História do Brasil/A proclamação da República

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Proclamação da República", 1893, óleo sobre tela de Benedito Calixto

A Proclamação da República Brasileira foi um golpe de Estado político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889 que instaurou a república presidencialista no Brasil, encerrando a monarquia, destituindo D. Pedro II, que partiu para a Europa. A proclamação ocorreu na atual Praça da República na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil, quando um grupo de militares liderados por Manuel Deodoro da Fonseca destituiu o imperador e assumiu o poder no país, instituindo um governo provisório republicano.

Na época da proclamação, houve muitos fatores que fizeram o império a perder seus apoios, como a Questão Religiosa e a perda do apoio político dos fazendeiros após a abolição da escravatura. O imperador, já muito velho, não tinha filhos para herdar o trono, apenas filhas. Pela linha de sucessão, o trono seria ocupado pela princesa Isabel, casada com um francês, o que gerou um receio de que o país seria governado por um estrangeiro. Os militares estavam se sentindo desprestigiados e desrespeitados.

Houve vários grupos republicanos, influenciados pelas ideias positivistas e pela maçonaria. No amanhecer de 15 de novembro, o Marechal Deodoro foi convencido a liderar o movimento. Os revoltosos ocuparam o quartel-general do Rio de Janeiro e depuseram o gabinete ministerial. Na tarde do dia 15 de novembro, foi solenemente proclamada a República. Quando o imperador soube disso, não ofereceu resistência e partiu para a Europa junto com a Família Imperial, só lhes sendo permitida sua volta ao Brasil em 1920.