Guia dos Trouxas para Harry Potter/Magia/Dragão

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Dragão
  • tipo = Criatura
  • características = imenso lagarto; possui asas, pode voar, alguns cospem fogo.
  • Aparece pela Primeira Vez = A Pedra Filosofal

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Os Dragões estão entre as criaturas mágicas mais famosas; até mesmo os Trouxas sabem a respeito deles e poderiam reconhecê-los de imediato. Isso significa que feitiços de modificação de memória, tiveram que ser usados em mais de uma ocasião, quando um Dragão foi visto por um certo número de Trouxas.

Descrição Estendida[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Dragões fêmeas são em geral, maiores do que os machos, e em geral mais agressivos, especialmente quando estão criando. Todos os Dragões são protegidos por um couro muito duro, o que os torna quase impermeáveis aos feitiços; para estuporar um Dragão, é preciso que diversos bruxos lancem o feitiço simultaneamente.

De acordo com o livro Animais Fantásticos e Onde Habitam, os Dragões são conhecidos por cruzarem com outras espécies de Dragões; os híbridos que nascem desse cruzamento são especialmente raros.

Variedades de Dragões:

  • Antipodian Opaleye: (Olho de Opala) são nativos da Nova Zelândia, famosos por serem os mais belos dos Dragões. Sua comida favorita são as ovelhas, mas eles apenas matam quando estão famintos. Essa espécie de Dragão não é particularmente agressiva.
  • Chinese Fireball: (Meteoro Chinês) este é o único Dragão Asiático, ele tem uma franja de pontas de pregos e uma nuvem em forma de cogumelo quando está furioso. O Fireball é bastante agressivo, mas é mais tolerante com sua própria espécie do que a maioria dos outros Dragões. Ele se alimenta principalmente de mamíferos, em especial porcos e um dos seus favoritos são os humanos.
  • Common Welsh Green: (Verde Galês Comum) esse Dragão tem a cor da grama de sua terra natal e usa isso para sua camuflagem. Eles costumam fazer um ninho nas colinas onde ficam protegidos. Os ovos do Welsh Green são marrom escuros com manchas verdes. O rugido dessa espécie é reconhecido com facilidade. O Welsh Green não é um Dragão problemático, como os outros; eles preferem se alimentar de ovelhas ao invés de humanos, a menos que sejam provocados.
  • Hebridean Black: (Negro das Ilhas Hébridas) possuem escamas duras e olhos brilhantes de cor roxa. Em geral caçam cervos, mas também comem gado e cachorros grandes.
  • Hungarian Horntail: (Rabo-Córneo Húngaro) a princípio este é o Dragão mais perigoso de todos. O Horntail tem esse nome por causa dos pregos pontudos que cobrem todo o seu rabo. Esse Dragão come bodes, humanos (sempre que possível) e ovelhas. Os olhos amarelos do Horntail têm o mesmo formato dos olhos dos lagartos. A chama que eles cospem é a mais longa de todas as espécies de Dragões e pode alcançar mais de 15 metros.
  • Norwegian Ridgeback: (Dorso Cristado Norueguês) é uma das raças mais raras. Ele é mais agressivo para com sua própria raça e parece com o Horntail. Esse Dragão se alimenta de grandes mamíferos e de modo estranho, gosta de comer também, criaturas aquáticas. Os ovos do Ridgeback são negros.
  • Peruvian Vipertooth: (Dente de Víbora Peruano) é o menor dos Dragões que os bruxos conhecem. Eles têm cor de cobre e possuem presas venenosas. Se alimentam de vacas e cabras, mas de repente, eles desenvolveram um gosto por comer humanos, por volta do século 19. Por isso a Confederação Internacional de Bruxos decidiu fazer controle da espécie.
  • Romanian Longhorn: (Chifres-Longos Romenos) possuem escamas verdes e longos chifres dourados. O território dos Romanian Longhorn se tornou a reserva de Dragões mais importante. Esses Dragões estão em risco de extinção porque são caçados por causa de seus chifres, que se tornaram Material Comercializável Classe B.
  • Swedish Short-Snout: (Focinho Curto Sueco) é um Dragão de cor azul prateada. Essa espécie prefere viver em lugares selvagens e montanhosos. Sua pele é usada para fazer luvas e escudos protetores. Sua chama extremamente quente tem a cor azul e transforma madeira e ossos em cinzas.
  • Ukrainian Ironbelly: (Barriga de Ferro Ucraniano) essa é a raça de Dragões maior de todas as conhecidas. Eles têm olhos vermelhos e escamas cinzentas. O Ukrainian é um lutador mais lento que as outras espécies, mas mesmo assim, é extremamente perigoso. Ele pode esmagar casas onde pousa e pesa mais de 6 toneladas.

Muitas partes dos Dragões são usadas pelos bruxos por causa de seu efeito mágico. O Professor Dumbledore escreveu um tratado muito conhecido “Os Doze Usos do Sangue do Dragão”. Também foram mencionadas as luvas feitas de couro de Dragão, como material de proteção. Em um dos livros havia uma bruxa na loja Apothecary resmungando alguma coisa sobre fígado de Dragão custar tão caro. Numa determinada ocasião, Hagrid usa um bife de carne de Dragão nos hematomas que sofreu. No livro A Ordem da Fênix, capitulo 31, é mencionado que a garra de Dragão em pó é um maravilhoso estimulante mental, fazendo com que a pessoa “fique esperta por várias horas”, de acordo com Ron.

Embora o uso de partes de Dragão já tenham sido mencionadas aqui, e Hagrid sempre comenta seu desejo de ter seu próprio Dragão, um Dragão intacto é encontrado pela primeira vez em A Pedra Filosofal, capitulo 14, quando Harry, Ron e Hermione presenciam a quebra do ovo e o nascimento de um Dragão, no caso Norbert, um Norwegian Ridgeback que saiu do ovo dentro da cabana de Hagrid. Hagrid disse ter sido escolhido para ganhar um ovo de Dragão por um estranho encapuzado no Cabeça de Javali. Mais tarde, no mesmo livro, descobrimos que a intenção era fazer Hagrid ficar bêbado, de modo que ele revelasse uma das proteções usadas para impedir o acesso à Pedra Filosofal e como passar por ela. Mais cedo, no mesmo livro, Ron comenta que seu irmão mais velho, Charlie está na Romênia trabalhando com Dragões.

No livro O Cálice de Fogo, Harry foi levado por Hagrid até uma clareira na Floresta Proibida onde estavam os quatro Dragões da Primeira Tarefa do Torneio Tribruxo . Harry teve que encarar um Hungarian Horntail para recuperar um ovo dourado nessa tarefa, que ele completou com sucesso. Os outros três Campeões, Cedric Diggory, Fleur Delacour e Viktor Krum encararam, respectivamente um Swedish Short-Snout, um Common Welsh Green e um Chinese Fireball. No cumprimento da tarefa, foi sugerido que os olhos de um Dragão são seu ponto mais delicado, e, de fato, Viktor Krum usa a maldição Conjunctivitus para fugir do seu Dragão, mas perde pontos porque o Dragão parcialmente cego danifica alguns de seus próprios ovos.

Em As Relíquias da Morte, capitulo 26, o Trio encontra um Dragão guardando alguns dos cofres mais profundos de Gringotts. Eles acabam libertando o Dragão e escapando montados em suas costas.

Os ovos de Dragão são Objetos Não Comercializáveis Classe A. Também descobrimos em O Enigma do Príncipe, capitulo 1, que o Primeiro Ministro Trouxa deve ser notificado quando criaturas perigosas, incluindo Dragões, são importadas para Inglaterra.

Análise[editar | editar código-fonte]

De fato os Dragões sempre têm papel importante na história, mas não apenas os Dragões; existe um grande número de criaturas mágicas que podem ser usadas da mesma forma. Percebemos que a autora escolheu colocar muitas criaturas mitológicas no mundo mágico; além dos Dragões, temos Centauros, Hipogrifos, Esfinges, Unicórnios, Trolls, Gigantes e Sereianos, entre outros. Ainda que alguns desses sejam bem diferentes no mundo mágico do que como os Trouxas imaginam, os Dragões não estão nesse caso. Imaginamos que, precisando de uma criatura grande e perigosa, a autora simplesmente escolheu usar o conhecido Dragão. Os leitores já sabem quem são os Dragões, mesmo os mais novinhos, portanto não precisamos descrições para entender porque Hagrid desejar ter um Dragão é engraçado mesmo sendo bastante perigoso.

Quando se escreve uma série ou história fantástica, um dos pontos críticos é fazer com que a história seja crível, dando a impressão de que, a despeito dos lugares onde as coisas acontecem, e que nós sabemos que não podem acontecer, a história permaneça razoável. A autora trabalha muito bem com isso, usando o fato de que o mundo mágico é um lugar escondido. Sabendo que é praticamente impossível de manter o segredo, a autora escolhe deixar que algumas coisas vazem para o mundo Trouxa. A existência dos Dragões são um desses vazamentos; todos sabem o que são Dragões, e alguns já imaginaram que legal seria ter um Dragão. Pelo fato de incluir esse paralelo entre o nosso mundo e o mundo que ela criou, a autora faz com que seja muito mais fácil acreditar na história.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

  1. Descreva o processo da quebradura do ovo do Dragão, quais as peculiaridades que se pode observar nos primeiros 12 meses, e como se alimenta o bebê Dragão.
  2. Na sua opinião, por que a criação de Dragões é banida pela Convenção dos Chefes Bruxos em 1709?
  3. Nomeie os quatro Campeões do Torneio Tribruxo e a raça de cada Dragão que cada Campeão enfrentou.
  4. As partes de Dragão são extremamente úteis e valiosas na sociedade bruxa. Dê nome a três partes de Dragão e explique seus usos. (Por exemplo, sangue de Dragão tem 12 utilidades, incluindo limpeza do forno e tira manchas).
  5. Dê o nome de quatro raças de Dragão e seus habitats nativos.
  6. Quantas reservas de Dragões existem no mundo mágico? Quais são seus nomes e onde ficam?
  7. Como o mundo mágico faz para esconder os Dragões? E que tipo de feitiço é usado?

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]