Logística/Gestão de armazéns/Armazenagem partilhada

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Alguns gestores de armazéns, com o objectivo de reduzir a necessidade de espaço da armazenagem dedicada, utilizam uma variação da armazenagem dedicada em que a atribuição dos produtos aos espaços é gerida criteriosamente. Produtos diferentes utilizam o mesmo espaço de armazenagem, ao longo do tempo, ainda que só um produto utilize o espaço, quando ele está ocupado.

Para melhor se compreender a armazenagem partilhada, considere-se a chegada de 100 paletes de um dado produto com muita procura, para ser armazenado, para em que as paletes serão retiradas e expedidas a uma taxa de 5 paletes dia, durante 20 dias.

Utilizando a armazenagem aleatória, são seleccionados aleatoriamente 100 espaços de armazenagem vazios para o produto, sem se dar importância a que é um produto com muita procura. Cada vez que uma palete é retirada do armazém, o espaço fica disponível para ser utilizado pelo próximo produto a ser armazenado.

Se for utilizada a armazenagem dedicada, deve haver, pelo menos, 100 espaços vazios disponíveis, entre os melhores locais de armazenagem atribuídos ao produto com muita procura. Cada vez que é retirada uma palete do armazém, é criado um espaço vazio que não é preenchido até que chegue uma próxima carga do mesmo produto.

Com a armazenagem partilhada, mesmo para um produto com muita procura, cada palete tem um tempo diferente de permanência em armazém. É possível que cinco paletes estejam armazenadas apenas um dia, enquanto outras cinco paletes do mesmo lote ficam armazenadas 20 dias dependendo da quantidade de produto em armazém no momento em que chega uma carga. Do ponto de vista dos locais de armazenagem, cinco paletes parecem ser produtos com muita procura, as restantes paletes são como produtos com procura média ou reduzida. A armazenagem partilhada reconhece e tira partido do facto de cada uma das paletes permanecer no armazém diferentes períodos de tempo diferentes (Francis et al., 1992, p. 287-288).