Polonês

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Ir para: navegação, pesquisa

A língua polaca (português europeu) ou língua polonesa (português brasileiro) é um membro do grupo das línguas eslavas ocidentais da família indo-europeia. É mais fácil aprender se já se sabe alguma das línguas relacionadas.

Os idiomas que mais se parecem com o polonês são outras línguas eslavas ocidentais: checo, eslovaco, cassúbio e sorábio (lusácio). Mais distantes são as línguas eslavas do sul e orientais como o russo, o ucraniano e o servo-croata (sérvio, bósnio e croata). Além disso, possuí similaridades com os idiomas Bálticos: letão e lituano.

Para lusófonos que não falam nenhuma língua eslava ou báltica, podemos encontrar muitas palavras latinas, apesar de algumas estarem muito modificadas para serem reconhecidas facilmente. Aqueles que conhecem o idioma alemão terão algumas facilidades a mais, como já terem alguma familiaridade com declinações, além de uma boa quantidade de palavras alemãs presentes no idioma polaco.

Este Wikilivro é projetado para quem quiser aprender o básico da língua polonesa. É recomendado para iniciantes e aqueles que tenham aprendido o idioma por alguns anos.

Mapa da Polônia

Histórico[editar | editar código-fonte]

A história dessa língua divide-se em quatro períodos: antigo (séculos XII - XVI), médio (século XVI - 1780), novo (1780 - 1945) e moderno. A língua polonesa pertence ao ramo lequítico do grupo ocidental eslavo, junto com dialetos extintos dos eslavos que viveram a leste dos rios Oder (Odra, em polonês e português) e Elba. A história registrada da língua polonesa começa com uma bula papal redigida em latim em 1136 pelo arcebispo de Gniezno, na qual aparecem 410 nomes poloneses pessoais e geográficos. O registro polonês mais antigo é datado do século XIII, sendo do século XIV o texto contínuo mais antigo.

No século XVI já se pode falar de língua literária mais ou menos normativa, que contém algumas características do dialeto da região da Grande Polônia, no oeste do país, e da região da Pequena Polônia, no sudeste, estando a história da época da Polônia conectada com centros político-religiosos dessas regiões (Gniezno, Poznań e Cracóvia). As influências diferenciadas de ambos dialetos acabaram com a seleção da variante mais próxima ao checo, que teve forte influência no começo do século X, quando o cristianismo entrou na Polônia via Boêmia. A língua literária polonesa teve desenvolvimento contínuo desde então, ainda que o latim tenha sido um sério adversário, concorrendo com o polonês até o final do século XVIII.

Em 1924, o novelista Władysław Reymont ganhou o Prêmio Nobel de Literatura. Outros novelistas e poetas que também ganharam o Nobel foram Henryk Sienkiewicz, em 1905, Czesław Miłosz, em 1980 e Wisława Szymborska, em 1996.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Introdução[editar | editar código-fonte]

  1. Capa
  2. Introdução

Básico 1[editar | editar código-fonte]

Básico 2[editar | editar código-fonte]

  1. Países e nacionalidades - mówić no presente, países, idiomas, o caso instrumental
  2. Na cidade
  3. Família - być no passado
  4. Comida - pić no presente
  5. Viagem - iść e jechać no presente

Básico 3[editar | editar código-fonte]

Referência[editar | editar código-fonte]

  1. Conversação
  2. Números
  3. Vocabulário
  4. Vocabulário em imagens
  1. Declinação
    1. Caso Dativo
    2. Caso Genitivo
    3. Caso Acusativo
    4. Caso Instrumental
    5. Caso Locativo
    6. Caso Vocativo
Wikipedia
A Wikipédia tem mais sobre este assunto:
Língua polonesa