História do Brasil/O governo de Rodrigues Alves

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Retrato de Rodrigues Alves

Rodrigues Alves assumiu a presidência da República em 15 de novembro de 1902, substituindo Campos Sales. O seu vice foi Silviano Brandão, mas, como este faleceu, foi substituído por Afonso Pena.

No seu governo ocorreu a campanha de vacinação obrigatória contra a varíola, promovida por Osvaldo Cruz, médico sanitarista e ministro da Saúde. A obrigatoriedade da vacinação provocou a Revolta da Vacina, em 1904, com a adesão dos alunos da Escola Militar da Praia Vermelha, que acabou sendo fechada. Rodrigues Alves também promoveu os planos do prefeito do Rio de Janeiro Pereira Passos de remodelamento da cidade, melhoria das estradas de ferro e a construção do Teatro Municipal. Houve também o Convênio de Taubaté, em que os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro decidiram que o Governo Federal comprasse e estocasse as sacas de café para evitar a queda de preço. Também determinaram um imposto de três francos por saca exportada.

A administração de Rodrigues Alves dispunha de muito dinheiro, já na época estava acontecendo o ciclo da borracha, que estava em seu auge. Em 1903 Rodrigues Alves comprou o Acre da Bolívia, pelo Tratado de Petrópolis, processo conduzido pelo diplomata José Maria da Silva Paranhos Júnior (barão do Rio Branco).

Rodrigues Alves deixou a presidência da República em 15 de novembro de 1906, sendo substituído por Afonso Pena.

Em 1 de março de 1918, foi eleito para o seu segundo mandato como presidente, mas não tomou posse, pois contraiu Gripe Espanhola e morreu em janeiro de 1919. Foi substituído por Delfim Moreira.