Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vale Anhangabaú - S. Paulo Fotolabor 113

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vale Anhangabaú: S. Paulo Fotolabor 113 (metadados).

Lista de marcas identificadas[editar | editar código-fonte]

  • Companhia Industrial de Conservas Alimentícias (CICA)
  • Extrato de tomate Peixe
  • Goomtex
  • Philips

Pesquisa sobre marcas[editar | editar código-fonte]

Companhia Industrial de Conservas Alimentícias (CICA)[editar | editar código-fonte]

A Companhia Industrial de Conservas Alimentícias, popularmente denominada CICA, foi a maior multiprodutora agrícola brasileira, reconhecida principalmente pela marca de atomatados Elefante. O slogan famoso da empresa era: "Se a marca é CICA bons produtos indica". Em 1992 a CICA fechou seu complexo industrial em Presidente Prudente interior de São Paulo e em 1993, a CICA foi comprada pela Arisco, que por sua vez em 2000 foi adquirida pela americana Bestfoods, posteriormente incorporada à Unilever. O extrato de tomate Elefante continua a ser produzido no Brasil pela Cargill.

A empresa foi fundada em 1941, na cidade de Jundiaí, em São Paulo, como resultado da associação do banqueiro Alberto Bonfiglioli com as famílias Messina, Guerrazzi, Guzzo entre outras. Na década de 1970, a CICA produzia marmeladas e goiabadas na filial localizada na cidade de Delfim Moreira, no Sul de Minas Gerais.

A empresa foi adquirida em janeiro de 1993 pela Unilever, então Gessy Lever. A fábrica de Jundiaí foi fechada em 1998 e hoje parte da antiga fábrica é uma loja de materiais de construção, já a marca CICA foi extinta em 2003.Mas ainda se pode encontrar Polpa de Tomate Pomodoro, com a marca CICA nos supermercados.

Referências

CICA. Wikipédia, a enciclopédia livre. 4 de Julho de 2018.

Extrato de tomate Peixe[editar | editar código-fonte]

O extrato de tomate da marca Peixe é um produto tradicional das Indústrias Aliementícias Carlos de Britto S.A (fábricas Peixe), fundada em 1898 no município de Pesqueira. Foi a primeira unidade industrial instalada no Nordeste. No ano de 1904 mecanizou sua produção comprando tachos a vapor de fabricação inglesa, na época contratou dezenas de funcionários. A marca vendia produtos enlatados e em conserva como por exemplo: ervilha, palmito, goiabada, picles, entre outros, além de seu grande sucesso, o extrato de tomate.

Entre a década de 40 e 50, a marca entrou em decadência, sendo no ano de 98 comprada pelo Grupo Bombril-Círio em uma tentativa de recuperação, mas no mesmo ano a empresa foi fechada e todos funcionários demitidos. Sua melhor fase foi entre os anos de 1910 e 1930, sendo responsável por trazer prosperidade ao Município de Pesqueira, que chegou a ter aeroporto nacional, jóquei clube, revendedora de automóvel Ford e cinco jornais semanais.

Referências

Fábrica Peixe. PE-AZ, seu jornal de Pernambuco.

Goomtex[editar | editar código-fonte]

A Goomtex foi uma fábrica de capas de chuva e abrigos fundada na década de 20 no Brasil pelo alfaiate ucraniano David Zeiger, poucos anos após sua chegada no país com sua família. Nos anos 60, a Goomtex acabou sendo integrada a Pullsport, companhia também fundada por David, além sua esposa Mila Zeiger e os pais dela, David e Rachel Liberman.

Referências

David Zeiger. Wikipédia, a enciclopédia livre. 15 de Setembro de 2017.

Philips[editar | editar código-fonte]

Philips é uma empresa Holandesa com produtos voltados à tecnologia e produtos de consumo e estilo de vida. A empresa foi fundada na cidade de Eindhoven tendo sua sede posteriormente transferida para Amesterdã, ambas nos Países Baixos. A empresa começou produzindo lâmpadas de filamento de carbono e posteriormente envolveu-se nas primeiras experiências de televisão em 1925.

Referências

Philips. Wikipédia, a enciclopédia livre. 22 de Setembro de 2018.

Comentários sobre a fotografia[editar | editar código-fonte]

Werner Haberkorn fez uma serie de fotos na cidade de são Paulo, em sua maioria no centro, onde queria mostrar o crescimento urbano. Haberkorn fez uso de algumas técnicas como, planos de baixo para cima, para um aspecto de poder urbano/econômico; de longe, para enfatizar como os prédios e carros estavam por todos os lados.

Nesta foto, Werner Haberkorn optou por uma fotografia distante, que enquadrasse o máximo do Vale Anhangabaú, nos mostrando a beleza e a força que aquela imagem representava, quase como se a foto pudesse falar com o espectador. A movimentação presente na foto no século XX, passa a mesma ideia que temos hoje por São Paulo, uma cidade que nunca para, que nunca dorme, um organismo vivo.

Pode-se observar também que Haberkorn fez uso de um enquadramento que não inclui todo conjunto do prédio que toma quase a metade da foto, trazendo o diferencial da fotografia para a pintura, em que o fotografo quer mostrar um olhar que captura o urbanismo, o movimento e a natureza, agindo juntos.