Guia do Linux/Iniciante+Intermediário/Discos e Partições/Partições

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Partições[editar | editar código-fonte]

São divisões existentes no disco rí­gido que marcam onde começa onde termina um sistema de arquivos. Por causa destas divisões, nós podemos usar mais de um sistema operacional no mesmo computador (como o GNU/Linux, Windows e DOS), ou dividir o disco rí­gido em uma ou mais partes para ser usado por um único sistema operacional.

Para gravar os dados, o disco rí­gido deve ser primeiro particionado (usando o fdisk), escolher o tipo da partição (Linux Native, Linux Swap, etc) e depois aquela partição deve ser formatada com o mkfs.ext2 (veja [#s-disc-ext2 Partição EXT2 (Linux Native), Seção 5.3]).

Após criada e formatada, a partição será identificada como um dispositivo no diretório /dev (veja [#s-disc-id Identificação de discos e partições em sistemas Linux, Seção 5.12]) . e deverá ser montada ([#s-disc-montagem Montando (acessando) uma partição de disco, Seção 5.13]) para permitir seu uso no sistema.

Uma partição de disco não interfere em outras partições existentes, por este motivo é possí­vel usar o Windows, GNU/Linux e qualquer outro sistema operacional no mesmo disco. Para escolher qual deles será inicializado, veja [ch-boot.html Gerenciadores de Partida (boot loaders), Capí­tulo 6].

Para particionar (dividir) o disco rí­gido em uma ou mais partes é necessário o uso de um programa de particionamento. Os programas mais conhecidos para particionamento de discos no GNU/Linux são fdisk, cfdisk e o Disk Druid.

Lembre-se:

  • Quando se apaga uma partição, você estará apagando TODOS os arquivos existentes nela!
  • A partição do tipo Linux Native (Tipo 83) é a usada para armazenar arquivos no GNU/Linux. Para detalhes veja [#s-disc-ext2 Partição EXT2 (Linux Native), Seção 5.3].
  • A partição do tipo Linux Swap (Tipo 82) é usada como memória virtual. Para detalhes veja [#s-disc-swap Partição Linux Swap (Memória Virtual), Seção 5.7].
  • Em sistemas novos, é comum encontrar o Windows instalado em uma partição que consome TODO o espaço do disco rí­gido. Uma solução para instalar o GNU/Linux é apagar a partição Windows e criar três com tamanhos menores (uma para o Windows, uma para o GNU/Linux e outra para a Memória Virtual do Linux (SWAP). Ou criar apenas 2 se você não quiser mais saber mais do Windows ;-)

A outra é usar o parted (e gparted sua versão gráfica), um bom exemplo de programa de reparticionamento não destrutivo (que usa o espaço livre existente) que trabalha com FAT16, FAT32, NTFS. Esta técnica também é chamada de Reparticionamento não destrutivo (e o outro obviamente Reparticionamento destrutivo).

Para mais detalhes sobre discos, partições ou como particionar seu disco, veja algum bom documento sobre particionamento (como a página de manual e documentação do fdisk, cfdisk, parted ou Disk Druid).