Como montar um computador/Software

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Ir para: navegação, pesquisa

Agora chegou o momento de tornar o computador útil para fazer tarefas. Vamos instruir de forma geral quais e como instalar os principais softwares em um computador após sua montagem.

Bulbgraph.svg Novamente, em ligações externas, poderemos apresentar alguns links a websites que ensinem a instalar um sistema operacional. Isto porque há algumas dicas bem específicas relativas a cada sistema operacional.

Atualização da BIOS[editar | editar código-fonte]

A BIOS é um software simples para que possa ser efetuada uma comunicação básica com os dispositivos em um computador. Ela faz um mínimo como apresentar um software para configuração (ex.: o menu da BIOS) e um software para gerenciamento do computador (como se fosse um minúsculo Sistema Operacional já com drivers de dispositivos básicos).

É preferível já atualizar a BIOS antes de qualquer coisa, pois assim você não esquecerá de fazer esta tarefa que talvez possa trazer benefícios a suas peças. Em inglês este processo é conhecido como Flashing the BIOS.

Para você atualizar a BIOS, basta ir ao site do fabricante da placa mãe. É claro, você precisará usar um computador que já esteja funcionando. Após fazer o download do software de atualização, que geralmente é colocado em um pendrive (em inglês mais conhecido como USB stick), reinicie o computador que o software fará tudo sozinho.

Bulbgraph.svg Aguarde até a atualização terminar, não retire o pendrive antes da hora. Espere uma mensagem dizendo done, completed, a reinicialização do computador, etc.

Instalação do Sistema Operacional[editar | editar código-fonte]

Tux (mascote do kernel linux)

Em linguagem simples o sistema operacional é um tipo de programa que gerencia outros programas. Esses programas secundários podem ser instruções para comunicar com uma peça (dispositivo) no seu computador, um aplicativo para criar suas planilhas eletrônicas, um jogo, etc. Por convenção defini que primeiro devem ser apresentados os softwares mais acessíveis a população, principalmente carente, secundariamente os softwares proprietários.

Família GNU/Linux[editar | editar código-fonte]

GNU (mascote do projeto GNU).

É a família mais conhecida entre as distribuições ou sistemas livres. O que chamamos de distribuições são uma espécie de pacote, que inclui o sistema operacional e vários programas básicos (kernel linux, editor de texto, interface gráfica, etc.). Essas podem ser adquiridas por download ou por mídias variadas (CD/DVD pendrives, etc.). Consulte o site da sua distribuição preferida por ex. no site www.distrowatch.org.

Os procedimentos gerais de instalação são:

  1. Ativar na BIOS inicialização de algum tipo de mídia ou mecanismo (USB, CD/DVD, Ethernet, etc.)
  2. Carregar a mídia que contém a distribuição inicializando o computador (boot).
  3. Particionar ou formatar discos se for necessário.
  4. Especificar onde estão os pacotes a instalar.
  5. Especificar onde instalar.
  6. Escolher os pacotes que quer instalar.
  7. Aguardar a instalação.
  8. Ajustar configurações básicas.
  9. Reiniciar o computador e usar o sistema.
Bulbgraph.svg Para instruções específicas você deve seguir o manual de instalação da sua distribuição.

Família Windows[editar | editar código-fonte]

É o conjunto de sistemas operacionais que a Microsoft desenvolve. Atualmente em desenvolvimento (Julho de 2013) são: Windows 7/8/Server e pos

sivelmente o próximo Windows.

Esse sistema é bem simples de instalar já que boa parte dos fabricantes dão suporte oficial a este sistema. A tarefa mais difícil, como sempre, até para os usuários de sistemas livres, é a configuração de um servidor.

De forma geral as etapas são quase idênticas ao processo de instalação de um software livre, mas observe abaixo:

Logotipo do Windows.
  1. Ativar na BIOS inicialização de algum tipo de mídia ou mecanismo (USB, CD/DVD, Ethernet, etc.)
  2. Carregar a mídia que contém a distribuição inicializando o computador (boot).
  3. Particionar ou formatar discos se for necessário.
  4. Especificar onde estão os pacotes a instalar.
  5. Especificar onde instalar.
  6. Escolher os pacotes que quer instalar.
  7. Aguardar a instalação.
  8. Ajustar configurações básicas.
  9. Reiniciar o computador e usar o sistema.

Estes itens riscados são geralmente aplicativos dos mais variados tipos. Eles não existem no Windows (bem, há alguns aplicativos opcionais no Windows, mas são pouquíssimos) porque esse é um software proprietário, qualquer coisa além do sistema você deve comprar a parte (ex.: office).

Driver de dispositivo[editar | editar código-fonte]

Hardware is disabled.png

O nome driver vem do inglês e significa "controlador", mas no contexto de software e sistemas operacionais, controlador de dispositivo (peças ou componentes de hardware). Sem esse software, por exemplo, sua placa de vídeo não irá operar na forma mais otimizada, e isso fará com que seus jogos fiquem lentos. Em outros casos a ausência de um driver pode impossibilitá-lo de conseguir usar uma impressora, usar um scanner, etc.

Na seção ligações externas poderão haver alguns sites que podem lhe auxiliar na busca por drivers de dispositivo. Isso porque os drivers de dispositivos geralmente são disponibilizados no sites de seus fabricantes.

A instalação de um driver é semelhante a instalação de um aplicativo, porém muitas vezes é necessário reiniciar o computador. Bom, esse é um aspecto mais particular ao Windows, porque em sistemas operacionais livres já é possível fazer esta instalação sem reiniciar o computador.

Segurança[editar | editar código-fonte]

Ao terminar de instalar os aplicativos básicos que irá usar no computador, é aconselhável atualizar todo sistema, inclusive os aplicativos. Com passar do tempo falhas no sistema são identificadas e pode ser que uma eventual falha no sistema além de prejudicar o uso venha a ser a porta de entrada para invasores de sistema (hoje na mídia são conhecidos como crackers).

Família GNU/Linux[editar | editar código-fonte]

Não há service packs, as atualizações são comuns em meio as atualizações de aplicativos. No entanto elas também são etiquetadas como críticas em algumas distribuições. No geral as atualizações são sempre automáticas, mas há casos em que é necessário um procedimento manual.

Família Windows[editar | editar código-fonte]

Periodicamente a Microsoft seleciona atualizações e as chama de service pack. Estes pacotes de atualização são muito importantes, pois em meio deles há correções de falhas críticas. Se o usuário quiser as atualizações são baixadas e instaladas automaticamente.

Aplicativos[editar | editar código-fonte]

Para uma lista de aplicativos básicos, procure a seção ligações externas. Lá serão apresentados alguns softwares básicos tanto para GNU/Linux quanto para Windows.

Synaptic screenshot.png

Família GNU/Linux[editar | editar código-fonte]

Existem milhares de aplicativos gratuitos e de código aberto, seja para fins científicos, artísticos, ou de entretenimento. Há tanto software que você dificilmente encontrará todos, em uma só distribuição.

Como citado acima, a grande vantagem além desta variedade são as atualizações automáticas. E mais, os softwares são abertos, você pode apontar defeitos, propor soluções, melhorias, assim como é feito nos projetos da Wikimedia Foundation. São softwares transparentes aos usuários, não é como no Windows que você nunca sabe o que está usando, aqui ao menos você tem a oportunidade, basta estudar para entender, e só.

Família Windows[editar | editar código-fonte]

Para o Windows temos diversos aplicativos básicos, entre eles, alguns gratuitos. Mas a grande desvantagem do Windows com relação aos sistemas livres é que por padrão:

  • Não há um banco de dados disponibilizando uma lista com softwares. A Microsoft tentou criar uma Windows Store mas não deu muito certo, a quantidade e qualidade dos softwares ali foram muito abaixo das expectativas. Ao invés disso você pode procurar por sites de busca de programas e instalar manualmente os aplicativos.
  • Não há atualização automática dos software, pois como não se trata de softwares abertos, assim estes softwares estão sujeitos a grandes restrições de distribuição. O usuário tem grandes chances de estar com um sistema completamente vulnerável devido a esta desatualização.

Com passar do tempo surgiram soluções de terceiros para solucionar esse problema, foi aí que surgiu o chocolatey. O chocolatei providencia um aplicativo na linha de comando semelhante ao apt-get das distribuições baseadas no Debian.

Referências[editar | editar código-fonte]