Logística/Sistemas de distribuição/Carga de veículos

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No processo de projecto de embalagem tem que se ter em especial atenção a cubagem:

É comum o uso de tabelas de preços de transporte pelas transportadoras rodoviárias. Estas tabelas transmitem informação ao cliente sobre o preço que será cobrado no transporte da mercadoria, conhecido como “Taxa do transporte”. Geralmente esta tabela contem: taxa de transporte peso ( este valor é calculado de acordo com peso real da mercadoria ou pelo seu peso cubado); taxa de transporte valor (segundo o valor da mercadoria incluindo o ad valorem e taxas de coleta, entrega e portagem) e gestão de risco ( utilizando a localização do veiculo em tempo real e escolta de acordo com o valor da carga). Qualquer mercadoria que seja destinada ao transporte ocupa um espaço dentro do veículo, espaço esse que é denominado: volume como se pode ver na figura 1. Este volume deve ser calculado e passado ao cliente através de cálculo de cubagem. A cubagem tem grande importância visto que desta maneira empresa lucra com o volume ocupado pela mercadoria dentro do veiculo e não só com o peso real desta, visto que na maioria dos casos o peso não é proporcional ao tamanho da embalagem (Silva et al., 2005, p. 1).

Figura 1. A pedra tem volume 3.

O principal objectivo da cubagem no transporte é prevenir que todo o espaço físico do veiculo seja ocupado sem que se consiga utilizar toda a sua capacidade em peso (toneladas). Para exemplificar o que foi dito antes, o transporte de uma caixa de 1 m3 contendo algodão e o transporte da mesma caixa mas desta vez com uma televisão de vinte e nove polegadas, com este exemplo simples e didáctico consegue se demonstrar facilmente a relação existente entre peso x volume, tendo em conta que a televisão de 29 polegadas possuí um peso bastante maior que que o algodão e os dois ocupam o mesmo e volume no veículo (1 m3). Segundo Bowersox (Ano: 2001, p. 3) quando a capacidade volumétrica do veiculo atingir o seu máximo, não possível aumentar a quantidade a ser transportada ainda que a carga seja leve. Utilizando este conceito a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística aconselha que as taxas básicas por tonelada sejam calculadas considerando cargas cuja densidade permita ao veículo prnecher a sua capacidade de peso bruto antes de preencher a sua capacidade volumétrica. Também segundo a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística existe especificamente para cada veículo ou mesma categoria de veículos uma densidade ideal que corresponde à capacidade de carga líquida dividida pelo volume do compartimento de carga. Desta forma, temos com exemplo, um veículo de transporte de mercadorias preparada para carregar 15 t de peso e 50 m3 de capacidade volumétrica, irá ter a sua densidade ideal igual a 300 m3, ou também com exemplo uma carrinha de reboque cuja capacidade de carga é: 27 t de peso e 90 m3 de volume irá ter uma densidade ideal de 300 kg/m3. Logo foi definido que quando a densidade de uma mercadoria é igual 1 kg/m3 o seu factor de cubagem irá ser de 300.

Para se poder calcular o peso cubado necessita-se das medidas do produto a ser cubado: altura, comprimento e largura. Em seguida calcula-se o volume (altura*largura*comprimento) e multiplica-se o mesmo por 300 (factor referido anteriormente). Para demonstrar o calculo anterior temos com exemplo uma mercadoria com 0,60cm de altura; 0,23cm largura e 0,62cm de comprimento, com peso bruto de 8 Kg segundo a nota fiscal. Segundo o cálculo representado a baixo Ira ter um peso cubado de 25,66 Kg.

0,60 x 0,23 x 0,62 x 300 = 25,66 kg

Como se pode observar se esta mercadoria não fosse cubada a empresa se transportes iria perder 17,66 Kg por embalagem ( 25,66Kg-8Kg) o que iria acabar num enorme prejuízo para a empresa, pois como já tinha sido referido no início, a transportadora aplicava a sua tabela de preços tendo em consideração unicamente o peso real da mercadoria (taxa sobre o peso).

Calculo de cubagem para o transporte aéreo (VEXTRA):

No transporte aéreo, por regulamentação IATA, uma aeronave acomoda 166,66 kg em 1 metro cúbico, ou seja, a relação de peso/volume é de 1:6. Por exemplo uma caixa de mercadoria com 0.40 m de altura, 0.40 m de comprimento e 0.40 m de largura e com um peso bruto de 5 kg ira ter um peso cubado de 10.66 segundo o calculo abaixo:

0.40 x 0.40 x 0.40 x 166.66 = 10.66

Calculo de cubagem para o transporte marítimo:

No transporte marítimo, por convenção 1 tonelada e igual a 1m³. Retomando os exemplos dados, vamos observar como fica a relação Peso Bruto e Peso Cubado no transporte marítimo: Por exemplo uma caixa de mercadoria com 0.40 m de altura, 0.40 m de comprimento e 0.40 m de largura e com um peso bruto de 5 kg.

0.40 x 0.40 x 0.40 x 1 = 1 tonelada

No caso do transporte marítimo, a conta é ainda mais simples. Considera-se que sempre 1 metro cúbico é igual a 1 tonelada. No caso da caixa será cobrada a tarifa mínima, que pode variar entre meia tonelada e 1 tonelada, de acordo com a companhia marítima a ser utilizada logo neste caso consideramos que a tarifa a utilizar iria ser a de uma tonelada visto que o peso real cubado iria ser de 0.064 toneladas.

Figura 2. Caminhão de Carga.

A cubagem e uma ferramenta imprescindível no transporte rodoviário visto que considera o volume e não apenas o peso real ocupado pela mercadoria na viatura de transporte como a a viatura da figura 2, e para isso calcula o volume excedente torna-o em peso cubado para que a empresa consiga manter uma margem de lucro com os transportes. Quando se realiza a cubagem deve se ter em atenção que não se esta a cubar somente uma mercadoria mas sim varias mercadoria ao dia, por mês e por ano e tendo isso em conta a cubagem a longo prazo transforma-se numa ferramenta essencial na facturação das empresas de transporte. Embora a cubagem seja tão essencial para as empresas hoje em dia muitas transportadoras não utilizam a cubagem como um factor importante e acabam por utilizar a cubagem somente quando os seus colaboradores julgam a aparência da embalagem o que vai resultar numa perda de facturação por não cubarem as suas cargas. A única coisa que as empresas tem que fazer é simplesmente investir em equipamentos que já estão disponíveis no mercado, equipamentos esses que devem ser usados para medir e pesar a carga aumentando assim os lucros visto que estão a acrescentar mais uma estratégia de mercado à empresa (Silva et al., 2005, p. 1).