Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Praça de Paris

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Praça de Paris - Rio de Janeiro (metadados).

Lista de marcas identificadas[editar | editar código-fonte]

  • Esso
  • Novo Mundo


Esso[editar | editar código-fonte]

Em 1880, em Londres, dezessis refinadores originaram a empresa Oil Company. Em 1898, a organização Oil de Nova Jersey, conhecida atualmente por Exxon Mobil Corporation, adquiriu uma participação dominante nos lucros da marca “Esso” e passa a ser um nome comercial da empresa norte americana Exxon Mobil Corporation. O nome “Esso” era uma abreviação fonética escrita do nome da empresa Standard Oil (S.O), que por conta de processos jurídicos que a marca se encontrava, passa a ser substituída, mais tarde, nos Estados Unidos por Exxon. Na virada do século, a empresa era uma das maiores produtoras e distribuidoras de querosene, pegando impulso no grande processo dos Estados Unidos na época.

No Brasil

A marca se instalou no Brasil, em 1912, com o nome Standard Oil Company of Brazil e foi precursor na distribuição de produtos de petróleo. A Esso marcou sua carreira no Brasil com diversas iniciativas pioneiras, como as primieras instalações de bomba de rua, construção do primeiro caminhão-tanque no pai, foi a primeira empresa que patrocinou um programa jornalístico no Brasil, o Reporter Esso. Em 2011, a marca sai do mercado devido à fusão com a Shell (empresa petrolífera), por conta de motivos econômicos.


Referências

ESSO, site oficial < https://www.esso.ca/en/esso-history>. Acesso em 12/09/2018

ESSO. Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Esso>. Acesso em 12/09/2018

MACEDO, Paulo (02/03/2011). Disponível em <https://exame.abril.com.br/marketing/esso-deixa-mercado-depois-de-99-anos/>. Acesso em 12/09/2018

MARCAS, Mundo das (07/06/2006). Disponível em <https://exame.abril.com.br/marketing/esso-deixa-mercado-depois-de-99-anos/>. Acesso em 12/09/2018

Novo Mundo[editar | editar código-fonte]

O Hotel Novo Mundo teve o início da sua construção no ano de 1947 e foi inaugurado em 1950, com principal finalidade de receber a delegação da Copa do Mundo. Só funcionou até o oitavo pavimento e posteriormente fora construídos os quatro outros andares. É localizado em frente ao Parque do Flamengo e ao lado do Palácio do Catete (atual Museu da República). É referência até os dias atuais e recebeu e ainda recebe políticos e famosos de todo o mundo.

Em 2014, houve a inauguração do Panamera Bistrô, um ambiente com o melhor da gastronomia internacional, trazendo uma vista magnífica que reúne o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor e a Baía da Guanabara.

Referências

Mundo, Novo, site oficial. Disponível em <http://www.hotelnovomundo.com.br/nossa-histoacuteria.html>. Acesso em 17/11/2018

Rio, Diário do (06/10/2016). Disponível em <https://diariodorio.com/historia-do-hotel-novo-mundo/> . Acesso em 17/11/2018

Mundo, Novo, Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Hotel_Novo_Mundo> . Acesso em 17/11/2018

Comentários sobre a fotografia[editar | editar código-fonte]

A fotografia mostra a Praça de Paris- Rio de Janeiro , um lugar turistico da cidade. A estrutura e arquitetura mostrada na fotografia de Werner Haberkorn se assemelha aos projetos e arquitetura de Paris, encantando os cariocas durante o século XX e até os dias atuais.

De acordo com Solange Ferraz de Lima em seu artigo “ A Cultura Metropolitana nas Fotografias de Werner Haberkorn”, os temas de urbanzanização e verticalização são de grande destaque em suas fotografias, principalmente no Vale do Anhagabaú, em São Paulo. Já no Rio de Janeiro, destaca-se a verticalização e a fusão entre elementos urbanos e naturais da cidade, trazendo para as fotos diversos elementos visuais que apresentam ampla dimensão de sobre o território.

As cores encontradas na fotografia de Haberkorn trazem uma nostalgia, o monuemto ativa memorias e constrói uma personalidade. No livro “Como Pensam as Imagens” de Etienne, fala que as imagens tem o poder de remeter lembranças e momentos já vividos. Sendo assim, a Praça de Paris, no Rio de Janeiro tem uma lembrança social e significado que tende a ser imortalizado.


Referências

SAMAIN, Etienne - Como Pensam as Imagens. 1ª edição. Editora Unicamp / 2012

LIMA, Solange - A Cultura Metropolitana nas Fotografias de Werner Haberkorn / 2014