Civilizações da Antiguidade/Atenas e o espaço mediterrâneo

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Atenas e o espaço Mediterrâneo


colonização grega

Basta olhar o mapa da Grécia para perceber sua relação com o mar Mediterrâneo e nem vamos falar

específicamente de Atenas, mas de toda Grécia, sendo que Atenas era a cidade mais importante.

No século IX a.C. ocorre que as terras não eram suficientes para suportar o aumento da população.

Era grande o descontentamento do povo porque o fato é, que as terras férteis eram posse das elites.

figura de esfinge – Naucratis

Então, as cidades gregas, começam a organizar grupos de pessoas dispostas a formar colônias em outras

regiões do Mediterrâneo.

Com o passar dos séculos, vamos ter, não só as colônias de povoamento, como também entrepostos gregos

espalhados por todo espaço Mediterrâneo.

É preciso deixar claro que, nos locais onde eram formadas as colônias de povoamento, as terras foram

divididas em lotes e foram repartidas entre os colonos. Portanto, quem partiu em busca de melhores

oportunidades, realmente ganhou a terra.

Naucratis no delta

A colônia, mantinha relações com a metrópole mas, na prática era uma cidade-estado independente.

A primeira colônia grega, foi fundada pelos jônicos, era Poseideion, hoje Al-Mina na Síria.

Os entrepostos, serviam para escoar as mercadorias e todo produto que estivesse em excesso. Eram como

armazéns comerciais.

Isso significa que a Grécia dominou o espaço Mediterrâneo, das costas da Trácia e da Macedônia, até as ilhas

próximas da Ásia menor, a Sicília e a Itália meridional. Essa era a Magna Grécia.

No século VII, os gregos se espalham até as margens do mar Negro, e o faraó Amasis (26ª dinastia) permite

aos gregos fundarem a cidade de Naucratis no delta do Nilo, porque os mercadores gregos geravam taxas

lucrativas com seu comércio.