Civilizações da Antiguidade/O Mediterrâneo Oriental

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Mediterrâneo Oriental



mapa do antigo oriente

O mar Mediterrâneo foi, desde a antiguidade, um marco, cujas águas foram testemunhas do inicio e do fim de grandes civilizações.

Suas águas banham, ao sul da Europa, Portugal, Espanha, Itália e Grécia. Na antiguidade, os egípcios, fenícios, hititas, gregos, romanos, micênicos, minóicos, entre outros, estiveram de alguma forma ligados ao Mediterrâneo.

Esses povos deixaram sua marca em eventos históricos e tesouros em conhecimentos em todos os campos do saber da humanidade.

A geografia do local, privilegiada, contribuiu de maneira importante para que essas civilizações se desenvolvessem e prosperassem. A área ocupa três continentes, e seu solo fértil permitiu que os povos antigos se estabelecessem, domesticassem animais e plantassem com sucesso. Nas colinas da Anatólia, os hititas exploraram minas de ouro e os fenícios no Mediterrâneo carregavam azeite e especiarias em seus navios mercantes.

vista de satélite, o mar Mediterrâneo

Enquanto que as civilizações que contavam com rios para fertilizar a terra, desenvolveram plantações em grande escala. As cadeias de montanhas e os grandes rios ajudaram a manter o isolamento das culturas.

Essa região que margeia o mar Mediterrâneo também é chamada de Levante. Sua geografia vai das planícies costeiras muito férteis até as cadeias de montanhas que invadem o interior do lugar.

Ao sul temos o Vale do rio Jordão, o Mar Morto e o Wadi Araba que conduz ao Mar Vermelho. Ao norte o Vale do Bekaa, que divide as montanhas do Líbano da cadeia anti-Líbano, separando o deserto da Síria da costa.

O Nur (antigo Amanus) e as montanhas Taurus no extremo norte formam uma barreira natural entre a região e o plateau da Anatólia. Essa região corresponde, mais ou menos, nos países atuais, ao oeste da Síria, Líbano, Israel e Jordânia.

Referências[editar | editar código-fonte]