Civilizações da Antiguidade/As primeiras conquistas do Homem

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Os Seres Humanos não apareceram na Terra num momento que possa ser marcado cronologicamente de forma exata. Pelo contrário: a espécie humana é o resultado duma evolução constante, de caráter físico e intelectual, que se prolongou por milhões de anos. Dessa evolução possuímos apenas alguns dados arqueológicos que nos permitem apresentar teorias e chegar a algumas conclusões.

arte pré histórica em pedra

A produção de instrumentos[editar | editar código-fonte]

O período de evolução dos primeiros seres humanos designa-se por humanização (transição de hominídeo para homem) e foi um processo lento e gradual. A primeira grande característica que o diferenciou os humanos do resto dos primatas foi o fato do ser humano ser bípede, ou seja, andar em 2 patas ao invés de 4.

restauração baseada no homem de Daka, Etiópia

Esta passagem de quadrúpede a bípede foi fundamental no seu processo de evolução, pois libertou as mãos da função locomotora, agora elas poderiam ser usadas para outros fins: apanhar alimentos, segurar, lançar, agarrar,, partir pedras e outros objetos.

Estas atividades possibilitaram que o polegar se tornasse superior aos restantes dedos e a mão ganhou uma maior agilidade.

A agilidade manual possibilitou ao Homem o fabrico e a utilização de instrumentos. Passou a designar-se este tipo de primata Homo Habillis, ou homem habilidoso,

A verticalização, a libertação das mãos e a utilização destas em atividades que estimulam os processos mentais provocaram um aumento da caixa craniana e massa cerebral. Transformando o Homo em um ser superior aos outros primatas.

pontas de lanças


A partir da pedra, osso e marfim: primeiros instrumentos[editar | editar código-fonte]

Através de estudos efetuados pela arqueologia podemos chegar à conclusão de que a madeira, o osso, os chifres e os dentes de certos animais, como, por exemplo, da rena e do mamute, serviram de matérias primas para a fabricação dos primeiros instrumentos.

Porem os instrumentos feitos de pedra, por sua resistência, receberam maior importância por parte do homem, chegando até nós em maior quantidade.

Os mais antigos instrumentos de pedra conhecidos eram os instrumentos de pedra lascada, estes foram sendo gradualmente aperfeiçoados pelo homem ao longo do Paleolítico pelo meio de técnicas de corte de pedra.

Com o melhoramento e a afiação das pedras, formou-se as primeiras facas, usadas para cortar as peles dos animais.

Domínio do fogo[editar | editar código-fonte]

Coube ao Homo erectus, sucessor do Homo habilis, o domínio da primeira fonte de energia: o fogo. A sua utilização provocou profundas alterações na vida do homem:

  • Os alimentos passaram a ser cozinhados, tornando-se mais saborosos e fáceis de digerir;
  • Iluminação e aquecimento dos locais frios e escuros, assim tornou-se mais fácil a permanência nas cavernas;
  • A defesa aos ataques de animais ferozes tornou-se mais eficaz, pois estes temiam o fogo;
  • A fabricação dos instrumentos aperfeiçoou-se com o endurecimento, pelo fogo, das pontas das lanças, tornando-as mais resistentes.

A utilização do fogo provocou sérias mudanças na vida social do homem, pois a ingestão dos alimentos (agora cozidos) ficou mais fácil, provocando um aumento populacional, estas populações sentavam-se ao redor da fogueiro para se aquecerem, o que gerou um forte sentimento de união entre os homos, facilitando o desenvolvimento da linguagem e da própria civilização.