Como montar um computador/Escolhendo as peças

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta página está dividida basicamente em 2 partes: hardware e software. A relação entre hardware e software é muito próxima, no geral os componentes de hardware (as peças) só vão funcionar em determinados sistemas operacionais (veja a seção de compatibilidade), aqui nós damos dicas de como proceder com a escolha das peças de uma forma a garantir que tudo irá funcionar (depende do seu esforço, ou melhor, da sua pesquisa). Embora possa começar pelas peças, você pode basear sua montagem pelo software, ou seja, se você tem que trabalhar com um determinado programa (porque as vezes é seu trabalho), você terá que ir atrás das peças que vão funcionar com o sistema que for utilizar.

Este guia pode parecer superficial, mas em caso de dúvidas: sempre consulte um técnico em informática.

Observações: As pesquisas de preço foram feitas através de um site de busca de preços [1], em Julho de 2013.

Hardware[editar | editar código-fonte]

Quando falamos em hardware, estamos nos referindo ao tipo de componente mais palpável em um computador. Como visto abaixo é: o gabinete, fonte de alimentação, placa mãe, processador, memória RAM, e outros mais.

A primeira parte ao montar um computador é adquirir as peças. Esse guia irá começar com uma rápida explicação das peças essenciais que serão, mais tarde, mais detalhadas.

As peças descritas abaixo, são no geral, as peças em que você encontrará na maioria dos computadores pessoais. Veja que não incluímos monitores de toque (touchscreen).

Antes de sair comprando qualquer coisa, veja as observações abaixo, e veja os tópicos a seguir.

  1. Qual é a principal tarefa que você pretende fazer no computador?
  2. Quais partes você já tem?
  3. Quanto você pode gastar?

Gabinete[editar | editar código-fonte]

O gabinete é a parte externa mais visível em um computador. Um gabinete, internamente guarda diversos componentes, mas além de oferecer espaço para estes componentes, ele também oferece orifícios para portas de entrada e saída.

Reutilizando peças:

O gabinete é uma das peças que mais podem ser reutilizadas. Padrões como ATX costumam demorar muito para serem substituído por novos padrões. Então se você quer utilizar um gabinete velho que tem, pode ficar tranquilo, a chance de ser compatível com a placa mãe que irá escolher é muito grande. Também ao comprar um gabinete você perceberá que a maioria dos gabinetes já vêm com uma fonte (a maioria de 200w).

Preço médio

Os mais simples estão entre 100 e 300 reais.

Fonte de alimentação[editar | editar código-fonte]

A fonte de alimentação é a peça que fornece energia para que o computador funcione. As fontes, no geral, transformam a energia alternada (que vem da rede elétrica na maioria dos países) em energia continua, regulam a tensão, etc.

Caso tenha comprado um gabinete e esteja insatisfeito com a fonte que veio com ele, você pode optar por comprar uma boa fonte, uma que informa sua potencia real e não nominal. Isso é necessário quando se vai montar um computador voltado para jogos, processamento gráfico, etc., mas para navegar na internet não é necessário.

Preço médio:

Uma fonte de 500w (potência real) está entre 200 e 300 reais.

Placa mãe[editar | editar código-fonte]

A placa mãe é outro grande componente em um computador, ela é o principal componente a qual os outros componentes menores a ela são ligados. É aquela placa grande que você se depara ao abrir o gabinete de um computador. Componentes onboard (na placa) são os que já vêm junto à placa mãe, offboard os que não vêm.

Preço médio:

As mais simples estão entre 100 e 300 reais.

Processador[editar | editar código-fonte]

O processador é a unidade central de processamento (UCP em português, CPU, em inglês), é parte do cérebro de um computador. A maioria das tarefas que requerem cálculo são direcionadas para este componente.

Preço médio:

As mais simples estão entre 200 e 400 reais (os equivalentes a Intel Core I3), os top de linha estão entre 400 e 1000 reais (os equivalentes a Intel Core I7).

Memória RAM[editar | editar código-fonte]

A memória RAM (tradução para memória de acesso aleatório) é a memória temporária do computador, ela é usada enquanto a CPU estiver fazendo cálculos. Os dados são ditos temporários ou voláteis porque quando o computador é desligado, se os dados não forem gravados em outro tipo de memória não temporária (veja adiante o que é um disco rígido), os dados são perdidos.

Preço médio:

As mais simples estão entre 100 e 300 reais (as de 4GB), as com mais capacidade entre 300 e 500 reais (8GB).

Disco Rígido[editar | editar código-fonte]

O Disco Rígido (em inglês é muito conhecido pela sigla HDD, Hard Disk Drive) é a peça onde os dados são guardados para serem obtidos mais tarde, mesmo que o computador seja desligado. É lá geralmente onde o principal sistema em um computador é guardado, o sistema operacional, assim como programas e dados pessoais de um usuário.

Preço médio:

Os mais simples internos (que ficam dentro do gabinete) estão entre 200 e 500 reais (a partir de 500GB).

Unidade de Estado Sólido[editar | editar código-fonte]

A unidade de estado sólido (também conhecida como SSD que em inglê significa Solid-State Drive) é um substítuto do HD. Sem partes móveis e com velocidade de acesso aos dados maior do que os discos convencionais, o SSD é feito a partir da tecnológia FLASH (a mesma encontrada em cartões de memória).

Solid-State Drive (SSD)

Preço médio:[editar | editar código-fonte]

Os valores de um SSD podem variar muito dependendo do seu tamanho e da fabricante, mas são fácilmente encontrados apartir de 200 reais (a partir de 120GB)

Drive ótico[editar | editar código-fonte]

O drive ótico é a peça que lê ou grava mídias como CDs e DVDs. Geralmente é essencial para instalar o sistema operacional em um computador.

Preço médio:

Os mais simples (CD/DVD) estão entre 50 e 100 reais, os mais avançados (os que suportam Blu-Ray) estão entre 200 e 300 reais.

Placa de vídeo[editar | editar código-fonte]

A placa de vídeo, unidade de processamento gráfico (em português UPG, em inglês GPU), é a peça responsável por fazer a maioria dos jogos ficarem mais rápidos. Isso acontece porque a maioria dos jogos requerem mais processamento visual do que de outro tipo. Como as placas de vídeo são preparadas para tais cálculos, elas se dão muito bem nesta tarefa.

Preço médio:

Variam muito o preço, depende muito da escolha do usuário. Não é necessário uma placa muito cara, a não ser que você queira ir além do que os jogos disponibilizam.

As mais simples estão entre 100 e 300 reais (GDDR3 e por volta de 2GB de memória) as demais podem ir até 3000 reais.

Se você tem curiosidade em saber quais são as melhores em custo e benefício, visite por exemplo o site da PassMark para rank de placas de vídeo. [2]

Teclado[editar | editar código-fonte]

O teclado (em inglês keyboard) é o dispositivo para digitar (neologismo para escrever no computador). É nele que as pessoas escrevem e também podem operar o computador. Para operar a maioria dos computadores, um teclado é essencial. Existem alguns computadores que até recusam iniciar o sistema principal quando não encontram um teclado.

Preço médio:

Os mais simples estão entre 15 e 100 reais, os que possuem muitos recursos podem chegar ao custo de 300 reais.

Mouse[editar | editar código-fonte]

O mouse é um dispositivo que manipula um ponteiro Mouse-cursor-hand-pointer.svg na tela: clicar (pressionar um botão do mouse), mover. Computadores que possuem interface gráfica geralmente sugerem o uso de um mouse para que as tarefas sejam efetuadas com mais facilidade.

Preço médio:

Existem uns bem baratos que podem chegar ao custo de 5 reais, já outros podem chegar a 500 reais (Sendo mouses Razer).

Monitor[editar | editar código-fonte]

O monitor é a saída visual do computador, é onde imagens são colocadas. Os tipos mais comuns são os CRT e os de LCD. Atualmente no mercado os monitores de LED vêm sendo introduzidos, porém o custo ainda é elevado.

Preço médio:

Os mais comuns são os de LCD de 15 à 20 polegadas, e seus os preços estão entre 300 e 400 reais. Acima de 40 polegadas o preço pode passar de 2000 reais. Lembre-se, escolha bem de acordo com a tarefa que pretende fazer no computador. Talvez até um projetor saia mais em conta, não?

Tarefas[editar | editar código-fonte]

Conforme a tarefa que você fará no computador, haverá algumas prioridades na hora de comprar as peças.

Apenas usar a internet[editar | editar código-fonte]

Um computador que será primeiramente somente usado para acessar a internet e outros serviços bem básicos.

Prioridades:

Nenhuma já que quase todos os conjuntos voltados a montagem de computador possibilitam, hoje, ao menos a navegação na internet.

Mas observe:

  • Memória RAM por volta de 256 MB é o suficiente.
  • CPU com clock por volta de 1GHz é o suficiente.
  • HD com espaço por volta de 100GB é o suficiente.
Trabalho de escritório[editar | editar código-fonte]

Um computador para ser usado em um escritório (ou para fazer trabalho em um escritório).

Geralmente o trabalho que se faz é:

Prioridades:

São quase as mesmas que um computador voltado somente a internet. Isso porque hoje os computadores estão muito mais potentes do que no início da era da internet.

  • Memória RAM por volta de 512 MB é o suficiente.
  • CPU com clock por volta de 1GHz é o suficiente.
  • HD com espaço por volta de 100GB é o suficiente.
Observações: Caso trabalhe mais com planilhas, aumente a memória RAM.

Servidor[editar | editar código-fonte]

Um computador voltado para servir requisições (servidor). É um computador que trabalha de forma autônoma, geralmente dia e noite sem parar (é desejável!).

Prioridades:

Dispensável:

Como não há muita interação com o computador, alguns itens podem ser descartados.

  • Teclados sofisticados.
  • Mouses sofisticados.
  • Monitores sofisticados.

Jogos eletrônicos[editar | editar código-fonte]

Um computador voltado para jogos eletrônicos.

Prioridades:

  • Boa placa de vídeo offboard. Uma que tenha por volta de 512MB de memória interna e suporte as últimas versões de DirectX e OpenGL.
  • Boa CPU com vários núcleos (não tantos quanto em um servidor).
  • Quantidade razoável de memória RAM. Uns 2GB para quem quer jogar jogos até 2010, uns 4GB para aqueles que querem jogar os de última geração.

HTPC[editar | editar código-fonte]

HTPC é um computador voltado a entrada e saída de Áudio e Vídeo (A/V). A maioria destes computadores é voltada à apresentação de vídeos. Em empresas são ligados a telões, em residências as pessoas costumam ligá-los a uma TV.

Prioridades:

  • Placa offboard de entrada e saída de áudio e/ou vídeo.

Estação de trabalho[editar | editar código-fonte]

No início da era dos computadores pessoais (por volta dos anos 80), este estação de trabalho veio a ser formulado para se referir a qualquer computador intermediário entre um computador pessoal de baixo custo e um main frame. Eram computadores feitos para fazer cálculos complexos.

Após a evolução dos computadores pessoais este termo começou a deixar de ser usado, isso porque os computadores de baixo custo puderam cada vez mais, serem usados para fazer tais cálculos. Hoje em dia estes computadores nada mais são do que computadores pessoais, pois os trabalhos que requerem muitos cálculos estão sendo migrados para servidores comuns.

Prioridades:

Por incrível que parece são quase as mesmas que um computador voltado para jogos eletrônicos. No entanto este tipo de computador requer 2 itens diferentes em determinadas condições:

  • CPU de vários núcleos voltadas a cálculos de ponto flutuante.
  • Placas de vídeo especiais, dependendo do trabalho. Se for processamento gráfico, pesquise os tipos de unidades de processamento gráfico.

Processamento de Áudio e Vídeo[editar | editar código-fonte]

Tarefas que envolvem a conversão e ajustes, em tempo real ou não, de formatos de áudio e vídeo. São talvez, computadores voltados a estúdios de musica, de vídeo, etc.

Prioridades:

Quase as mesmas para jogos eletrônicos:

  • CPU com clock mais elevado e com muitos núcleos.
  • Memória RAM, talvez até mais do que 8GB.
  • Se for receber áudio ou vídeo direto de outros equipamentos, uma boa placa offboard de áudio ou vídeo seria interessante.

CAD e CAM[editar | editar código-fonte]

CAD (Computer Assisted Design) ou CAM (Computer Aided Manufacturing) é o trabalho efetuado por engenheiros com uso de computador.

Prioridades:

  • Memória RAM. Dependendo da média de tamanho dos arquivos a serem carregados, será necessário muita memória, talvez uns 4GB caso for trabalhar com engenharia civil e construções de grande porte, etc.

OEM[editar | editar código-fonte]

OEM é uma sigla que no geral pode fazer referência a:

  • Uma peça que é vendida fora da caixa, sem manual, sem acessórios, própria para montadores de computador.
  • Um fabricante que vende computadores usando peças de outro fabricante.

Como você pode entender, é um produto que não é voltado para o consumidor final, ele é para um técnico em informática, ele é para uma empresa que irá montar computadores com essa peça.

Estes produtos saem mais barato do que os destinados ao consumidor final, porém em todo tipo de distribuição deve-se observar o que foi incluído junto ao produto, e quais são necessários para o uso correto do equipamento.

Overclocking[editar | editar código-fonte]

Overclocking (traduzindo literalmente seria algo como: acima do relógio) é o termo usado para designar modificações no hardware para que ele trabalhe em uma velocidade maior do que foi projetado.

No início da era do overclocking, os perigos de danificar o equipamento eram muito maiores do que hoje, pois os fabricantes não faziam ideia de que seus consumidores estavam trabalhando nestes tipos de modificações. Mas hoje em dia os fabricantes já têm ideia destas modificações, e inclusive, eles já produzem hardware feito para overclocking (apesar de poder ser entendido como um pseudo-overclock, pois já é planejado para isso).

Observações: No geral overclock é para gamers (jogadores de jogos eletrônicos), pois a grande maioria não se preocupa com isso, ou prefere não arriscar estragar seu computador. Nesta seção não nos aprofundaremos no assunto, para mais, veja a seção apropriada, a seção Overclocking.
Overclock em um Athlon XP pela BIOS. External Clock e Multiplier Factor foram colocados acima do normal.

Onde comprar[editar | editar código-fonte]

Depois de ter decidido qual computador quer montar, agora chegou a hora de decidir onde comprar. Mas onde compramos peças de computador avulsas? Bem, elas são encontradas nas lojas especializadas, no Brasil, nas lojas de equipamentos de informática.

Basicamente você pode comprar:

  • Em uma loja local.
  • Em uma loja em outra região, pela internet, através do comércio eletrônico (e-commerce).

Na seção ligações externas talvez apresentemos lojas populares no comércio eletrônico de equipamentos de informática.

Software[editar | editar código-fonte]

Quando falamos em software, falamos da parte menos palpável: ideias, instruções, em fim, lógica. E para que um software funcione, um hardware é necessário.

Sistema Operacional (SO)[editar | editar código-fonte]

De forma geral é o sistema operacional que gerencia dispositivos e outros programas.

Família GNU/Linux[editar | editar código-fonte]

GNU/Linux é um conjunto de sistemas livres desenvolvido por várias pessoas ao redor do mundo, incluindo os do meio acadêmico. É um sistema que atualmente vem melhorando dia a dia a compatibilidade com diversos tipos de dispositivos.

Por possibilitar a mudança do código conforme as necessidades do usuário, é um sistema muito usado por cientistas e estudantes de diversas áreas. Mas com a introdução do Android, esse sistema vem ganhando notoriedade a cada dia que passa. Isto porque seu uso deixou de ser apenas para entusiastas da área e passou a ser usado por qualquer pessoa. Apesar de ele ter sido projetado para sistemas móveis ele vem sendo instalado inclusive em computadores de mesa.

Observações: No início Android era somente um sistema que continha o núcleo de um sistema GNU/Linux, não era propriamente considerado GNU/Linux. Mas atualmente ele é diferente, também inclui alguns softwares de distribuições livres, o que o fez tornar um GNU/Linux.

Distribuições mais comuns: Red Hat, Ubuntu, SuSe, Fedora, Debian.

Vantagens:

  • Aplicativos são atualizados automaticamente.
  • É a família de sistemas operacionais livres com maior número de softwares disponíveis.
  • Dentre esta família é a que mais cresce em quesitos de compatibilidade com hardware (veja as HCL).
  • É totalmente personalizável.
  • Qualquer um pode baixar pela internet.
  • É transparente aos usuários, você pode saber o que você usa.

Desvantagens:

  • Drivers de dispositivo ainda precisam ser incluídos junto a este sistema. Mas esse não é um problema propriamente do sistema, mas dos fabricantes que não produzem softwares abertos.
  • Usuários iniciantes ainda tem dificuldades em instalar softwares, principalmente aqueles que não estão disponíveis no repositório da distribuição.

Preço médio:

Como visto este software é desenvolvido por uma comunidade aberta a colaboração. Por isso mesmo foi possível torná-lo gratuito.

Mas, embora a maioria das distribuições sejam gratuitas, existem algumas pagas, mas por boas razões: suporte e manutenção conforme a vontade do cliente. Veja que este nicho é voltado mais para empresas do que para indivíduos que apenas buscam um sistema livre.

Família Windows[editar | editar código-fonte]

O Windows atualmente ainda (dados de 2013) é o sistema operacional mais popular em todo o mundo. Seu maior concorrente no mercado é o Android (sistema aberto), isso levando em consideração o mercado voltado para dispositivos móveis (celulares, tablets, netbooks). É compatível com a maioria das peças encontradas no varejo.

Softwares ainda disponíveis para compra: Windows 7 (Home/Business/Ultimate), Windows 8 (Normal/Pro), Windows Server, Windows Phone 7/8.

Vantagens:

  • Compatibilidade com drivers de dispositivo (ex.: peças como placas de vídeo).
  • Compatibilidade com softwares profissionais, como sistemas CAD.
  • Compatibilidade com jogos de última geração, principalmente aqueles que usam DirectX.

Desvantagens:

  • Problemas com segurança já que não há atualização automática de programas, nem dos sistemas a longo prazo (vide manutenção do Windows XP que se encerra por volta de 2016).
  • Há muito menos softwares gratuitos e de código aberto nessa plataforma em comparação com as plataformas livres.
  • Não é flexível como softwares livres. Você não pode adaptar o sistema para ser usado em um equipamento que tem interesse.
  • Preço. Não é muito acessível às populações de um país em desenvolvimento (devido a isso, a grande maioria faz cópias ilegais destes softwares).
  • Não é transparente. Você não sabe o que está usando (o sistema é fechado, a Microsoft não libera o código fonte de seu sistema, exceto parcialmente, em casos muito excepcionais).

Preço médio:

É um software proprietário da Microsoft, ele tem um custo para ser adquirido. Está entre 200 (32 bits) e 400 (64 bits) reais.

OEM[editar | editar código-fonte]

Assim como o hardware pode ser distribuído como OEM, o software também pode. E nesse caso também vale observar quais itens são inclusos, pois embora pareça desnecessário, o manual de instrução, por exemplo, pode ser crucial para saber fazer o sistema funcionar (talvez é dentro dele também que é incluído uma chave de produto). Mas não se preocupe com isso caso você esteja planejando usar um software livre, estes tipos de problema são relacionados à softwares proprietários (ex.: Microsoft Windows).

Compatibilidade com Sistemas Operacionais[editar | editar código-fonte]

Qual sistema operacional devo escolher?

Uma das vantagens além de comprar as peças que precisamos, é escolher que sistema queremos usar. Quando compramos um computador pronto, na maioria dos varejos no Brasil, por exemplo, a maioria das lojas nos obrigam a levar um determinado tipo de sistema. Essa é a diferença, comprando pronto você não escolhe, montando você mesmo escolhe. Porém exige atenção antes de sair escolhendo as coisas.

Ao escolher as peças, devemos observar que não importa qual o tipo do sistema que iremos escolher, e que a principal preocupação deve ser em saber primeiramente, se o sistema em si, irá funcionar corretamente com as peças que compramos. Do contrário a compra das peças tem que ser repensada.

Caso você dê mais foco ao sistema que irá usar do que as peças que irá comprar, escolha o SO e procure listas de compatibilidade de hardware, as HCLs. Faça isso antes de efetuar qualquer compra, pois nunca se sabe qual é o nível de compatibilidade (ex.: às vezes é alguma coisa na impressora, alguma funcionalidade na placa de vídeo, etc.).

Hardware Compatibility Lists (HCLs)[editar | editar código-fonte]

Esse termo em inglês é a Hardware Compatibility List. Ela é útil para saber se uma determinada peça funciona com um determinado sistema.

Em ligações externas poderemos apresentar alguns sites que incluem estas listas.

Observações: Caso você não consiga interpretar e encontrar a informação disponibilizada, consulte um bom técnico em informática (um que conheça diversos sistemas operacionais).

Onde comprar[editar | editar código-fonte]

Nas mesmas lojas em que você compra as peças de hardware, você também poderá comprar, se desejar, os componentes de software. Infelizmente, já há muito tempo, você só terá 1 opção de compra, os sistemas da Microsoft (por dominar o mercado de software por muitos anos, esse mercado se transformou em um monopólio). Mas lembrando-o, não é necessário gastar dinheiro com o SO caso você realmente queira entender melhor como funciona e como montar um computador, porque os outros sistemas que são gratuitos são às vezes, desenvolvidos para isso, estudo.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Buscape: http://www.buscape.com.br .
  2. Video card benchmark: http://www.videocardbenchmark.net/high_end_gpus.html .

Ver também[editar | editar código-fonte]