Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vista parcial da Avenida Rubem Berta. São Paulo-SP

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vista parcial da Avenida Rubem Berta. São Paulo-SP (metadados).

Lista de marcas identificadas[editar | editar código-fonte]

  • Firestone
  • Verlon
  • Brastemp
  • Pirelli

Pesquisa sobre marcas[editar | editar código-fonte]

Firestone[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de agosto de 1900, Harvey S. Firestone, fundou a Firestone Tire & Rubber Company. Harvey nasceu na pequena cidade de Columbia, Ohio (EUA) e decidiu deixar a cidade para seguir no ramo de sua grande paixão, corridas automobilísticas. A empresa chegou ao Brasil em 1923, instalando sua sede em São Paulo, visando um mercado em expansão e com grande potencial.

Em 1939 com o início da Segunda Guerra Mundial, o mercado internacional já não era capaz de suprir a demanda de seus produtos, pois a guerra utilizava grande parte de seus recursos disponíveis, mediante a esses acontecimentos era necessário a construção de uma fábrica no Brasil. Santo André, no ABC Paulista, foi o local escolhido para sediar a primeira fábrica da Firestone no Brasil, construída em uma área coberta de 11.720 metros quadrados, com 333 funcionários e capacidade de produção de 12,3 mil pneus por mês.

Em 1944 o progressivo aumento da produção e o sucesso dos negócios possibilitou que a companhia instalasse junto à fábrica uma unidade de fiação e tecelagem. Em 1951, Getúlio Vargas criou a Comissão de Desenvolvimento Industrial que limitava a quantidade de peças automobilísticas importadas de entrarem no país com intuito de encorajar o desenvolvimento de indústrias desse setor no Brasil.

Em meados de 1954 a Firestone encontrou na Bahia uma oportunidade para garantir a matéria prima necessária para confecção de seus produtos que apresentavam uma crescente demanda. Mediante ao bom desenvolvimento em 1967 a empresa inaugurou sua segunda unidade fabril, localizada no Rio de Janeiro (desativada em 1982). Com isso o Brasil foi o único país, exceto o Estados Unidos (sede da empresa), a contar com duas unidades fabris.

A Bridgestone comprou a Firestone em 1988. Hoje, depois de 95 anos de Firestone no Brasil, a fábrica continua instalada no mesmo endereço.

Referências

/https://www.firestonecomercial.com.br/pt-br/historiafirestone

https://pt.wikipedia.org/wiki/Harvey_Firestone

https://pt.wikipedia.org/wiki/Firestone_Tire_and_Rubber_Company

Verlon[editar | editar código-fonte]

Marca de calçados, criada em 1979, pertencente à empresa  Âncora Indústria e Comércio LTDA. Apesar de contar com sua concentração de vendas em São Paulo, por alguns anos sua fábrica se instalou em Itajubá, Minas Gerais. Muito popular na década de 60, Verlon era referência em botas, contava com um catálogo que abrangia desde botas mais resistentes para trabalho até calçados infantis. Seu slogan era “ Símbolo do bom calçado”.

Referências

http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1970-1979/decreto-74798-1-novembro-1974-423265-publicacaooriginal-1-pe.html

Brastemp[editar | editar código-fonte]

A marca BRASTEMP, que virou sinônimo de eletrodoméstico no Brasil, foi introduzida no mercado pela empresa Brasmotor. A empresa que fabricava peças para a indústria automotiva desde 1945, além de montar e distribuir automóveis e caminhões importados da Chrysler e da Volkswagen, enfrentava havia algum tempo grave crise quando resolveu diversificar sua atividade industrial. Os funcionários da Chrysler em greve nos Estados Unidos e a decisão da Volkswagen de abrir uma fábrica no Brasil acabaram piorando ainda mais a crise da empresa. Veio daí a opção pela produção de eletrodomésticos da linha branca, especificamente naqueles de refrigeração, um mercado que crescia muito no Brasil. A primeira responsabilidade de Hugo Miguel Etchenique Flores, um boliviano formado em engenharia industrial na tradicional Universidade de Maryland, foi com os setores de pintura e esmaltação das geladeiras que eram aqui montadas. Poucos anos depois, a empresa já estava produzindo refrigeradores e, em 1954, nasceu à marca BRASTEMP, em São Bernardo do Campo na região do ABC paulista. O nome era uma associação das palavras Brasmotor + temperatura, mas muitos afirmam também ser uma homenagem ao Brasil.

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Brastemp

http://mundodasmarcas.blogspot.com/2006/05/brastemp-no-tem-comparao.html

https://aletp.com.br/2007/01/brastemp-historia-da-marca/

Pirelli[editar | editar código-fonte]

A empresa foi fundada com o nome de G.B. PIRELLI & C. no dia 28 de janeiro de 1872 na cidade de Milão por Giovanni Battista Pirelli, um jovem engenheiro, então com apenas 24 anos, iniciando já no ano seguinte uma produção limitada de itens de borracha proveniente da Índia, como por exemplo, placas, correias e mangueiras em uma pequena fábrica de 1.000 m², que abrigava 40 operários e 5 empregados. Em poucos anos a PIRELLI iniciou a produção de todos os tipos de produtos derivados de borracha para os setores técnicos, industriais e científicos. Em 1879 teve início a produção de cabos para aplicações elétricas. O pneu PIRELLI, que tornaria a empresa e a marca tão conhecidas no mundo inteiro, nasceu em 1890 quando o departamento de borracha desenvolveu os primeiros pneus para bicicletas, conhecidos como MILANO. Em 1894, patenteou um novo método de produção que resolveu o nada simples problema que então existia de efetivamente manter o pneu preso na roda e ao mesmo tempo tornar mais fácil instalá-lo. Originalmente projetado para bicicletas, logo seria utilizado em carros e motocicletas.

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pirelli

https://www.pirelli.com/global/pt-br/road/pirelli-uma-historia-de-inovacao

http://mundodasmarcas.blogspot.com/2006/06/pirelli-fora-no-nada-sem-controle.html

Comentários sobre a fotografia[editar | editar código-fonte]

Werner Haberkorn estruturava suas fotografias de acordo com pontos importantes que queria transmitir ao espectador, pensando nisso ao observarmos a fotografia da Avenida Rubem Berta podemos observar sua intenção em destacar alguns aspectos interessantes que tornavam a imagem de São Paulo próspera, a caminho do futuro e um antro de novas oportunidades para o desenvolvimento.  Entre os aspectos destacados temos a verticalização da cidade, representada pelos prédios no fundo da foto. O processo de automobilização, a avenida faz parte do corredor norte-sul de São Paulo que é uma importante via expressa, inicia-se no Tucuruvi e termina no acesso à Avenida Interlagos, cruzando e interligando importantes bairros da cidade. Além disso, o corredor norte-sul cruza com outra importante via expressa que interliga a Radial Leste ao Elevado Presidente João Goulart, formando o eixo cruz do transporte metropolitano. A Avenida Rubem Berta representava a mobilidade proporcionada pela cidade, conectando as quatro extremidades da cidade. Outro aspecto destacado na fotografia era o desenvolvimento econômico demarcado pela grande quantidade de fachadas de lojas, propagandas, que tinham o intuito de evidenciar o sucesso econômico vivido pela cidade e por seus moradores.