A Secretária Moderna/Origem da profissão

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A profissão de Secretária vem dos antigos faraós e era exercida apenas por homens, que eram os chamados escribas. Estes eram homens que possuíam amplos conhecimentos em matemática e contabilidade, organização de arquivos, além de dominarem a escrita e assessorarem directamente seus superiores, sendo esta sua actividade mais intimamente ligada ao Secretariado. Nos tempos de Alexandre O Grande, secretariado podia ser considerado uma profissão um pouco perigosa, pois além de arcar com os trabalhos de esforços intelectuais, eles tinham a obrigação de acompanhar os guerreiros na batalha e lutar juntamente, além de serem responsáveis por registrar as histórias das conquistas de Alexandre.

Na Idade Média os secretários se viram novamente com a obrigação de lidar com a espada, com o pergaminho e a pena (instrumento utilizado para escrever). Uma forma encontrada pelos secretários para amenizar esta situação foi adoptar os hábitos dos monges.

Assim sendo, em meados do século XIV cerca de 70% da classe secretarial originava-se dos monastérios, sendo boa parte dos secretários composta pelo sexo masculino. Entre os anos de 1400 – 1700 com a revolução e o mercantilismo reaparecem as necessidade de se ter um secretário, porém muito discretamente.

Na revolução industrial de 1760, a nova estrutura empresarial exigiu as funções de assessoria administrativa, consolidando o papel da (o) secretária (o) como função e era exercida praticamente apenas por homens. Foi na 2ª Guerra Mundial com a necessidade de mão de obra pela falta de homens que as mulheres tomaram espaço no mercado de trabalho, até ao século XX as mulheres exerciam papéis limitados com funções rotineiras e grosseiras.