Logística/Gestão de armazéns/Operação de um armazém/Oportunidades de melhoria nas operações

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Há muitas oportunidades de melhoria nas operações de armazenagem, que podem tornar mais eficientes as operações de processamento e expedição das encomendas num armazém. Nessas oportunidades estão incluídas actividades, tais como, a separação e preparação de pedidos, cross-docking, produtividade, utilização do espaço e serviços de valor acrescentado.

  • Melhorar as operações de separação e preparação de pedidos. A separação e preparação de pedidos é considerada a operação onde a empresa despende a maior parte do seu tempo e dinheiro, tentando com isso melhorar a sua produtividade. Ter uma separação e preparação de pedidos bem sucedida é fundamental para o bom funcionamento do armazém. Por esse motivo, é legítimo dizer que os requisitos das cadeias logísticas, hoje em dia, levam as operações de armazém a desenvolver melhores soluções para a separação e preparação de pedidos.
  • Utilização do cross-docking. O cross-docking pode ocorrer a vários níveis, seja no produtor, distribuidor, retalhista ou transportador. Os requisitos são diferentes, variando para cada operador, isto porque, enquanto uns enviam as encomendas para serem cross-docked, outros recebem encomendas cross-docked. O receptor solicita que as encomendas cheguem ordenadas e etiquetadas, enquanto que o expedidor, para ir de encontro dos requisitos do receptor, tem de realizar o processo de separação e preparação dos pedidos mais detalhadamente.
  • Aumentar a produtividade. No passado, a produtividade estava directamente relacionada com o «fazer mais rápido, com menos pessoas». A maximização da utilização de espaço, equipamento e mão-de-obra sempre foi o primeiro objectivo da armazenagem. Isto implica que a produtividade não está apenas relacionada com o desempenho da mão-de-obra, mas também com o espaço, equipamento e uma combinação de factores que contribuem para aumentar a produtividade.
  • Utilização de espaço. Quando um armazém atingia 80% da sua capacidade de ocupação, chegava-se à conclusão de que era necessário mais espaço, porque, com essa ocupação, arrumar um produto tornava-se mais demorada. Se ocorre um aumento do tempo de encontrar um local para arrumar um produto, o armazenamento adequado do produto vai-se deteriorando. Itens com pouca saída são guardados em localizações para produtos com muitas movimentações e estes são guardados em localizações para produtos com pouca saída. Isto dá origem a uma diminuição na produtividade e um aumento de estragos e enganos, tudo por má utilização de espaço.
  • Aumentar os serviços de valor acrescentado. O papel dos armazéns já não se restringe apenas à recepção e expedição. Esse papel foi alargado, incluindo serviços que permitem que as operações no armazém de recepção se tornem mais eficientes, beneficiando o cliente. Seja a nível da pré-separação e da etiquetagem dos produtos para um eventual cross-docking ou de uma personalização do produto a expedir, os requisitos dos clientes estão cada vez mais exigentes.

Individualmente ou combinadas, as oportunidades descritas anteriormente, podem ser encontradas na maioria dos armazéns. Alterou-se, assim, a definição antiga de que o armazém é um local apenas para armazenar, reconfigurar e diminuir prazos de entrega. O armazém tornou-se muito mais complexo e totalmente movido pelas novas tecnologias (Tompkins et al., 2003, p. 403-404).