Introdução à Química/Introdução

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dewargefäß.jpg

Pode até parecer simples, mas explicar em poucas palavras o que é química é bem difícil. Na verdade, boa parte dos profissionais da área não se preocupa em conceituá-la, já que a melhor forma de entender a química é vivê-la.

Bem vindo!

Várias formas de entender a química[editar | editar código-fonte]

A forma mais comum de definir química é como uma ciência que trata das substâncias da natureza, dos elementos que a constituem, de suas características, de suas propriedades, de processos de obtenção, de suas aplicações e de sua identificação. Mas talvez seja difícil de entender isto logo de início.

Podemos pensar a química como a atividade de qualquer pessoa que esteja preocupada em entender a matéria, que é o que forma tudo o que conhecemos. Isso é sempre feito de duas formas, perfeitamente combinadas: intervindo na matéria, ou seja, tentando transformar um material ou interagir com ele, e pensando sobre como a matéria é formada e transformada. Isso quer dizer que sempre que você procurar explicações para o comportamento de um material ou, ao contrário, usar uma ideia para transformá-lo ou manipular suas propriedades - e com isso gerar mais conhecimento - você estará fazendo química.

O micro tenta explicar o macro[editar | editar código-fonte]

Quando você observa um material e estuda suas propriedades - como cor, cheiro, densidade, condutividade térmica e elétrica, estado físico - está vendo, na verdade, os aspectos macroscópicos da matéria. Também é importante manter um certo controle sobre as observações (por exemplo, a cor de um material pode variar de acordo com a luz do ambiente). Chamamos a isto de controle de variáveis.

Veja que a química se utiliza de vários fenômenos ligados à física. Embora seja muito comum tentar diferenciar os fenômenos físicos e químicos, mais uma vez os conceitos são limitados e pouco úteis.

Portanto, é preciso conhecer a matéria para transformá-la, e ter esse poder de transformação é muito importante, pois nos permite criar materiais mais bonitos, mais confortáveis, menos poluentes, capazes de curar doenças, mais resistentes, mais baratos, etc. Esse conhecimento envolve também um nível microscópico, que não pode ser observado, mas que tenta descrever o que forma a matéria.

A química impressiona nossos sentidos[editar | editar código-fonte]

O queijo quando transformado pela ação química do fungos, adquire sabor e odor diferenciado.

Mais adiante, quando discutirmos a constituição da matéria, voltaremos à relação entre os níveis macroscópico e microscópico. Por hora, o mais importante é despertar a curiosidade que naturalmente trazemos conosco. Uma das nossas primeiras sensações no nascimento é que o mundo é cheio de coisas, cheio de matéria. A química tenta responder às perguntas sobre a natureza da matéria. Percebemos de maneira intuitiva as transformações químicas e físicas. Somos sensíveis aos fenômenos como a luz, o calor (temperatura), a distância, o tempo, a força e quando uma combinação destes fenômenos age sobre a matéria, esta matéria é modificada de algum modo. Quando cortamos um pedaço de queijo, o produto resultante possui as mesmas propriedades: sabor, cor, textura... os pedaços cortados são do mesmo tipo de queijo, apesar de serem mais leves e mais fácil de serem comidos. Porém, após certo tempo, o sabor e a cor podem se alterar, e o queijo já não é o mesmo: se estragou. Uma vez comido, o queijo interage de diversas formas com nosso organismo para fornecer nutrientes e também energia. Por que tudo isso acontece? Pense sobre isso e iniciaremos o entendimento do Universo através das lentes da química.

Referências[editar | editar código-fonte]