Engenharia genética/Saccharomyces cerevisiae como modelo biológico em engenharia genética

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Saccharomyces cerevisiae é uma levedura amplamente utilizada como organismo-modelo em Biologia sendo, por isso, um organismo muito estudado.

A sua utilização combina várias vantagens: é um organismo unicelular e, ao contrário dos organismos eucariotas complexos, pode crescer em meios de cultura definidos, permitindo ao investigador o controle dos parâmetros ambientais.

Representação esquemática da estrutura de uma célula animal típica (clique para ampliar): 1. Nucléolo, 2. Núcleo celular, 3. Ribossoma, 4. Vesícula, 5. Retículo endoplasmático rugoso (RER), 6. Complexo de Golgi, 7. Microtúbulo, 8. Retículo endoplasmático liso (REL), 9. Mitocôndrias, 10. Vacúolo, 11. Citoplasma, 12. Lisossoma, 13. Centríolos.

A estrutura das leveduras é relativamente semelhante à das células humanas (ambas eucariotas).

Muitas proteínas importantes na biologia humana foram descobertas ao estudar os seus homólogos nas leveduras. Estas incluem proteínas do ciclo celular, proteínas sinalizadoras e enzimas processadoras de proteínas.

A facilidade de manipulação genética desta levedura torna conveniente o seu uso para analisar os genes, os produtos genéticos e suas funções noutras espécies de eucariotas.

Representação esquemática do Ciclo Celular de Saccharomyces cerevisiae.


A informação obtida no âmbito do projeto de sequenciação do genoma desta levedura encontra-se reunida na Saccharomyces Genome Database. Esta tem sido e continuará a ser extremamente útil como referência para comparar as sequências de genes humanos, de outros animais ou plantas, e ainda de uma multiplicidade de organismos unicelulares.

Uma grande variedade de protocolos para manipulação genética em leveduras estão disponíveis, assim como uma grande variedade de vectores têm sido desenhados para introduzir e manter ou expressar DNA recombinante em células de levedura.