FreeBSD Handbook/Iniciando/Instalando o FreeBSD/Alocando Espaço em Disco

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


FreeBSD Handbook
Anterior Capítulo 2. Instalando o FreeBSD Próxima


2.6 Alocando Espaço em Disco

A primeira tarefa é alocar espaço em disco para o FreeBSD e rotular este espaço de forma que o sysinstall possa prepará-lo. Para fazer isso é necessário saber como o FreeBSD pretende encontrar as informações em disco.

2.6.1 Numeração dos Discos no BIOS

Antes de instalar e configurar o FreeBSD em seu sistema, existe um item fundamental ao qual você deve dar atenção, especialmente se possuir múltiplos discos rígidos.

Em um PC que utiliza um sistema operacional dependente do BIOS (BIOS-dependent OS) como MS-DOS® ou Microsoft® Windows®, o BIOS é capaz de abstrair a ordem normal dos discos, e o sistema operacional reconhece tal modificação. Isso permite que o usuário inicie o sistema à partir de um disco qualquer, ao invés do chamado “mestre primário”. Isso é especialmente conveniente para usuários que acreditam que a forma mais rápida e barata de manter o backup de um sistema é comprando um segundo disco rígido idêntico ao primeiro e realizar rotinas de copias do primeiro disco no segundo, utilizando os programas Ghost® ou XCOPY. Dessa forma, se o primeiro dispositivo falhar ou for atacado por um vírus ou for danificado por defeito no sistema operacional, ele pode facilmente recuperar o sistema simplesmente instruindo o BIOS a modificar a unidade de inicialização. É como mudar os cabos do disco, mas sem ter que abrir o gabinete.

Sistemas mais caros com controladoras SCSI costumam incluir extensões no BIOS que permitem que os discos SCSI sejam reordenados de forma similar para até sete discos.

Usuários que tem costume de tirar vantagens destas características podem se surpreender ao perceber que o resultado no FreeBSD não é como o esperado. FreeBSD não utiliza o BIOS e não reconhece o &8220;mapeamento lógico dos dispositivos no BIOS&8221;. Isso pode levar o usuário à situações perplexas especialmente quando a geometria dos discos é exatamente igual e os dados de um foram clonados para o outro.

Ao usar o FreeBSD, sempre restaure a numeração usual do BIOS antes de iniciar a instalação do sistema e mantenha-a desta forma. Se for necessário alternar entre os discos, então faça-o da forma difícil, abrindo o gabinete e modificando os jumpers e cabos.

2.6.2 Criando Partições com fdisk

Nota: Nenhuma alteração realizada durante o uso do fdisk será escrita em disco. Se você acreditar que tenha cometido algum erro e deseja iniciar o processo novamente, pode utilizar o menu para sair do sysinstall e começar de novo, ou apertar U para utilizar a opção de “desfazer” (Undo). Se você ficar confuso e não estiver certo sobre como sair, lembre-se que você pode sempre desligar seu computador.

Após selecionar a instalação padrão do sysinstall você verá esta mensagem:

Figura 2-17. Entrando no fdisk
Fdisk-prev message.png

Aperte Enter como indicado. Você verá uma lista de discos rígidos que o kernel encontrou quando foi carregado. A Figura 2-18 apresenta um exemplo de sistema com dois discos IDE. Eles foram chamados de ad0 e ad2.

Figura 2-18. Selecionando o Disco para o fdisk
Fdisk-drive1.png

Você deve estar se perguntando por quê ad1 não é listado aqui. Por quê ela foi pulada?

Considere o que aconteceria se você tivesse dois discos IDE, um como primário na primeira controlada IDE, e um como primário na segunda controladora IDE. Se o FreeBSD os numerasse conforme os encontrasse, como dispositivo ad0 e ad1, então tudo funcionaria.

Mas se você adicionasse um terceiro disco, como secundário na primeira controladora IDE, ele seria agora ad1, e o ad1 anterior seria chamado de ad2. Considerando que o nome dos dispositivos (como ad1s1a) são utilizados para identificar os sistemas de arquivos, você poderia de repente perceber que seus sistemas de arquivos não estão mais dispostos corretamente, e teria que modificar sua configuração do FreeBSD.

Para resolver isso, o kernel pode ser configurado para nomear discos IDE com base em sua disposição física, e não na ordem em que eles são encontrados. Com este esquema, o disco primário na segunda controladora IDE será sempre o ad2, mesmo que não existam dispositivos ad0 ou ad1 .

Esta é a configuração padrão no kernel do FreeBSD, e é por isso que esta tela apresenta ad0 e ad2. A estação de onde este screenshot foi tirado tinha dois discos IDE nos dois canais primários de cada controladora IDE, e nenhum disco nos canais secundários.

Você deve escolher o disco onde o FreeBSD deve ser instalado e depois apertar [ OK ]. O fdisk será iniciado com uma interface similar à esta apresentada na Figura 2-19.

A tela do fdisk está dividida em três seções.

A primeira seção, mostrada nas duas primeiras linhas da tela, apresenta os detalhes do disco atualmente selecionado, incluindo sua nomenclatura FreeBSD, a geometria de disco e o tamanho total do mesmo.

A segunda seção apresenta as partições que estão no disco, onde elas iniciam e terminam, qual seu tamanho, o nome que o FreeBSD lhes dá e suas descrições e sub-tipos. Este exemplo apresenta duas pequenas partições não utilizadas, que são artifícios do esquema de disposição de discos no PC. Também apresenta uma grande partição FAT, que quase sempre aparece como C: no MS-DOS / Windows e uma partição estendida, que pode conter dispositivos com outras letras para o MS-DOS / Windows.

A terceira seção apresenta os comandos que são disponibilizados pelo fdisk.

Figura 2-19. Partições típicas do fdisk antes de sua edição
Fdisk-edit1.png

O que você vai fazer agora depende de como você pretende particionar seu disco.

Se a intenção é utilizar o FreeBSD no disco todo (o que irá apagar todos outros dados presentes no disco ao confirmar a continuidade do processo de instalação no sysinstall ) basta apertar a tecla A, que significa “utilizar o disco inteiro” (Use Entire Disk). As partições existentes serão apagadas e substituídas por uma pequena área marcada como unused (mais uma vez, característica das disposições do PC) e uma grande partição para o FreeBSD. Ao fazer isso é aconselhável selecionar a nova partição FreeBSD com as setas e apertar a tecla S para marcar a partição como inicializável. A tela terá aparência similar à Figura 2-20. Note a opção A na coluna Flags, que indica que esta partição é uma partição “ativa” (active) e servirá como dispositivo de inicialização.

Se a intenção é apagar uma partição existente de forma a conseguir espaço em disco para o FreeBSD, então você deve selecionar a partição e apertar D. Em seguida pode fazer uso da tecla C e responder qual o tamanho pretendido para a nova partição que você pretende criar. Entre com o valor apropriado e aperte Enter. O valor padrão aqui indica o tamanho máximo possível para esta partição, que será o maior bloco contínuo de espaço não alocado ou o tamanho do disco inteiro.

Se já existe espaço para o FreeBSD (por exemplo, se você garantiu espaço com alguma aplicação como o PartitionMagic®) então pode utilizar a tecla C para criar uma nova partição. Mais uma vez, será necessário informar o tamanho da nova partição à ser criada.

Figura 2-20. Partição fdisk Utilizando Todo o Disco
Fdisk-edit2.png

Ao terminar, aperte Q. Suas modificações serão salvas pelo sysinstall, mas por enquanto não serão efetivamente aplicadas em disco.

2.6.3 Instale um Gerenciador de Inicialização (Boot Manager)

Agora você tem a opção de instalar um gerenciador do processo de inicialização do sistema, ou um gerenciador de boot como é conhecido. O gerenciador disponível durante a instalação do FreeBSD é um gerenciador nativo, mas depois de instalar outros poderiam ser usados. Aqueles que tiverem tal conhecimento podem lançar mão do uso de gerenciadores como o lilo ou grub após a instalação do FreeBSD. É indicado instalar um gerenciador de inicialização, se:

  • Você tem mais de um disco, e instalou o FreeBSD em algum disco que não seja o primeiro.
  • Você instalou o FreeBSD em conjunto com outro sistema operacional, no mesmo disco, e deseja escolher em qual entrar momento da inicialização do computador.

Se o FreeBSD será o único sistema operacional nesta estação, instalado no primeiro disco rígido, o inicializador padrão do FreeBSD (opção Standard) é o recomendado. Escolha a opção None se já estiver usando outro gerenciador de inicialização não nativo ou se não deseja modificar o setor mestre de inicialização do disco (MBR).

Escolha sua opção e aperte Enter.

Figura 2-21. Menu do Boot Manager do sysinstall
Boot-mgr.png

A tela de ajuda oferecida ao pressionar F1 oferece algumas informações sobre os problemas implícitos no compartilhamento de discos rígidos entre múltiplos sistemas operacionais.

2.6.4 Criando Partições em Outro Disco

Se houver mais de um disco, o menu voltará à tela de seleção de unidades de armazenamento após a seleção do gerenciador de inicialização. Se a intenção for instalar FreeBSD em mais de um disco, então você pode selecionar o outro disco e repetir o processo de particionamento usando o fdisk.

Importante: Se você estiver instalando o FreeBSD em um disco diferente do primeiro, então o gerenciador de inicialização do FreeBSD deve ser instalado em ambos os discos.

Figura 2-22. Sair da Seleção de Discos
Fdisk-drive2.png

A tecla Tab alterna entre as opções [ OK ] e [ Cancel ].

Aperte a tecla Tab uma única vez para selecionar [ OK ] e depois aperte Enter para continuar a instalação.

2.6.5 Criando Partições com o Disklabel

Agora você deve criar subpartições dentro de cada partição primária que você acabou de criar. Lembre-se que cada partição é identificada com letras de a à h e que as partições b, c e d tem significados convencionais que devem ser respeitados.

Algumas aplicações podem se beneficiar de esquemas particulares de particionamento, especialmente se você estiver utilizando partições em mais de um disco. Contudo, para sua primeira instalação, você não precisa se empenhar tanto na definição do particionamento do seu FreeBSD. É mais importante instalar o FreeBSD e aprender a utilizá-lo. Mais tarde você pode reinstalar o sistema e modificar o esquema de particionamento quando estiver mais familiarizado com o sistema.

O esquema atual apresenta quatro partições -- uma para o espaço de swap e três para sistemas de arquivos.

Tabela 2-X. Disposição de Partições para o Primeiro Disco
Partição Sistema de arquivos Tamanho Descrição
a / 128 MB

Este é o sistema de arquivos raiz. Todos os outros sistemas de arquivos serão montados em algum ponto abaixo deste. 128 MB é um tamanho razoável para ele. Não será necessário armazenar muitos dados neste sistema de arquivos já que em uma instalação regular do FreeBSD são utilizados cerca de 40 MB de dados aqui. O espaço restante é para dados temporários e também oferece espaço para expansão se eventualmente versões futuras do FreeBSD precisarem de mais espaço no /.

b N/D 2 a 3 x RAM

O espaço de swap do sistema é mantido na partição b. Escolher a quantidade correta de espaço para swap é uma questão um tanto quanto artística. Uma boa regra base é criar um espaço equivalente a duas a três vezes a quantidade de memória física disponível (RAM). É recomendável ainda que você tenha pelo menos 64 MB de swap, então, mesmo que você tenha menos que 32 MB de RAM defina ao menos 64 MB de swap.

Se você dispõe de mais de um disco, pode colocar uma partição de swap em cada. Desta maneira o FreeBSD usará os dois discos para swap, o que aumentará efetivamente a velocidade de uso do mesmo. Neste caso, calcule o espaço total de swap necessário (digamos, 128 MB) e divida pela quantidade de discos disponíveis (por exemplo, dois discos), alocando a quantidade resultante em cada um, nesse exemplo, 64 MB de swap em cada disco.

e /var 256 MB

O diretório /var contém arquivos que são constantemente acessados; arquivos de logs e outros arquivos administrativos. A maioria destes arquivos são de escrita ou leitura intensivas no dia-a-dia da utilização do FreeBSD. Colocar tais arquivos em um sistema de arquivos separado permite que o acesso a estes arquivos seja otimizado sem afetar outros arquivos e diretórios que não tem o mesmo padrão de acesso.

f /usr Restante do disco Todos seus outros arquivos serão armazenados normalmente sob o /usr e seus subdiretórios.

Se você for instalar o FreeBSD em mais de um disco o melhor é criar partições nos demais discos também. A forma mais simples de se fazer isso é criar pelo menos duas partições em cada disco, uma de swap e a outra para um sistema de arquivos.

Tabela 2-3. Disposição de partições para discos subsequentes
Partição Sistema de arquivos Tamanho Descrição
b N/D Ver descrição

Como discutido, o espaço de swap pode ser dividido em cada disco. Mesmo considerando que a partição a esteja livre, a convenção dita que as partições de troca (swap) devem ficar na partição b.

e /diskn Restante do disco

O restante do disco é utilizado por uma partição grande. Esta partição poderia ser a a, ao invés da partição e. Contudo, por convenção a partição a é reservada ao sistema de arquivos raiz (/). Você não tem obrigação de seguir este padrão, mas o sysinstall o faz, de forma que seguir este padrão torna sua instalação mais limpa. Você pode escolher montar este sistema de arquivos em qualquer local; este exemplo sugere que eles sejam montados como os diretórios /disk n, onde n corresponde ao número que muda de acordo com a ordem de cada disco. Mas você está livre para utilizar um outro esquema, se preferir.

Tendo definido a disposição de seu esquema de particionamento, você pode criá-lo utilizando o sysinstall. Durante a instalação usando a opção "Standard" você verá a seguinte mensagem:


Message

Now, you need to create BSD partitions inside of the fdisk
partition(s) just created. If you have a reasonable amount
of disk space (200MB or more) and don't have any special
requirements, simply use the (A)uto command to allocate space
automatically. If you have more specific needs or just don't
care for the layout chosen by (A)uto, press F1 for more
information on manual layout.

[ OK ]


Aperte Enter para iniciar o editor de partições do FreeBSD, chamado Disklabel.

A figura 2-23 apresenta o resultado da primeira execução do Disklabel. A tela é dividida em três seções.

As primeiras linhas mostram o nome do disco onde você está trabalhando e o slice onde estão as partições que serão criadas (neste momento o Disklabel o chama de partição (partition) ao invés de slice). A tela apresenta também a quantidade de espaço livre disponível no slice, ou seja o espaço designado ao FreeBSD, mas que ainda não foi definido atribuído a nenhuma subpartição do mesmo.

O meio da tela apresenta as partições que foram criadas, o nome do sistema de arquivos em cada partição, seu tamanho e algumas opções sobre a criação do sistema de arquivos.

A base da tela, na terceira parte da imagem, apresenta as teclas de comandos que são validas no Disklabel.

Figura 2-23. Editor Disklabel do Sysinstall
Disklabel-ed1.png

O Disklabel pode criar partições automaticamente e atribuir espaço padrão para cada uma. Experimente esta opção agora, pressionando a tecla A. Você vai ver mensagens similares as que são apresentadas na Figura 2-24. Dependendo do tamanho do disco que você tem disponível, os valores padrão vão ser ou não apropriados. Isso, porém, não importa, afinal você não tem que aceitar o padrão.

Nota: O particionamento padrão atribui uma partição dedicada ao diretório /tmp ao invés de fazer parte do sistema de arquivos raiz (/). Isso ajuda a evitar que a raiz fique lotada com arquivos temporários.

Figura 2-24. Editor Disklabel do Sysinstall com padrões automáticos
Disklabel-auto.png

Se sua escolha for não utilizar o particionamento padrão, e você pretende substitui-lo com sua própria definição, use as setas do teclado para selecionar a primeira partição desejada e aperte a tecla D para apagá-la. Repita isto para apagar todas as partições que quiser.

Para criar a primeira partição (a, montada como / -- raiz), garanta que a partição apropriada no topo da tela está selecionada e aperte C. Uma caixa de diálogo aparecerá perguntando qual o tamanho desejado para a nova partição (como apresentado na Figura 2-25). Você pode definir o número de blocos que deseja usar, ou um valor seguido por M para indicar megabytes, G para gigabytes, ou C para cilindros.

Nota: A partir do FreeBSD 5.X os usuários podem: escolher o uso do UFS2 (que é o padrão a partir do FreeBSD 5.1) utilizando a opção Custom Newfs (Z), criar rótulos com Auto Defaults e modificá-los com a opção Custom Newfs ou adicionar -O 2 durante a criação regular do sistema de arquivos. Não se esqueça de adicionar a opção -U para indicar o uso do SoftUpdates se você fizer uso da opção de customização do newfs, Custom Newfs!

Figura 2-25. Liberando Espaço para a Partição Raiz
Disklabel-root1.png

O tamanho padrão apresentado criará uma partição que ocupa o restante do slice. Se estiver usando os tamanhos de partição descritos no exemplo, apague a definição existente utilizando Backspace e digite 128M, como apresentando na Figura 2-26. Em seguida aperte [ OK ].

Figura 2-26. Editando o Tamanho da Partição Raiz
Disklabel-root2.png

Tendo escolhido o tamanho da partição, o instalador perguntará se a partição vai conter um sistema de arquivos ou espaço para swap. A caixa de diálogo é a apresentada na Figura 2-27. A primeira partição terá um sistema de arquivos, então marque o item FS e aperte Enter.

Figura 2-27. Escolhendo o Tipo da Partição Raiz
Disklabel-fs.png

Finalmente, por estar criando um sistema de arquivos, é necessário informar ao Disklabel onde o sistema de arquivos em questão deve ser montado. A caixa de diálogo é apresentada na Figura 2-28. O ponto de montagem para a partição raiz é /, portanto digite / e aperte Enter.

Figura 2-28. Escolhendo o Ponto de Montagem da Raiz
Disklabel-root3.png

A tela será atualizada para apresentar as partições recém criadas. Este processo deve ser repetido para as outras partições. Quando for crida a partição de swap o sistema não pedirá o ponto de montagem da partição, já que partições de swap nunca são montadas. Ao criar a partição final, o /usr, você pode manter o tamanho sugerido intacto, para utilizar o resto do disco.

A tela final “DiskLabel” do FreeBSD terá aparência similar a da Figura 2-29, embora os valores escolhidos por você possam estar diferentes. Aperte Q para terminar.

Figura 2-29. Editor Disklabel do Sysinstall
Disklabel-ed2.png



Anterior Índice Próxima
Introdução ao sysinstall Topo Escolhendo o que Instalar
Última edição desta página: 30/04/2013 (20130430171243)