Audiodescrição de obras do Museu do Ipiranga/Q42713639

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ciclo do Ouro

Ciclo do Ouro
 
Ficha catalográfica

Título: Ciclo do Ouro
Identificador no Wikidata: Q42713639
Categoria no Wikimedia Commons: Category:Ciclo do Ouro (painting)
Artigo na Wikipédia: Ciclo do ouro (Rodolfo Amoedo)
Número de inventário: 1-19543-0000-0000
Criador(a): Rodolfo Amoedo
Encomendador(a): Afonso d'Escragnolle Taunay
Data: década de 1920
Coleção: Coleção Museu Paulista
Instância de: pintura
Material utilizado: tinta a óleo, tela
Altura: 222 centímetros
Largura: 132 centímetros
Localização: Museu Paulista
País de origem: Brasil
País: Brasil
Gênero artístico: pintura histórica
Retrata: escravidão no Brasil, Mineração no Brasil, mineração, ouro, chapéu, escravidão, Bateia, homem, pessoa negra, pintura histórica
Google Arts & Culture ID: EQF8j4zNK-oeSw
Situação dos direitos autorais: domínio público
Descrito na URL: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/10624/7904

 
Audiodescrição

Edite a audiodescrição
Ciclo do Ouro

É uma obra histórica, brasileira, de Rodolfo Amoedo, da década de 1920. Se trata de uma pintura em óleo sobre tela com 222 cm de altura e 132 cm de largura. A pintura mostra 6 pessoas trabalhando em diferentes planos de profundidade, em uma paisagem natural de montanha.

No plano mais central à esquerda estão dois homens em pé, à esquerda um branco de bigodes longos, chapéu, camisa branca de mangas dobradas até os cotovelos, calças e botas com esporas marrons. Um dos braços está flexionado na altura do cotovelo e no punho carrega um chicote, a palma da mão está voltada para cima em posição de recebimento. A outra mão está alisando o interior de uma bateia vazia, espécie de bacia, que está sendo segurada pelo outro homem à direita. Este homem é um trabalhador negro, franzino, porém de músculos aparentes, veste apenas um pano puído amarronzado, amarrado na cintura. No chão aos seus pés, está um chapéu. Seu tronco está levemente arqueado e voltado para o homem branco.

No segundo plano, à direita da obra, estão mais dois homens trabalhadores seminus de cor parda, com apenas um tecido envolvendo a cintura de ambos, o homem da esquerda carrega uma ferramenta apoiada no ombro que se assemelha à uma lança, o outro está de chapéu firme, de  topo reto, aba curta e estruturada. Os dois observam os homens branco e negro. Ao fundo ainda aparecem dois trabalhadores seminus, um em cada plano, no entanto não é possível identificar o sexo, um deles está agachado com as mãos próximas à vegetação, enquanto o outro é gordo e está de pé, com chapéu largo de palha e carrega uma bateia.