Iniciação à Pesquisa Científica em Saúde /REPOSITÓRIO DE EXERCÍCIOS RESOLVIDOS/ Exercício 23: Perda de sangue no parto

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Questão 23: Perda de sangue no parto[editar | editar código-fonte]

Durante o parto, a dequitação da placenta acarreta uma perda sanguínea, para a qual o organismo materno preparou-se durante a gestação. No entanto, caso o nascimento ocorra por cesariana, é adicionada quantidade de perda relativa ao procedimento cirúrgico. Considerando-se que a perda média de sangue no parto normal é 0,48±0,29 litros e no parto cesariana é de 0,95±0,32 litros, responda:

Sangue.jpg

a) Construa um histograma de frequência para a perda sanguínea no parto normal e no parto cesariana, baseando-se nas propriedades da distribuição normal

b) Calcule e compare o Coeficiente de Variação, nas duas vias de parto

c) Uma mulher submetida à cesariana que perdeu 2 litros de sangue teve uma perda esperada para o parto? compare a perda dela à do parto normal e à da cesariana.

Resposta da questão:[editar | editar código-fonte]

a)    Construa um histograma de frequência para a perda sanguínea no parto normal e no parto cesariana, baseando-se nas propriedades da distribuição normal:

 Baseando-se nas propriedades de distribuição normal, a área que corresponde ao acréscimo e o decréscimo de um desvio-padrão ao valor da média representa 68,26% do conjunto analisado. Já o acréscimo e decréscimo de dois desvios-padrão corresponde a 95,44% do conjunto e, três desvios-padrão correspondem à 99,73% do conjunto.

Parto Normal.jpg
Parto Cesariana.jpg

Sendo assim, de acordo com os dados sobre o parto normal:

  • 68,26% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre 0,19L e 0,77L.
  • 95,44% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre -0,1**L e 1,06L.
  • 99,73% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre -0,39**L e 1,35L.
  • 99,994% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre -0,68**L e 1,64L.

Da mesma forma, conclui-se sobre os dados do parto cesariana:

  • 68,26% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre 0,63L e 1,27L.
  • 95,44% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre 0,31L e 1,59L.
  • 99,73% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre -0,01**L e 1,91L.
  • 99,994% das mulheres tiveram uma perda sanguínea entre -0,33**L e 2,23L.

**A variação da quantidade de sangue perdido no parto normal é grande (cerca de 60,42%) e na cesariana também (aproximadamente 33,68%). Os valores extremos influenciam a média da distribuição para mais próxima do seu valor e causam um aumento no valor do desvio padrão, que pode ser inclusive tão grande ou maior que a média. Por isso, é possível que ocorra valores negativos na subtração dos desvios-padrão. Na prática, isto não significa muito (valores negativos seriam como receber sangue no parto, em vez de perder, o que não é possível na prática). Isso possivelmente é um indício que a distribuição não seja normal, entretanto o exercício proposto exige que assuma que seja, de fato, uma distribuição normal.  

b) Calcule e compare o Coeficiente de Variação, nas duas vias de parto

O coeficiente de variação é uma medida de dispersão relativa, empregada para estimar a precisão de experimentos e representa o desvio-padrão expresso como porcentagem da média. Sua principal qualidade é a capacidade de comparação de distribuições diferentes.  Ele é expresso comparando-se o desvio-padrão, representado por , com a média, representado por .

Os valores do coeficiente de variação encontrados para as duas vias de parto foram:

  • Parto normal: 60,41667%
  • Parto cesariana: 33,68421%

Ao se interpretar estes valores pode-se afirmar que, na primeira distribuição, em média, os desvios relativamente à média atingem 60,42% do valor desta. Na segunda distribuição, porém, os desvios relativamente à média atingem, em média, 33,68% do valor desta. As percentagens mostram o peso do desvio padrão sobre a distribuição. O coeficiente de variação deve ser interpretado como a variabilidade dos dados em relação à média. Quanto menor for o coeficiente mais homogêneo será o conjunto de dados.

A média de perda de sangue no parto cesariana é maior, entretanto, esse grupo apresenta uma menor variabilidade em torno da média do que o grupo em que foi realizado o parto normal. O coeficiente de variação capta essa diferença e permite essa comparação entre os dois grupos.

c)    Uma mulher submetida à cesariana que perdeu 2 litros de sangue teve uma perda esperada para o parto? Compare a perda dela à do parto normal e à da cesariana.

Através de um resultado de estatística matemática conhecido como Desigualdade de Chebschev pode-se obter a seguinte regra:

"Para a maioria dos conjuntos de dados, 80% dos dados estão no intervalo centrado na média com amplitude de 4 desvios-padrão. Poucas observações estão além de dois desvios-padrão e raramente há uma observação além de 3 desvios-padrão."

Sendo assim, uma perda de 2L de sangue em um parto cesariana estaria entre 3 e 4 desvios-padrão, o que seria uma observação rara. O percentual do conjunto que é esperado nessa faixa em uma distribuição normal é de 0,624%. Portanto, esse valor não é uma perda de sangue esperada para a via de parto cesariana.

Caso a via de parto fosse a normal, o valor excederia o de 4 desvios-padrão, o que em uma curva de distribuição normal representa apenas 0,003% do conjunto observado, sendo, portanto, um evento não esperado também e ainda mais raro.

Indexadores do tema deste exercício[editar | editar código-fonte]

Estatística descritiva

A distribuição normal(Gaussiana)

Síntese numérica de um conjunto de dados sobre saúde

Medidas de tendência central

Medidas de variabilidade

Coeficiente de variação

Bibliografia utilizada[editar | editar código-fonte]

SOARES, José Francisco; SIQUEIRA, Arminda Lucia. Introdução à Estatística Médica, 1ª Edição. Belo Horizonte: Departamento de Estatística -  UFMG, 1999

VOLTAR À PAGINA PRINCIPAL[editar | editar código-fonte]