor de Coca Cola, e reforçar que o consumidor tem várias opções para escolher a que melhor se adapte a ele.

Referências

http://mundodasmarcas.blogspot.com/2006/05/coca-cola-always.html

https://www.cocacolabrasil.com.br/historias/cronicas-da-coca-cola-nasce-uma-ideia-refrescante

https://www.cocacolabrasil.com.br/historias/cronicas-da-coca-cola-a-era-candler

https://www.cocacolabrasil.com.br/sobre-a-coca-cola-brasil/a-historia-da-coca-cola-brasil

CICA[editar | editar código-fonte]

A CICA (Companhia Industrial de Conservas Alimentícias) foi fundada em 1941, em Jundiaí, interior de São Paulo, pela sociedade entre o banqueiro Alberto Bonfiglioli com as famílias Messina, Guerrazi, Guzzo, entre outros. Chegou a ser uma das maiores empresas do setor de alimentos do Brasil, reconhecida principalmente pela marca de atomatados Elefante e pelo slogan: "se a marca é Cica bons produtos indica".

No final de 1992, a Cragnotti & Partners, então proprietária da Cica, vende a marca para a Arisco, que por sua vez em 2000 foi adquirida pela americana Bestfoods, o negócio foi fechado por 250 milhões de dólares, sendo incorporado a Unilever. O extrato de tomate Elefante continua a ser produzido no Brasil pela Cargill.

O clássico Extrato de Tomate do Elefante, molhos e polpas de tomate passaram a fazer parte da linha Knorr CICA.

Em 2002 a Univeler decide diminuir o portifólio de pequenas marcas regionais, assim cortou pela metade a variedade de produtos que se tinha. Todos os molhos foram para a Hellmann´s, ficando apenas com enlatados, conservas e doces, por ser uma marca fundamental na área alimentícia é impossível seu desaparecimento, então a deixaram apenas com os produtos mais rentáveis.

Em 2003 a marca CICA foi retirada do mercado, mas ainda se pode encontrar Polpa de Tomate Pomodoro, com a marca CICA nos supermercados.

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Companhia_Industrial_de_Conservas_Aliment%C3%ADcias

https://www.unilever.com.br/brands/our-brands/knorr.html

http://www.congressotomate.com.br/2011/palestras/Tomaticultura-industrial-no-cerrado-25-anos.pdf

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,unilever-tira-a-tradicional-marca-cica-de-metade-de-seus-produtos,20020617p31926

Coleção Folha fotos antigas do Brasil - volume 10 - A Indústria

revista Exame - 06.01.1993 e 17.03.1993 - partes

Philips[editar | editar código-fonte]

Em 15 de maio de 1891, Frederik Philips e Gerard Philips compram uma fábrica em Eindhoven na Holanda, graças aos avanços das indústrias de eletricidade, ele pensa na ideia de fabricar lâmpadas elétricas incandescentes econômicas e confiáveis. No ano de 1895 eles conseguiram ampliar sua produção diária e incorporaram o Anton Philips na empresa, que apresentava um grande talento comercial, levando a empresa ser um dos maiores fabricantes de lâmpadas do mundo, e ainda antes da Primeira Guerra Mundial, seus produtos serem comercializados na América do Norte e França.

A partir do ano de 1918 a empresa começou a diversificar nas produções, com invenções como filamentos de baixo consumo, tubos médicos de raio X, nas primeiras transmissões de sinais de televisão, fabricação de rádios.

Com o início da Segunda Guerra Mundial, muitos executivos foram para os Estados Unidos, já o administrativo passou a ser em uma colonia holandesa, em Curaçao, para que a empresa não fosse passada para estrangeiros. Mas com o tempo foram obrigados pelos nazistas a abrirem uma fábrica dentro de um campo de concentração perto de Vught. Como Frederik era contra, fez o possível para ajudar os judeus, deste modo chegou a ser preso pelos alemães por não colaborar, tempos depois ganhou uma medalha de reconhecimento e uma estátua em Eindhoven pelo seus feitos humanitário.

A Philips chegou ao Brasil em 1924 com sede no Rio de Janeiro. Desde o começo seus produtos sempre foram destaque, e teve maior reconhecimento com a Philips Records que teve clientes como Chico Buarque, Belchior, Maria Bethânia e Raul Seixas. Outra área que também marcaram presença foi em games, lançando o vídeo-game Odyssey, e produzindo o famoso jogo Pac Man, que veio com o nome de Come Come.

Referências

https://www.philips.com/a-w/about/company/our-heritage.html

https://www.philips.com.br/a-w/about-philips/perfil-da-empresa.html

https://www.philips.com/a-w/about/company.html

https://www.tecmundo.com.br/mercado/125514-historia-philips-rainha-midias-video.htm

Urbania Capitalização[editar | editar código-fonte]

Após muitas pesquisas não foi encontrado nenhum relato sobre a empresa.

Referências

Peixe[editar | editar código-fonte]

Peixe foi a empresa pioneira no processamento de tomate no Brasil, fundada em 1898, no município de Pesqueira por Maria da Conceição Cavalcanti de Britto e Carlos Frederico Xavier de Britto. No ínicio fabricavam goiabada caseira.

Em 1929 a empresa começou a produção das massas de tomates concentradas, tendo a primeira indústria de conservas alimentícias na Fazenda Amália, em Santa Rosa do Viterbo, implantou outra fábrica em Monte Alto, que posteriormente foi transferida para Taquaritinga.

Na decada de 1940/50 entraram em decadência, por conta da escassez de água na região e quebra na safra de matéria-prima. Para se recuperar em fevereiro de 1998 a empresa foi vendida para o Grupo Bombril-Círio, mas em 20 de novembro daquele mesmo ano ocorreu o fechamento da centenária Fábrica Peixe e se encerra o primeiro ciclo da agroindústria do tomate do país.

Referências

http://www.congressotomate.com.br/2011/palestras/Tomaticultura-industrial-no-cerrado-25-anos.pdf

https://www.pe-az.com.br/editorias/economia/343-fabrica-peixe

Passaro Marron[editar | editar código-fonte]

A Pássaro Marron, que foi conhecida também pelo nome de Pássaro Azul, é uma empresa de transporte rodoviário da região Sudeste, foi fundada em 1935, com o objetivo de ligar as cidades de São Paulo a Mogi das Cruzes, Guararema, São José dos Campos, Taubaté e Aparecida.

O grande avanço nos negócios se deu graças a inauguração da Via Dutra, em 1950, proporcionando um novo trajeto, mas agora pavimentado, porém o que realmente fez com que a marca se desenvolvesse, foi em 2011 quando ocorreu a integração com a companhia Litorânea, que atua entre o Vale do Paraíba e o litoral sul e norte paulista, ampliando a malha de atendimento, ambas se integraram com o grupo PEX que mais tarde mudou para TEX, que é responsável pelo transporte de encomendas, realizado por meio dos ônibus.

Referências

http://www.passaromarron.com.br/quemsomos/

http://www.passaromarron.com.br/2016/10/tex-encomendas-2/

http://www.litoranea.com.br/quemsomos/

Comentários sobre a fotografia[editar | editar código-fonte]

Werner optou por focar no Vale do Anhagabaú por ser o centro economico da época, e quis nos passar pelas fotografias a transformação que a capital estava passando, com uma nova arquitetura e novos modos de viver. Esta foto mostra com detalhes essas mudanças, a combinação da expansão horizontal e a verticalização, ou seja, a construção de prédios e vias de acesso, altos edifícios com grandes empresas, bancos e teatro ao redor, fazendo com que o local se torne o coração financeiro de São Paulo, que antes era a Sé. Por ser uma região importante e de alta movimentação foi palco para companhias divulgarem sua marca ou produto com outdoors (antes permitido), e luzes nas altas construções, motivo importante para entender a escolha dessa área, pois é mais um fator que mostra a modernidade e o novo centro financeiro.

Para que as fotos ficassem mais bonitas e deixasse claro a mensagem que Haberkorn queria passar, utilizou de técnicas para dar mais foco em alguns elementos e menos em outros. Na maioria das vezes utilizou de cortes verticais com formato final em cartão postal, ajuste na ampliação das imagens, jogo de planos com um enquadramento que contrastasse com unidades verticais, efeitos de contraste e inversão de escalas, jogo de dimensão tirando os retratos debaixo para cima, jogo de luz e sombra, e justaposição de elementos da natureza em primeiro plano com as edificações em plano médio, e em último plano edifícios ou vias públicas. Deste modo os edifícios parecem ser maiores, e a modernização é mais explícita.