Guia dos Trouxas para Harry Potter/Magia/Varinha

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Varinha
  • tipo = Objeto
  • características = Lança feitiços, aumenta o poder dos bruxos.
  • Aparece pela Primeira Vez === A Pedra Filosofal ===

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

O método principal de fazer magia na série precisa do uso de uma varinha. A varinha serve para focar e amplificar a energia mágica presente no bruxo.

Descrição Estendida[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

As varinhas são feitas tipicamente de madeira com o miolo de algum material mágico; ouvimos falar de varinhas que possuem penas da cauda de fênix, pelo da cauda de unicórnio, fibras de coração de dragão e cabelo de Veela, mas com certeza, devem existir muitos outros materiais possíveis.

Quando um bruxo vai comprar uma varinha, deve experimentar combinações diferentes de madeiras e de miolos e também dos comprimentos, até que encontre a varinha apropriada para ele. Uma coisa que é falada e repetida, é que “a varinha escolhe o bruxo”; a combinação especial da madeira e do miolo mágico, além de outros detalhes de sua manufatura, fazem uma varinha ideal para um bruxo em particular, e é muito difícil, se não impossível adivinhar que tipo de varinha um determinado bruxo estará mais apto a usar. Já foi sugerido que o comprimento da varinha depende da altura da pessoa (uma vez que a varinha de Hagrid é a mais longa que ouvimos falar), a madeira depende do signo astrológico da pessoa e da personalidade, enquanto que o miolo da varinha também reflete a personalidade do usuário. É claro que, para cada sugestão, podemos encontrar outros exemplos. No inicio ficamos sabendo que é muito difícil usar a varinha de outra pessoa; e Harry descobre por si mesmo, no último livro, que isso é verdade.

É possível fazer alguma magia sem a ajuda da varinha, mas essa magia é, em geral, espontânea e encontrada apenas em crianças não treinadas. É dessa maneira que Harry, consegue fazer seu cabelo voltar a crescer, depois que os Dursleys o cortaram, foi assim que ele acabou em cima do telhado da escola quando Dudley e sua gang o estavam caçando, e foi assim que ele libertou a cobra no zoológico. Parece que essa magia acidental, aparece em momentos de grande estresse.

Muito poucos feitiços, que podem ser feitos de maneira controlada sem a varinha, foram mostrado. Entre eles, a transformação em Animago e o transporte através do Flu (que embora não precise da varinha, precisa do Pó de Flu). Não temos certeza de que Aparatação e Desaparatação precisa do uso da varinha, uma vez que não é indicado nenhum gesto; nós nunca vimos nenhum bruxo aparatando sem varinha (a aparatação lado a lado, como quando Hermione carrega Harry com sua varinha quebrada, não conta, porque Harry não está aparatando, mas apenas usando o feitiço de outra pessoa). Os elfos domésticos, entre outros, não possuem varinhas e mesmo assim podem aparatar, embora seu tipo de magia parece ser de outra classe, diferente da magia humana.

Análise[editar | editar código-fonte]

Parece haver um número muito limitado de bruxos que produzem varinhas, e eles todos têm seus próprios ingredientes e suas próprias técnicas. O único artesão de varinhas que conhecemos diretamente é Mr. Ollivander que é o proprietário da loja de varinhas no Beco Diagonal. Mr. Ollivander usa apenas três tipos de miolos mágicos para suas varinhas: penas da cauda de fênix, pelo de unicórnio e fibra de coração de dragão. Outros artesãos usam outros materiais; por exemplo, a varinha de Fleur é feita com fio do cabelo de Veela, um material que Ollivander não usa, porque acha que feita com ele, a varinha ficará muito temperamental.

Ollivander identifica imediatamente, a varinha usada por Viktor Krum como uma “criação de Gregorovitch”; embora ele não dê muita atenção ao estilo, parece achar que é uma varinha bastante boa. Sua imediata identificação e sua discussão sobre o estilo da varinha, indicam que ele conhece bem o estilo de outro artesão, se é que não o conhece pessoalmente; isso também indica que essa é uma comunidade muito restrita.

As varinhas são feitas de quase todo tipo de árvore, e a autora escolheu a madeira para a varinha de cada personagem, baseada em sua conotação simbólica. A varinha de Harry, por exemplo, é de azevinho, que é conhecido por repelir o mal. Azevinho também representa proteção, alegria, felicidade, masculinidade e a superação da raiva. Os cristãos também acreditam que a santa cruz foi feita de azevinho. A palavra em inglês para santa é holy e para azevinho é holly. A varinha de Viktor Krum é feita de choupo-branco, uma madeira que representa força, teimosia, paixão, força moral, ética e lealdade. Também é associada à pessoa que pode ser considerada o “sal da terra”, um homem da terra ou um homem comum. Jacarandá é a madeira da varinha de Fleur Delacour, ela representa beleza interior, delicadeza e gratidão. A varinha de Cedric Diggory feita de Freixo, simboliza adaptabilidade, prudência, modéstia, sacrifício e sensibilidade.

Não é só a madeira, porém, que dá poder à varinha. Presume-se que o miolo, magicamente se funde à madeira onde está colocado, ativando o poder da varinha. Também parece que as varinhas se tornam sensíveis, criando uma ligação com o bruxo que partilham as mesmas qualidades. Criaturas mágicas são a fonte dos materiais do miolo das varinhas; as varinhas de Mr. Ollivander contém apenas pelo de unicórnio, pena de fênix ou fibra de coração de dragão, mas outros artesãos colocam outras substâncias.

A varinha de Harry contém uma pena de fênix. Uma fênix é um pássaro mítico que continuamente morre dentro do fogo e depois ressurge de suas próprias cinzas, num ato que simboliza ressurreição e pureza. A varinha de Krum contém fibra de coração de dragão, e embora o dragão é, as vezes associado ao mal e destruição, em muitas culturas ele representa qualidades como força, sabedoria, purificação, renovação e poder. O pelo de unicórnio no miolo da varinha de Cedric representa pureza, inocência, lealdade e a natureza dual da pessoa (mal e bem). A varinha de Fleur confirma as suspeitas de Ron, de que ela é em parte Veela. O cabelo que forma o miolo de sua varinha pertenceu a sua avó que era Veela, o que torna Fleur um quarto Veela. Esse miolo é aparentemente pouco usual; Mr. Ollivander parece se surpreender quando o vê, e parece refletir sobre a natureza mais temperamental e volátil das Veelas. Como foi visto antes nesse livro, a aparência real das Veelas é muito diferente da imagem que elas projetam. Embora Fleur seja certamente linda e atraente, não sabemos muito sobre seu caráter mais profundo; o momento em que descobrimos o miolo de sua varinha é a única oportunidade que temos de ver a reação dela, que faz um ar forçado com as sobrancelhas erguidas ao saber que terá que aceitar o “garotinho” Harry como competidor no Torneio Tribruxo. O cabelo de Veela pode também representar transformação, adaptabilidade e até engano e sedução. Uma vez que esse cabelo pertence a alguém muito ligada à Fleur, pode simbolizar o poder da família, sucessão familiar, unidade e lealdade.

As varinhas de Ron e Hermione também precisam ser comentadas. A de Hermione é feita de videira e contém o miolo de fibra de coração de dragão. A videira representa generosidade, renovação e também emoções extremas como alegria e raiva. A primeira varinha de Ron era de seu irmão Charlie, era de freixo e pelo de unicórnio. Sua segunda varinha, aquela que provavelmente o escolheu, era de salgueiro e pelo de unicórnio. O salgueiro está associado a aprendizagem e conhecimento, crescimento pessoal, cura e repelir o mal. Também pode representar a morte e o luto. Embora as varinhas tipicamente sejam menos eficientes quando não escolheram o dono, ou não tenham sido capturadas de outro bruxo, presumivelmente quando a varinha já pertencia a outro membro da família, ela possui lealdade ao parente próximo do mesmo sangue, nesse caso a Ron.

Um bruxo, em geral, possuirá uma única varinha durante um longo tempo, especialmente porque assim ela funciona melhor para ele; e porque um bruxo se torna muito fraco sem sua varinha, ela o protegerá. Isso permite que uma varinha seja usada como forma de identificação. Vemos um exemplo disso no último livro, quando Hermione disfarçada como Bellatrix, usou a varinha capturada dela, para provar sua identidade para o goblin em Gringotes

Um fato pouco conhecido na trama, é que as madeiras usadas nas varinhas de Harry, Ron e Hermione correspondem a algumas variantes do Calendário Céltico das Árvores, que é dividido em treze períodos lunares. Cada um é representado por uma madeira diferente. The author has indicated A autora comentou que por acaso, ela escolheu a Madeira apropriada para a varinha de Harry usando esse calendário; Harry, tendo nascido em 31 de julho, recebeu a varinha feita de azevinho.Similarly, Da mesma forma, ela escolheu espinheiro para a varinha de Draco Malfoy, sem imaginar que isso combinava com o aniversário dele. Ela disse que nem todas as varinhas são selecionadas com a tabela Céltica; a varinha de Hagrid, por exemplo, pelo aniversário dele deveria ser de sabugueiro, mas de maneira alguma ele poderia ter uma varinha que não fosse de carvalho. E, embora a tabela Céltica sugerisse bétula para a varinha de Voldemort, há motivos para que ela fosse feita de teixo. Para citar a autora: “Não foi uma decisão arbitrária: azevinho tem certas conotações que são perfeitas para Harry, especialmente quando contrastadas com as associações tradicionais do teixo, do qual a varinha de Voldemort é feita. A tradição européia acredita que a árvore sagrada (holly tree, cujo nome vem de holy- azevinho) repele o mal, enquanto o teixo, que pode atingir uma impressionante longevidade (há teixos britânicos com mais de dois mil anos), pode simbolizar tanto a morte quanto a ressurreição; a seiva também é venenosa”. O aniversário de Ron, dia 1º de março fica entre 18 de fevereiro e 17 de março, cuja árvore é freixo. Sua nova varinha de salgueiro, no entanto, fica fora desse período. A varinha de videira de Hermione reflete sua data de aniversário que é 19 de setembro, cujo ciclo no calendário é de 2 de setembro até 29 de setembro.

Como vimos no primeiro livro, a varinha de Voldemort é de teixo e contém uma pena de fênix, da mesma fênix que doou uma pena para a varinha de Harry. Na cultura européia o teixo é tóxico e está, geralmente associado com vida longa, morte e ressurreição, transformação, assim como ao mal; isso certamente combina bem com Voldemort. Essa madeira combinada com a pena da fênix é bastante curiosa. Enquanto a fênix simboliza ressurreição, seu desaparecimento no fogo também simboliza purificação. Isso em nada parece com Voldemort, que, se ressurge provavelmente será como o mal, mais até do que quando morreu. É estranho pensar que Mr. Ollivander faria uma varinha de uma madeira com uma conotação tão sombria, embora suas propriedades mágicas particulares também devam ser consideradas.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

A varinha de Dumbledore conhecida como a Elder Wand (Varinha das Varinhas), também deve ser mencionada. Ela feita de sabugueiro (elder em inglês), uma madeira que se acredita misturar o bem e o mal e cujas flores, que produzem um forte odor, sugerem morte. The author has stated. A autora relata que dentro da Elder Wand o miolo é um pelo de Thestral, gentis criaturas mágicas, em geral relacionadas com a morte, que aparecem pela primeira vez no quinto livro. Uma varinha contendo esse pelo, apenas poderia ser possuída por uma bruxa ou bruxo que não tivesse medo da morte.

O fato da “varinha escolher o bruxo”, que aprendemos no primeiro livro, se torna um fato importante no último livro da série. Voldemort, convencido de que a habilidade de Harry de evitá-lo se deve apenas à sua varinha, com seu miolo gêmeo da do próprio Voldemort, sai em busca de uma varinha mais poderosa do que a de Harry. Ele procura a famosa Deathstick ou Elder Wand, uma varinha imbatível num duelo. Essa varinha deixou um longo e sangrento rastro através da história, e Voldemort no final, procura por aqueles que dizem que a possuíram: o artesão Gregorovitch que afirmou tê-la, mas que foi roubada dele por Gellert Grindelwald, que por sua vez, a perdeu para Dumbledore. Voldemort a procura na sepultura de Dumbledore, mas descobrindo que ela não aceita seu comando, e acreditando que a varinha só será fiel quando o proprietário anterior for morto, ele mata Severus Snape, que havia matado Dumbledore.

Mr. Ollivander diz a Harry que não é necessário matar para mudar a fidelidade da varinha, mesmo da Elder Wand. Ao invés disso, basta tirá-la da mão de seu dono através da força, pode ser numa luta física ou usando um feitiço de desarmamento como Expelliarmus, isso faria a varinha mudar sua lealdade. (Presumivelmente isso funciona caso o dono original não tente recuperá-la; assim mesmo, todo duelo mágico irá terminar com o perdedor deixado sem sua varinha.) O resultado disso tudo, foi que quem desarmou Dumbledore foi Draco Malfoy, e portanto a Elder Wand deve lealdade a Draco. Uma vez que Harry capturou a varinha comum de Draco, aquela com que ele desarmou Dumbledore, a Elder Wand deve transferir sua lealdade a Harry; se não, de acordo com que Mr. Ollivander falou, ela se tornaria a varinha de Draco, ao invés de Voldemort. No entanto, Voldemort não poderia receber esse benefício. Uma vez que a Elder Wand, aparentemente sabendo que Harry estava segurando a varinha que a arrancou de seu dono anterior, aparentemente deu sua lealdade a Harry e evitaria lhe fazer qualquer mal.

Embora haja muita conversa no ultimo livro sobre lealdade e consciência das varinhas, nunca houve uma indicação de que as varinhas são vivas. Assim como os computadores dos Trouxas, o fato de uma varinha se comportar de uma maneira particular, pode parecer que ela está viva, mas permanece inanimada e sem consciência. Uma boa indicação disso, é a maneira como a Elder Wand mostra lealdade a Harry; apesar de tudo, não foi Harry quem desarmou Dumbledore e sim Draco. No entanto, Harry agora carrega a varinha de Draco, que transferiu sua lealdade a Harry quando ele a arrancou de Draco. Portanto a Elder Wand, ao invés de uma pessoa específica, aparentemente sente que quem segura a varinha que fez o feitiço bem sucedido é aquele a quem ela deve fidelidade.

Observamos que no terceiro livro, o Profeta Diário diz que “Trouxas relataram que Black carregava um revolver (uma espécie de varinha de metal que os Trouxas usam para matar uns aos outros). As varinhas no entanto, possuem um papel maior do que as pistolas e outras armas, possuem em histórias não mágicas, isso inclui o conceito de armas especialmente poderosas, armas que servem particularmente, para serem usadas por determinadas pessoas.