Wiki guia de turismo/América/Brasil/São Paulo/São Paulo

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

São Paulo é a maior metrópole do hemisfério sul e uma das cidades mais ricas e povoadas do mundo. Com população composta de várias etnias e nacionalidades é uma cidade "cosmopolita" por excelência. Sendo um importante polo internacional de negócios, finanças, eventos e já com grande fluxo de turistas de negócios, a cidade oferece ainda vários outros atrativos dos quais se destacam: sua rica gastronomia, sua famosa "vida noturna", e um reconhecido e atuante "cenário cultural" com dezenas de museus, teatros e centros culturais.

Distritos[editar | editar código-fonte]

Sp oficial.gif

Acompanhando o crescimento exponencial de São Paulo durante o século XX, a maior parte dos prédios da cidade antiga deu lugar à arquitetura contemporânea. Isto significa que a maior parte dos pontos turísticos está concentrada próxima ao centro da cidade, onde prédios do século XVII encontram-se sob as sombras de arranha-céus. Os bairros étnicos também encontram-se próximos ao centro. Já os locais de compras e os restaurantes encontram-se espalhados pela cidade. Vamos utilizar a divisão político-administrativa criada pela prefeitura para nos organizarmos.


  • Centro - Onde a cidade começou. Prédios e construções históricas, igrejas, os primeiros arranha-céus, o antigo centro financeiro, restaurantes e bares tradicionais. Região que abriga o Pátio do Colégio, onde a cidade foi fundada em 25 de janeiro de 1554, o Mercado Municipal, a Catedral da Sé, O Viaduto do Chá, o Vale do Anhangabaú, o Teatro Municipal, a Prefeitura da cidade, o Mosteiro de São Bento, a Faculdade de Direito do Largo São Francisco, o Edifício Martinelli, o Prédio do Banespa, a Bolsa de Valores (BOVESPA), o Edifício Itália, o Edifício Copan, a esquina das avenidas Ipiranga e São João, a Estação da Luz, a Pinacoteca do Estado, a Sala São Paulo e a Rua 25 de Março, dentre outros locais famosos da cidade.

Entenda[editar | editar código-fonte]

São Paulo é uma cidade cosmopolita, povoada por gente de todos os cantos do Brasil e do mundo e/ou seus descendentes. Historicamente, a cidade foi destino principalmente de imigrantes de Portugal, Itália, Espanha, Alemanha, Japão e Líbano; em menor proporção, da Armênia, Hungria, Grécia, Lituânia, e mais recentemente, Bolívia, Peru, Nigéria, Angola, China e Coreia do Sul. Aqui está a maior comunidade japonesa fora do Japão. A influência italiana também é muito forte, assim como a árabe, judaica, alemã e outros que chegaram ao Brasil durante o século XX para trabalhar em plantações de café.

Ponte Estaiada Octavio Frias de Oliveira, um dos ícones urbanos mais famosos de São Paulo.

Tiradas as devidas proporções, São Paulo pode ser considerada a Nova York do Brasil: uma cidade que nunca pára e atrai viajantes que procuram diversão, cultura e um pouco do que o mundo tem de melhor para oferecer. Nos últimos anos, cresceu o número de turistas na cidade. Sul-americanos, norte-americanos e europeus são cada vez mais notados nos cafés dos Jardins, calçadas da Avenida Paulista, cinemas da Consolação e nas festas na Vila Olímpia e Centro.

São Paulo também tem regiões aprazíveis e bucólicas, lugares onde se pode contemplar e interagir com a natureza, e variadas atrações que podem desmistificar preconceitos em relação à cidade. Desbrave-a e surpreenda-se.

Os cidadãos paulistanos têm a reputação de trabalhar muito, mas também descansam e sabem se divertir aproveitando a vida. A noite paulistana é uma das mais agitadas do mundo, com centenas de casas noturnas, boates, casas de shows, peças teatrais, restaurantes, danceterias, bares, com programas para todos os gostos.

Local de grandes acontecimentos da vida econômica, social, política e cultural do Brasil, São Paulo é hoje detentora de um rico passado construído ao longo de seus 460 anos de existência. Toda essa história hoje se traduz em ruas, praças, monumentos e edifícios que junto a um grande número de museus, memoriais e centros de cultura ajudam enriquecer a bagagem cultural dos turistas que a cidade recebe.

Chegar[editar | editar código-fonte]

De avião[editar | editar código-fonte]

São Paulo é servida por 4 aeroportos.

GRU - Aeroporto Internacional de Guarulhos[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto Internacional de Guarulhos (IATA: GRU, ICAO: SBGR) ou ainda, Aeroporto de Cumbica, fica a cerca de 30 km do centro, na cidade de Guarulhos, atende voos domésticos e internacionais, é o principal aeroporto da América do Sul, servindo de hub, ou escala para vários voos da América do Sul. No local, operam as companhias nacionais Air Minas, Avianca Brasil (antiga OceanAir), Passaredo, TAM, Varig/Gol. Na área internacional, estão Aerolineas Argentinas, Aeromexico, Aerosur, Alitalia, American Airlines, Air Canada, Air China, Air France, Avianca, British Airways, Continental, Copa, Delta, Emirates, Iberia, Iberia, LAN, Lufthansa, KLM, Korean, JAL, Pluna, South African, Swiss, TAP, Taca, United, entre outras..

Os dois terminais existentes costumam lotar no início da manhã, final da tarde e começo da noite, horário de chegada e partida dos principais voos internacionais e domésticos. Nesses horários, é mais que recomendável seguir à risca o pedido das companhias aéreas de apresentação duas horas antes do voo para passageiros com destino internacional e uma hora nos voos domésticos. No desembarque internacional, é comum enfrentar filas na alfândega para os procedimentos da Polícia Federal, principalmente nos horários citados.

São Paulo vista a partir da pista do Aeroporto de Concgonhas

O Aeroporto de Guarulhos é bem sinalizado e servido por uma série de lanchonetes, restaurantes, lojas, livrarias, farmácias, agência de correios e locais que oferecem acesso à internet. Casas de câmbio estão na área de desembarque dos dois terminais e no mezanino superior. Nas salas de embarque internacional, também há quiosques e casas de câmbio. As taxas costumam ser ligeiramente maiores que as praticadas em São Paulo e há, ainda, taxa por operação que costuma ser de cerca de R$ 10.

Para sair do aeroporto

Do Aeroporto, existe o Airport Bus Service [1] que leva passageiros para o centro da cidade, Aeroporto de Congonhas, Terminal Rodoviário do Tietê, Terminal Rodoviário da Barra Funda, Itaim Bibi, Praça da República, Metrô Tatuapé e circuito dos hotéis da Avenida Paulista e Rua Augusta. Existem também os ônibus urbanos da EMTU que operam em intervalos de 20 minutos entre o Aeroporto de Guarulhos e a Estação Tatuapé do Metrô, na zona leste da cidade. Outras empresas operam linhas menos frequentes para Campinas, Santos, São José dos Campos e São Vicente, cidades do interior e litoral de São Paulo. Há, ainda, linhas regulares para bairros da cidade de Guarulhos.

CGH - Aeroporto de Congonhas[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de São Paulo/Congonhas (IATA: CGH, ICAO: SBSP), este localizando na área urbana da Zona Sul, a 8 km do Centro, comporta apenas voos domésticos e a popular ponte aérea São Paulo – Rio de Janeiro. Já foi o mais movimentado aeroporto do Brasil; hoje, muitos voos foram movidos de lá, por questões de segurança. Lá operam Gol, TAM, Avianca Brasil, Pantanal, NHT.

Para sair do aeroporto

Há algumas linhas de ônibus que passam em frente ao terminal, sendo esta a única opção de transporte público, porém, é superlotado e pouco seguro. Trens e metrô não se encontram em áreas próximas. A melhor opção são os táxis comuns, no próprio aeroporto há uma área distinta no subsolo destinada a esses táxis.

Aeroporto Campo de Marte[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Campo de Marte (IATA: MAE, ICAO: SBMT) , é um aeroporto exclusivamente para aviação geral, executiva e táxi aéreo, não havendo nenhuma linha de voos comerciais.

VCP - Aeroporto Internacional de Viracopos[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Internacional de Viracopos (IATA: VCP, ICAO: SBKP) localizado em Campinas, a 99 km do centro de São Paulo, é uma das alternativas a Congonhas (e às vezes Cumbica) em dias de chuva. Também é um aeroporto de voos, em sua maioria, mais baratos.

A empresa nacional Azul [2] usa esse aeroporto como sua principal base. Há também três voos semanais de/para Lisboa, e outros de/para Montevidéu. A maioria das companhias que operam em Viracopos oferecem ônibus para São Paulo, normalmente parando no Centro ou na Zona Oeste.

Delegacia especial para turistas[editar | editar código-fonte]

DEATUR

  • Centro, tel. 11 3104-0209
  • Aeroporto Internacional de Cumbica, tel.11 6445-2221
  • Aeroporto Internacional de Congonhas, tel.11 5090-9032
  • Campinas, tel.19 3725-5001

De trem[editar | editar código-fonte]

A Estação da Luz hoje abriga o Museu da Língua Portuguesa.

De ônibus[editar | editar código-fonte]

A cidade São Paulo possui atualmente três terminais rodoviários. São eles:

  • Terminal Tietê, o maior da América Latina e o segundo maior do mundo, atrás apenas do de Nova York. Deste terminal parte e ali chega a maioria das linhas estaduais, interestaduais e todas as internacionais (de/para Argentina, Uruguai, Paraguai, Peru e Chile).
  • Terminal Barra Funda, de onde partem e chegam as linhas da região oeste do Estado de São Paulo, além de algumas interestaduais, como Goiânia (GO), oeste do Paraná e Mato Grosso do Sul, até a fronteira com a Bolívia. Se situa na zona oeste da cidade.
  • Terminal Jabaquara, de/para a Baixada Santista. Alocado na zona sul da cidade e com fácil acesso à Rodovia dos Imigrantes.

Todos os terminais rodoviários são interligados ao metrô, para maior facilidade de acesso. As passagens das linhas que usam os terminais Tietê e Barra Funda também podem ser consultadas (valor, empresa, links etc.) pela internet [3].

De carro[editar | editar código-fonte]

Estas são as principais rodovias de acesso a São Paulo:

  • Anchieta (SP-150) e Imigrantes (SP-160) - É a ligação entre a região metropolitana com o Porto de Santos, o Polo Petroquímico de Cubatão, as indústrias e fábricas do ABCD (Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Diadema) e a Baixada Santista. Cobra os maiores pedágios do país.
  • Anhanguera (SP-330), [4] - Passa pelas cidades paulistas de Jundiaí, Campinas e Ribeirão Preto, ligando o estado ao Triângulo Mineiro; com acesso no km 153 a Washington Luís (SP-310), liga a São Carlos, Araraquara e São José do Rio Preto.
  • Bandeirantes (SP-348), - Liga a capital paulista a Campinas, ao Aeroporto Internacional de Viracopos e a Cordeirópolis; com acesso no km 168 a Washington Luís (SP-310), liga a São Carlos e São José do Rio Preto.
  • Castello Branco (SP-280), [5] - Estrada que passa por Carapicuíba e cidades do interior do Estado de São Paulo.
  • Ayrton Senna-Carvalho Pinto (SP-070) - A Ayrton Senna, antiga Trabalhadores, liga São Paulo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos e às rodovias Presidente Dutra e Carvalho Pinto. Usada para quem se dirige ao Rio de Janeiro ou ao litoral norte do Estado de São Paulo. Através da Carvalho Pinto, chega-se a Campos do Jordão e a Taubaté.
  • Presidente Dutra (BR-116), [6] - Via de acesso para visitantes do Estado e da cidade do Rio de Janeiro. Também liga as cidades paulistas de Guaratinguetá, São José dos Campos e Taubaté à capital.
  • Raposo Tavares (SP-270), [7] - Liga a cidade a cidades do interior do Estado.
  • Fernão Dias (BR-381), [8] - Liga São Paulo a Minas Gerais.
  • Régis Bittencourt (BR-116) [9] - É a ligação entre São Paulo e o sul do Brasil. A rodovia é o principal acesso para Curitiba e cidades da Grande São Paulo como Embu, Taboão da Serra e outras como Registro, no sul do Estado.
  • Rodoanel - Projetado para interligar todas as rodovias que chegam à cidade, sem precisar atravessá-la. Atualmente conecta as rodovias Bandeirantes, Anhanguera, Castelo Branco, Raposo Tavares, Régis Bittencourt, Anchieta e Imigrantes. Os trechos leste e o norte unirão ainda a Trabalhadores (Ayrton Senna), a Dutra e a Fernão Dias, fechando o círculo em torno da cidade, mas ainda não há previsão de início das obras.

Circular[editar | editar código-fonte]

De táxi[editar | editar código-fonte]

A cidade de São Paulo possui uma das maiores frotas de táxis do mundo, são mais de 110 mil veículos destinados a este tipo de transporte divididos em três categorias: comum, especial e rádio táxi. No comum, é cobrado um valor fixo inicial de R$ 4,10 mais um valor que varia conforme a quilometragem e o horário: bandeira 1' (seg. a sáb. das 6h às 20 h) R$ 2,50/km; bandeira 2 (seg. a sáb. das 20h às 6h, dom. e feriados) R$ 3,25. Há também a possibilidade de se negociar um preço fixo para um destino, ou por um período de horas, antes do passeio. Geralmente os taxistas são bastante confiáveis e conhecem bem a cidade, os veículos são limpos e tem bom estado de conservação. É possível encontrá-los com facilidade, principalmente perto de restaurantes, clubes noturnos, hotéis etc.

Vista panorâmica de São Paulo a partir do observatório público do Prédio do Banespa

Os táxis especiais, que costumam ficar em hotéis e são identificados com uma tarja vermelha nas portas dianteiras, além do nome especial, custam 25% mais caro que o comum.

Se preferir, chame um rádio táxi por telefone , como por exemplo ligando para a Delta Táxi 11 5072-4499 [10]; Usetáxi 11 5582-2000 ou Golden 11 3138 0000. Esse serviço cobra o mesmo valor do táxi comum, porém com taxímetro ligado apenas quando se entra no carro.

A tarifa cobradas pelos táxis é, em geral, considerada alta pelos próprios paulistanos, ainda mais quando se considera que no caminho entre origem e destino pode haver congestionamentos que encareçam ainda mais a viagem.

De carro[editar | editar código-fonte]

Há inúmeras locadoras de veículos em São Paulo e inclusive filiais das maiores locadoras internacionais como a Hertz, Avis, Budget e outras. Os preços dos veículos, períodos de locação, locais de retirada e entrega de veículos e reservas podem ser feitos facilmente e com alguma antecedência pela internet e os preços, se comparados com as locações feitas nos Estados Unidos, são mais ou menos equivalentes.

Lembre que no Brasil há disponibilidade de veículos flexfuel, a etanol e a gasolina e que o preço do etanol geralmente é bem mais vantajoso.

Apesar do trânsito caótico, andar de carro pode ser uma boa opção, já que os ônibus deixam de circular à 1h e os metrôs à 0h. Caso essa escolha seja feita, porém, é preciso prestar atenção no rodízio municipal de veículos por toda a região do Centro Expandido e nos lugares próprios para estacionamento.

  • Informações sobre o trânsito: CET, tel. 1188 (ligação gratuita).
  • Informações sobre Rodovias Estaduais: DER, 11 3311.1400.
  • Importante: É obrigatório o uso de cinto de segurança e o motorista é proibido de falar no celular enquanto dirige.
  • Muito cuidado com os motociclistas ao dirigir nas grandes avenidas; os "motoboys" costumar circular entre as faixas de rolamento, não facilitam a mudança de faixa para os demais veículos nem respeitam as regras de trânsito. O pior: cheios de direito, eles sempre acham que têm razão.
A Pinacoteca do Estado de São Paulo, no Centro, é a Galeria mais antiga da cidade e possui rico acervo de quadros e esculturas de artistas brasileiros e estrangeiros de grande prestígio

.

Rodízio municipal[editar | editar código-fonte]

  • Segunda-feira: placas com finais 1 e 2
  • Terça-feira: placas com finais 3 e 4
  • Quarta-feira: placas com finais 5 e 6
  • Quinta-feira: placas com finais 7 e 8
  • Sexta-feira: placas com finais 9 e 0

O rodízio funciona das 7 às 10h e das 17 às 20h, na região conhecida como Centro Expandido.

Estacionamento[editar | editar código-fonte]

O sistema de estacionamento rotativo pago na cidade, denominando Zona Azul, possibilita aos usuários o estacionamento nas principais vias (sinalizadas por placas da Zona Azul) por um período geralmente de 1h. Os horários de utilização da Zona Azul compreendem de 2ª a 6ª feira das 7h às 19h e aos sábados das 7h às 13h, estando devidamente regulamentado nas sinalizações verticais implantadas nas áreas de abrangência, podendo haver exceções conforme necessidade da área.

Instruções
  1. O Cartão Azul permite a permanência de 01 hora na vaga. O período máximo de permanência na mesma vaga é de 2 horas, sendo obrigatória a retirada do veículo ao término desse período, exceto nos locais onde a sinalização vertical estabelecer períodos de permanência diferenciados. Nas placas de regulamentação da Zona Azul estão indicados horários, dias de funcionamento, condições para o estacionamento e período de permanência na vaga.
  2. Preencher o cartão somente com caneta esferográfica, informando a placa do veículo e todo o campo do dia, mês, hora e minuto de sua chegada.
  3. Coloque o cartão sobre o painel do veículo com a frente voltada para cima, permitindo sua leitura, sendo proibido portar o cartão por fora do próprio veículo.
  4. Pode-se usar, no máximo, dois cartões a cada vez na mesma vaga.
  5. Dependendo do local, o cartão pode valer ainda 2h (ex.Parque do Ibirapuera) ou 3h (ex.Praça Charles Miller/Estádio do Pacaembu).

Tarifa normal: 1 hora = 1 cartão = R$ 3,00 (ref. ago/2010).

De ônibus[editar | editar código-fonte]

O ônibus municipal é o meio de transporte mais utilizado na cidade. Todas as regiões são atendidas pelas 1300 linhas de ônibus que circulam na cidade, mas apesar da grande amplitude de atendimento e do grande número de ônibus em circulação, quase 15 mil, é um meio de transporte demorado, especialmente nos horários de pico. O bilhete custa R$ 3,20 e deve ser pago diretamente ao cobrador no embarque, mas se você planeja pegar mais de um ônibus em até três horas, a melhor opção é utilizar o cartão eletrônico chamado Bilhete único, que dá direito a até 4 viagens em um período de 3 horas pelo preço de uma única passagem. Esse mesmo bilhete serve também para o Metrô e trens da CPTM. A integração de ônibus (até 3 viagens em 3h) com trem ou metrô custa R$ 4,65 (com o bilhete único). Existe uma quota mínima para aquisição do bilhete, à venda em diversos postos [11]. Nos ônibus da cidade, o passageiro embarca pela frente e desembarca na parte de trás. Nos corredores de ônibus, o embarque e o desembarque são feitos pelas portas que ficam do lado do motorista. O sistema de ônibus da cidade é divido em 8 áreas correspondentes pelas cores dos veículos e número de ordem. Há micro-ônibus, ônibus padrões (comuns), articulados, biarticulados e trólebus.

Evite andar de ônibus no horário de pico caso você esteja portando malas ou maletas, e fique atento aos seus pertences quando o ônibus estiver lotado.

  • Informações sobre itinerários de ônibus, tel. 156 (ligação gratuita)

De metrô e trem[editar | editar código-fonte]

Mapa com todas as linhas de trem e metrô existentes no momento.

São Paulo possui um dos sistemas de metrô mais modernos, seguros, limpos e com um dos maiores em número de usuários por m² do mundo. Ainda assim, o sistema ainda não cobre todas as regiões da cidade, embora esteja em processo de expansão. Por ser rápido e seguro, é a opção de meio de transporte mais recomendada quando se vai para locais próximos a alguma estação. No horário de pico, porém, a viagem pode ser um pouco incômoda, já que a média de passageiros transportada é de 147 mil/hora, sentido no total das 3 principais linhas.

São ao todo 372 km trilhos divididos entre 13 linhas, sendo as linhas 1, 2, 3 e 15 gerenciadas pela Cia. do Metrô de São Paulo (METRÔ-SP), a Linha 4 gerenciada pela empresa privada ViaQuatro, a Linha 5 gerenciada pela empresa privada ViaMobilidade e as demais linhas gerenciadas pela Cia. Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Embora, por razões históricas, a maioria dos paulistanos chamem as linhas da CPTM de "linhas de trem" (e não de metrô), não há atualmente diferenças consideráveis entre a maioria das linhas destas empresas, salvo pelo fato de a CPTM também atender municípios vizinhos ter algumas de suas linhas ainda em processo de modernização.

A tarifa do sistema metro-ferroviário de São Paulo para o ano de 2019 é de R$4,30. Existem também outras modalidades de bilhetagem que não o avulso unitário. O Bilhete Fidelidade por exemplo oferece a possibilidade de comprar-se 8, 20 ou 50 viagens com descontos que variam de acordo com o número de viagens carregadas no mesmo o que no caso de uma carga de cinquenta viagens pode gerar uma economia de até R$22,50 podendo este bilhete ser usado somente no sistema de trens e metrô.

As linhas que compõem a malha metroferroviário são as que seguem:

  • 1/Azul, Tucuruvi - Jabaquara (Integrada ao Terminal Rodoviário Tietê e ao Terminal Rodoviário Jabaquara)
  • 2/Verde, Vila Madalena - Vila Prudente
  • 3/Vermelha, Palmeiras/Barra Funda - Corinthians/Itaquera (Integrada ao Terminal Rodoviário Barra Funda)
  • 4/Amarela, Luz - Morumbi (em obras de expansão até a Vila Sônia)
  • 5/Lilás, Capão Redondo - Chácara Klabin
  • 7/Rubi, Luz - Francisco Morato, com extensão operacional até Jundiaí
  • 8/Diamante, Júlio Prestes - Itapevi, com extensão operacional até Amador Bueno
  • 9/Esmeralda, Osasco - Grajaú
  • 10/Turquesa, Brás - Rio Grande da Serra
  • 11/Coral, Luz - Estudantes
  • 12/Safira, Brás - Calmon Viana
  • 13/Jade, Brás/Engenheiro Goulart - Aeroporto Guarulhos (Integrada ao Aeroporto de Guarulhos - GRU)
  • 15/Prata, Vila Prudente - Jardim Planalto
Bairro do Pacaembu

Horário de funcionamento: Domingo à Sexta-feira das 4h40 às 00h00 e aos Sábados das 4h40 à 1h00. As integrações entre linhas operadas por diferentes empresas é gratuita, e é garantida até a meia noite.

A Linha 4/Amarela (Luz - Vila Sônia) tem dez estações em funcionamento e opera com trens 100% automáticos e sem operadores e é considerada a mais moderna linha de Metro da América Latina[1]. Até 2021 a estação Vila Sônia será aberta, totalizando 11 estações nesta linha. A Linha 6/Laranja está em projeto e deverá ligar em sua primeira fase a Freguesia do Ó até São Joaquim, e posteriormente sendo estendida até o Jardim Anália Franco. O edital de licitação está previsto para sair em 2012 e a entrega do primeiro trecho deverá ocorrer em 2017. A Linha 13/Jade (Brás - Aeroporto de Guarulhos) foi inaugurada no primeiro semestre de 2018 e interliga o sistema ferroviário da capital ao Aeroporto de Guarulhos. A Linha 14/Onix que serviria a este propósito inicialmente, foi suspensa devido a concorrência de trecho com o TAV Rio de Janeiro - São Paulo, e a interligação do aeroporto foi transferida para a Linha 13. A Linha 17/Ouro está em obras e deverá interligar o Aeroporto de Congonhas ás linhas 5-Lilás e 9-Esmeralda, com inauguração prevista para 2021.

Nos finais de semana é possível fazer passeios turísticos guiados saindo da estação Sé do metrô, através do programa Turismetrô, ao custo apenas dos bilhetes do percurso.

É possível transportar a bicicleta no metrô a partir das 20h30 de 2ª a 6ª, das 14h aos sábados e o dia todo aos domingos e feriados, sempre no último vagão, limitado a 4 bicicletas por composição.

Veja[editar | editar código-fonte]

  • Para uma lista mais detalhada dos pontos de maior interesse na cidade, procure diretamente na seção sobre as regiões da cidade, acima.
  • Volta de Ônibus - Um passeio pela linha de trólebus 408A (Machado de Assis/Cardoso de Almeida) pode ser uma boa maneira de ver uma parte da cidade, pois ela cruza diversos pontos de interesse, como o Pátio do Colégio, a Sede da Prefeitura, a Praça da República, o Bairro de Higienópolis, a Faap, o Estádio do Pacaembu, a Universidade Mackenzie, o Edifício Copan, o Edifício Itália, a Câmara Municipal, a Catedral da Sé, a Praça João Mendes, e o Bairro da Liberdade.
Museu Catavento, espaço científico interativo muito próximo ao Mercado Municipal
  • Centro - Uma caminhada pelo centro da cidade durante o dia para apreciar a arquitetura passando passando por pontos chave da história da cidade como o Mosteiro de São Bento, a Bolsa de Valores, o Páteo do colégio, Viaduto do Chá, Teatro Municipal, Edifício Martinelli, Catedral da Sé etc.
  • Avenida Paulista - Caminhar pelas largas calçadas da Av. Paulista é uma boa forma de "sentir o ambiente" de São Paulo. Aproveite para conferir a Livraria Cultura do Conjunto Nacional, visite Centro Cultural Itaú, o Sesc Paulista, o Parque Trianon, o MASP, o cinema Reserva Cultural, a Casa das Rosas etc.
  • A cidade de Bike - Alugue uma bicicleta e dê uma volta pela ciclovia da Marginal Pinheiros, passando dentro da estrutura da famosa ponte estaiada em meio ao novo centro de negócios da cidade.
  • Museu do Ipiranga - Caminhe pelos jardins do Parque da Independência junto ao "Museu do Ipiranga" Aproveite a visita para apreciar, no primeiro piso do Museu, a tela "Independência ou Morte". Ao sair do Museu veja o "Monumento à Independência" as margens do Riacho do Ipiranga, que abriga cripta funerária contendo os restos mortais de D. Pedro I e das imperatrizes Dona Leopoldina e Dona Amélia.
  • Museu da Língua Portuguesa/Jardim da Luz/Pinacoteca do Estado - São três atrações que ficam uma ao lado da outra, assim sendo vale a pena estando em uma delas visitar as demais. O Jardim da Luz foi o primeiro parque público da cidade e o primeiro lugar ao ar livre da cidade a receber luz elétrica sendo à época frequentado pela elite da cidade. O Museu da Língua Portuguesa fica na Estação da Luz com arquitetura inglesa de estilo vitoriano, por onde chegaram à cidade boa parte dos imigrantes estrangeiros que povoaram a cidade. Este museu é dedicado à uma linguagem moderna e interativa na interação do visitante junto ao acervo que é dedicado à língua portuguesa, sendo este museu o primeiro no mundo dedicado a um idioma de origem européia. A Pinacoteca do Estado é um dos museus mais importantes do país, perdendo em relevância na cidade apenas para o MASP.
  • MASP - Estando em São Paulo visite o mais importante acervo de arte européia do hemisfério sul e América Latina. Confira quadros originais dos maiores nomes da arte ocidental de todos os tempos como Rembrandt, Van Gogh, Rafael, Goya, Botticelli, Renoir, Velázquez etc.Localizado em um edifício de arquitetura singular e imponente que se destaca na Avenida Paulista o Museu de Arte de São Paulo é parada obrigatória para turistas que passam pela cidade.
  • Mirantes Gratuitos no centro - Conheça os mirantes gratuitos da região, seja no Prédio do Banespa das 10:00 às 15:00 horas de segunda à sexta, (cuja permanência no mirante é de apenas 5 minutos) ou no Edifício Itália cuja visita gratuita vai das 15:00 às 16:00 horas de segunda à sexta. O Edifício Martinelli e o Edifício Copan também permitem a visita a seus mirantes e em horários e dias específicos.
  • Predefinição:Veja
  • Museu do Futebol - Conheça um elogiado museu interativo e surpreendentemente moderno dedicado ao Futebol em pleno Estádio do Pacaembu.
  • Predefinição:Veja
  • Predefinição:Veja
  • Predefinição:Veja

Faça[editar | editar código-fonte]

Teatros e cinemas[editar | editar código-fonte]

O que não falta em São Paulo são cinemas, teatros e outras opções de lazer; desde espetáculos teatrais gratuitos, até produção aos moldes da Broadway. Há alguns cinemas de rua, preferidos pelos cinéfilos. Mas a grande maioria cinemas são situados em shopping centers.

Teatro Municipal de São Paulo inspirado na Ópera de Paris

Os principais teatros onde se pode ver espetáculos gratuitos são: Teatro Popular do SESI, algumas unidades do SESC, Teatro do Núcleo Experimental. Já os espetáculos mais grandiosos ficam nos teatros: Renault - antigo teatro Abril, na Bela Vista, Teatro do Shopping Frei Caneca, Teatro Bradesco e Teatro Procópio Ferreira. Além desses, a cidade conta com inúmeros outros, onde são encenadas peças desde as mais simples às mais rebuscadas, além de óperas e musicais.

Shows[editar | editar código-fonte]

A cidade é escala quase que obrigatória para os grandes Shows internacionais de passagem pela América Latina, não sendo raras as vezes em que as temporadas locais se estendem, em virtude da grande demanda de publico que já é uma marca da cidade.

Os mega eventos são rotina na cidade como o festival internacional de música Lollapalooza, realizado até 2013 no Jockey Club e em 2014 no Autódromo de Interlagos; a "Virada Cultural"; realizada principalmente no Centro Histórico; o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, realizado no Autódromo de Interlagos; a São Paulo Fashion Week, a Bienal Internacional de Artes e a Bienal de Arquitetura de São Paulo no Parque do Ibirapuera, a Corrida Internacional de São Silvestre, o Show de Réveillon e a Parada do Orgulho GLBT na Avenida Paulista, entre outros.

Natureza, esportes e descanso[editar | editar código-fonte]

Predefinição:Distritificar Apesar de pouco divulgado o patrimônio natural da cidade é riquíssimo e pode revelar-se como um prazeroso e surpreendente atrativo turístico da cidade, ainda que em alguns casos determinados locais não tenham acesso muito fácil ,sendo necessário usar ônibus, e nem uma estrutura totalmente adaptada as necessidades de que os visitantes possam eventualmente precisar, embora não seja nada que possa fazer o passeio não ter valido a pena. O montante de áreas verdes presente na cidade de São Paulo inclui quase uma centena da parques urbanos, enormes reservas de mata atlântica nativa preservada principalmente nos extremos sul (Parque Estadual da Serra do Mar) e norte da cidade (Parque Estadual da Serra da Cantareira, Parque Estadual do Jaraguá e Parque Anhanguera), morros a partir dos quais é possível contemplar o gigantismo da cidade e onde se pode fazer trilhas (Pico do Jaraguá e Pedra Grande), represa com iate clube onde é possível a prática de esportes náuticos e que possui além de ilhas, parque linear nas margens e inclusive praias oficiais com patrulhamento das águas feito pela Capitania dos Portos (Represa da Guarapiranga) além de grandes praças (Praça Victor Civita, Praça do Por do Sol, Praça Panamericana, etc)e uma crescente malha cicloviária que se torna ainda maior e mais movimentada aos fins de semana quando muitas regiões da cidade tem faixas de suas principais avenidas e ruas reservadas apenas para o transito de exclusivo de bicicletas sendo possível desta forma ir pedalando desde o Parque Villa Lobos, passando pelo Parque do Ibirapuera, Jardins e Avenida Paulista até chegar no Centro Histórico da cidade.

Parque da Independência, junto ao Museu do Ipiranga e ao Monumento à Independência, no local onde foi proclamada a independência do Brasil.
Pico do Jaraguá em meio ao Parque Estadual do Jaraguá, possui grande reserva de mata atlantica nativa ao seu redor, trilhas e mirantes de onde se pode observar a cidade.

Os parques urbanos mais centrais, e que por isso tem fácil acesso por transporte público, em especial pelo metrô ou trens urbanos são:

  • Parque Trianon, um agradável e pequeno parque encravado no coração pulsante da cidade, em plena Avenida Paulista, fica bem em frente ao MASP, um oásis nos dias de maior calor, possui farta vegetação que garante um ambiente com muita sombra, possui pequenas alamedas pavimentadas com pedra portuguesa, bancos de madeira, banheiros e as árvores são nativas da Mata Atlantica, sendo este não apenas um parque criado mas sim uma pequena porção de mata nativa remanescente da original que cobria toda a região. Fica próximo à Estação Trianon-Masp da linha 2-Verde do Metrô.
  • Parque da Água Branca- Oficialmente chamado Parque Fernando Costa é um espaço recententemente reurbanizado que tem como proposta retratar o estilo de vida do interior paulista, por esse motivo se notam desde galinhas caminhando com seus pintinhos pelos jardins até pavões, patos, gansos, vacas e a cavalos. O parque conta com um aquário, com ingressos a R$2; pista para caminhada, bancos, mesas com cadeiras, espaço de leitura, sombra abundante, edifícios históricos, trilha com demonstração de espécies de árvores, lagos e arena para apresentações equestres além de receber duas vezes ao ano a feira "Revelando São Paulo" onde expositores de todas as partes do estado comercializam artesanato, vestimenta e comidas típicas do interior paulista. Fica próximo a Estação Barra Funda da linha 3-vermelha do Metrô.
  • Parque Villa Lobos- Um excelente exemplo de transformação de área feia e degradada em local nobre e com ótimas opções de lazer e recreação. Este parque está no local onde até o início dos anos 80 funcionou um aterro sanitário o que em nada tem a ver com a área extramente valorizada em que se transformou atualmente. Conta com uma grande ciclovia que circunda todo o parque e que fica lotada aos fins de semana, possui pista de patinação em excelente estado e segregada de pedestres e ciclovia além de muitas quadras esportivas, orquidário, arena para apresentações ao ar livre, banheiros em bom estado e limpos, aluguel de bicicletas e triciclos. Fica na Estação Villa Lobos - Jaguaré da linha 9-Esmeralda da CPTM.
  • Parque do Povo - encravado em uma da regiões mais valorizadas da cidade é um dos parques mais novos de São Paulo. Assim como os anteriores está em ótimo estado de conservação. Possui ciclovia, pista de caminhada, quadras esportivas, jardins bem cuidados banheiros limpos e em bom estado. Fica na Estação Cidade Jardim da Linha 9-Esmeralda da CPTM.
  • Parque da Luz - é um parque tradicional e já centenário, fica em frente a Estação da Luz, possui esculturas, lago e coreto históricos. Foi o primeiro local público de São Paulo a receber iluminação elétrica. Está integrado a Pinacoteca do Estado de São Paulo que foi o primeiro museu e é provavelmente o segundo mais importante da cidade depois do MASP em relação a qualidade e relevância do acervo.Fica na Estação Luz da Linha 1-Azul ou 4-Amarela do metrô além da linhas de trêm: 7-Rubi e 11-Coral.
  • Parque da Juventude - É um parque relativamente novo. Seu grande destaque fica pelo fato de estar situado em área que abrigou a famosa Casa de detenção do Carandiru, que virou até filme. O parque possui aquela que é talvez a biblioteca mais moderna da cidade (Biblioteca de São Paulo), além de uma Escola Estadual de Ensino Técnico, Lanchonete e restaurante, pistas de Skate, aparelhos de ginástica ao ar livre para deficientes, playground e parte preservada das muralhas do antigo presídio encima das quais é possível ao visitante caminhar. Fica na Estação Carandiru da Linha 1-Azul do metrô.
  • Parque do Ibirapuera - Mesmo não estando próximo ao metrô é um dos maiores e certamente o mais famoso parque urbano da cidade, em seu interior há um conjunto arquitetônico assinado por Oscar Niemeyer composto de uma enorme marquise sob a qual é comum notar a presença de patinadores e skatistas, um Teatro, o prédio da Oca, o Pavilhão Cecílio Matarazzo onde ocorre a Bienal, e o Pavilhão Manoel de Nóbrega onde funciona o Museu Afro Brasil dedicado a cultura negra. No parque ainda são encontrados dois lagos; o Obelisco dos Heróis de 1932; a Estátua à Pedro Álvares Cabral; o planetário; amplo gramado para descanso, quadras esportivas, pistas de Cooper; Ciclovia; bicicletas para aluguel; e dezenas de espécies animais.
  • Parque Estadual da Serra da Cantareira - pode ser uma boa opção de passeio em meio a natureza, é enorme e dividido em núcleos, quatro desses são abertos aos visitantes: Pedra Grande, Engordador , Águas Claras e Cabuçu, possui lagos, trilhas, rica flora e fauna com mais de 200 espécies animais. Uma das maiores florestas urbanas do mundo (área equivalente a oito mil campos de futebol) de Mata Atlântica preservada, foi declarado, juntamente com o Parque Estadual do Jaraguá, também na zona norte, Reserva da Biosfera pela UNESCO em 1994. No núcleo Pedra Grande, ao lado do vizinho Horto Florestal, há uma trilha asfaltada (9,6 Km) que leva até uma grande rocha a quase 1.010 metros de altura, onde se pode avistar a cidade de São Paulo, principalmente a região mais central, sendo que em dias claros é possível ver até a Serra do Mar no extremo sul da cidade e o Pico do Jaraguá. Ingressos são vendidos somente até as 15:00 aos fins de semana e feriados. Ônibus urbanos no metrô Parada Inglesa da linha 1-Azul do Metrô fazem a ligação (até o Horto Florestal).

Atividades e eventos[editar | editar código-fonte]

Edifício da Bienal Internacional de Artes de São Paulo, projetado por Oscar Niemeyer.
A Iluminação natalina do parque do Ibirapuera com as projeções áudio visuais da fonte multimídia e a árvore de natal gigante formam uma atração clássica da cidade nos finais de ano.
O GP-Brasil de Fórmula 1 é um dos eventos mais importantes do calendário da cidade atraindo milhares de turistas, brasileiros e estrangeiros.
A parada do orgulho GLBT de São Paulo é considerada uma das maiores do mundo em número de participantes, atraindo turistas do Brasil e do mundo.

O turismo na cidade é principalmente o turismo de negócios, já que a cidade é a capital de eventos da América Latina. Possui uma grande infraestrutura. Das 160 feiras sediadas no Brasil, 140 ocorrem em São Paulo. São 90 mil eventos por ano, atraindo mais de 15 milhões de participantes. Dentre eventos de negócios até festivais de música, acontece cerca de 1 evento a cada 6 minutos.

Janeiro[editar | editar código-fonte]

  • Aniversário da Cidade (dia 25)
  • São Paulo Fashion Week – Outono inverno

Fevereiro[editar | editar código-fonte]

  • Carnaval

Março[editar | editar código-fonte]

  • Bienal Internacional do Livro (anos pares)

Abril[editar | editar código-fonte]

  • Festival Internacional de Documentários

Maio[editar | editar código-fonte]

  • Grande Prêmio São Paulo de Turfe
  • São Paulo Indy 300 (Fórmula Indy)
  • Casa Cor São Paulo
  • Virada Cultural (São Paulo 24 horas de Shows Musicais e Eventos Culturais)

Junho[editar | editar código-fonte]

  • Marcha para Jesus
  • Skol Sensation
  • Parada do Orgulho LGBT (sempre no domingo que segue o feriado de Corpus Christi, podendo também cair em maio)
  • Maratona Internacional de São Paulo

Julho[editar | editar código-fonte]

  • São Paulo Fashion Week – Primavera verão
  • Dia da Pizza
  • Festa de San Vito
  • Anima Mundi - Festival Internacional de Animação que acontece em São Paulo e no Rio de Janeiro desde 1993. A localização varia a cada ano.
  • Desfile cívico comemorando o dia da Revolução Constitucionalista de 1932 - em frente ao Obelisco do Ibirapuera, sempre nos feriados de 9 de Julho.
  • Festival do Japão que é em Homenagem a imigração Japonesa na cidade de São Paulo.

Agosto[editar | editar código-fonte]

  • Festa de Nossa Senhora Achiropita [12]
  • Festa das Nações
  • Bienal Internacional do Livro (anos pares) [2]

Setembro[editar | editar código-fonte]

  • Desfile Cívico da Independência
  • Revelando São Paulo – Festa da Cultura Paulista Tradicional
  • Festa de San Gennaro
  • Festival Música Nova

Outubro[editar | editar código-fonte]

  • Revelando São Paulo - Festival de Cultura Tradicional Paulistana
  • Brooklin Fest - Festival gastronômico da comunidade alemã
  • Corredor Literário na Paulista
  • Bienal Internacional de Arquitetura (anos ímpares)
  • Bienal Internacional de Arte (anos pares)
  • Mostra Internacional de Cinema
  • Salão Internacional do Automóvel (anos pares)
  • Feira Nacional do Transportes - Fenatran (anos ímpares)

Novembro[editar | editar código-fonte]

  • Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual (Cinema e Vídeo)
  • Semana da Consciência Negra
  • Virada Esportiva
  • Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1

Dezembro[editar | editar código-fonte]

  • Torneio Internacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino
  • Natal Iluminado
  • Corrida Internacional de São Silvestre (dia 31)
  • Réveillon na Paulista (dia 31)

Aprenda[editar | editar código-fonte]

Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

A cidade é sede de algumas das principais Universidades e núcleos de pesquisa do país. Por isso, é destino de estudantes de várias partes do Brasil e inclusive do exterior, principalmente da América do Sul e nações de língua portuguesa. O destaque fica com a Cidade Universitária, no bairro do Butantã, lar da Universidade de São Paulo (USP), principal instituição de ensino superior brasileira. A capital paulista também abriga unidades da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Entre as instituições privadas, as mais renomadas são a Fundação Getúlio Vargas, Pontifícia Universidade Católica (PUC), Universidade Anhembi-Morumbi e Universidade Mackenzie.

O conhecimento, entretanto, não se limita apenas aos bancos escolares. A cidade também oferece inúmeras outras formas de aprendizado. Museus e centros culturais mantêm uma extensa lista de cursos de arte, design, arquitetura, fotografia, moda, entre outros temas. Para a terceira idade, a cidade conta com Universidades privadas que oferecem cursos regulares a esse público. Outra vertente que ganha força é a Universidade Livre de Música, instituição pública mantida pelo Governo do Estado, que oferece cursos de música clássica e popular. A sede da instituição fica a poucos metros da Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp).

Trabalhe[editar | editar código-fonte]

São Paulo é uma das cidades que atraem o maior número de trabalhadores, e é onde se mais abre postos de trabalho em todo o Brasil. Em virtude disso, a concorrência é acirrada: há a exigência de profissionais bem capacitados.

Compre[editar | editar código-fonte]

Aspecto da rua Oscar Freire, nos Jardins, direcionada ao consumo de alto luxo.

Como a maior cidade do Brasil, São Paulo oferece opções de compra sem igual. Diz um ditado popular, "O shopping center é a praia do paulistano", mas o comércio não se limita aos centros de compras. Pelo contrário, os pontos mais tradicionais do varejo paulistano ainda estão nas ruas.

No centro da cidade, está a rua de comércio popular mais conhecida do Brasil, a 25 de Março. Originalmente, a região era entreposto de hortifrutigranjeiros. A apenas algumas quadras do Mercado Municipal, a rua era palco da negociação entre produtores agrícolas do entorno da cidade e dos feirantes paulistanos. Com o passar do tempo, os alimentos se concentraram no Mercado e na Ceagesp, na zona oeste, e a área se dedicou aos tecidos. Com centenas de comerciantes de origem libanesa e judia, o comércio prosperou. Assim, chegaram outros empreendedores e a área viveu de tecidos, armarinhos, fantasias e artigos para restaurantes por décadas.

Nos anos 90, com a abertura da economia, a 25 de Março passou a receber outros vendedores e novos produtos. Coreanos e chineses, principalmente, trouxeram brinquedos, eletrônicos e toda sorte de presentes. É comum ver, lado a lado, senhoras sacoleiras do interior do Brasil e jovens de classe alta de São Paulo atrás das ofertas da região. Outras áreas que têm esse forte perfil popular são o Brás, na zona leste, e o Bom Retiro, no centro. Nas duas regiões, o que dominam são as roupas.

Ainda nas ruas, outra atração são as regiões especializadas. De lustre a carros de luxo, São Paulo conta com concentração de lojas de um mesmo segmento em vias conhecidas. Na Consolação, estão as que vendem eletrônicos e artigos de iluminação. Na Teodoro Sampaio, em Pinheiros, móveis e instrumentos musicais. Na Avenida Europa, concessionárias de carros importados como Ferrari, Jaguar e Porsche. Na São Caetano, no centro, vestidos de noiva. Ainda no centro, há o mais famoso ponto de compras para os amantes do rock: a Galeria do Rock, que tem 450 lojas de roupas, acessórios e discos, além de estúdios de tatuagem e piercing e oficinas de camisetas. A galeria é um point de várias tribos urbanas, como headbangers, góticos, punks e skatistas, mas também é comum achar famílias fazendo compras por lá.

A cidade também é considerada a capital do luxo no País. As principais grifes internacionais do planeta têm lojas no bairro dos Jardins, na zona oeste. Grifes como Armani, Cartier, Mont Blanc e Zegna mantêm endereços no chamado quadrilátero do luxo, formado pelas ruas Oscar Freire, Haddock Lobo, Bela Cintra e Alameda Lorena. Fora desse circuito, na Vila Olímpia, zona sul, está a loja de departamentos de luxo Daslu. Para quem preferir o ar condicionado dos shoppings, os endereços preferidos são o Iguatemi - que tem um dos metros quadrados de shopping mais caros do planeta, onde está a joalheria Tiffany -, o Higienópolis, o Bourbon, o pretensioso Cidade Jardim e o Morumbi - onde está o primeiro endereço da cafeteria Starbucks no Brasil.

Coma[editar | editar código-fonte]

Vide o guia de comes e bebes de São Paulo

Este é um dos orgulhos do paulistano: ser uma das capitais mundiais da gastronomia. Com mais de 12 mil restaurantes de 52 tipos diferentes de cozinha, São Paulo é como um cardápio infinito de comidas, petiscos e bebidas: na cidade que tem um pouco do jeito italiano de falar, são mais de 1.500 cantinas. Na cidade que tem um time de futebol em homenagem à terrinha, a Portuguesa, 3.200 padarias abrem as portas toda manhã. Na maior cidade japonesa fora do arquipélago do outro lado do mundo, são mais de 250 restaurantes japoneses. Por dia, a cidade devora 10,4 milhões de pãezinhos e impressionantes um milhão de pizzas. Por minuto, são, nada mais nada menos, que 720 redondas de muzarela, calabresa, aliche...

Pizza[editar | editar código-fonte]

Bairro da Liberdade

A pizza, inclusive, pode ser considerada o prato mais típico de São Paulo. Assunto sério para quem vive na cidade, as pizzas têm até um dia no calendário municipal: 10 de julho. Por isso, leve na brincadeira o discurso paulistano que defende a pizza com unhas e dentes, rechaça invenções e, principalmente, tem ojeriza ao ketchup e mostarda na pizza. Encontrar ketchup, mostarda e maionese à sua disposição em uma pizzaria de São Paulo é algo muito raro difícil de acontecer, a regra na cidade é considerar-se o azeite de oliva como o único tempero necessário à pizza. Há pizzarias por toda a cidade, desde as mais luxuosas, que cobram várias dezenas de reais, até as mais simples em bairros menos sofisticados e na periferia além de inúmeros serviços dedicados exclusivamente as entregas em domicílio.

Cantinas[editar | editar código-fonte]

A cozinha italiana ainda reserva as cantinas, que se concentram nos bairros tradicionais do Bixiga, especialmente na região da rua 13 de maio, no Brás e também na Moóca.

Se você visitar a cidade e hospedar-se próximo à região do Bixiga, que compreende as áreas também da Avenida Paulista e do Jardins, você vai encontrar ótimas opções desses típicos restaurantes italianos.

Entre eles, vale a pena visitar a cantina Famíglia Mancini, localizada na rua Avanhandava, uma das mais tradicionais da cidade.

Locais tradicionais[editar | editar código-fonte]

Vistas especiais e ambiente requintado são os diferenciais de restaurantes e bares concorridos da cidade como o já muito tradicional Terraço Itália com vista da parte mais antiga da cidade no alto de 42 andares, ou o Bar Sky no Terraço do Hotel Unique de onde se descortina uma São Paulo pouco conhecida extremamente arborizada na região dos Jardins.

Festas paroquiais[editar | editar código-fonte]

Bastante tradicionais em São Paulo são também as festas da comunidade italiana que são, de forma prática grandes "quermesses" realizadas nas ruas de bairros ao redor do centro da cidade tradicionalmente povoados pela comunidade italiana radicada na cidade. Ocorrem em épocas distintas do ano e tem em comum o fato de usarem especialidades da cozinha italiana tradicional (massas, vinhos, fogazza etc) como o grande chamariz para paulistanos e turistas. As três festas italianas mais tradicionais da cidade são:

  • "Festa de Nossa Senhora Achiropita" no Bixiga (talvez a mais famosa, frequentada por mais de 200 mil pessoas em cinco fins de semana consecutivos)
  • "Festa de São Vitto", próxima ao Mercado Municipal e ao Museu Catavento, fica ao lado do Parque Dom Pedro, no Brás.
  • "Festa de Nossa Senhora da Casaluce" (a mais antiga da cidade), também no Brás.

. A cozinha italiana pode ainda ser encontrada em praticamente todas as regiões da cidade de forma mais pontual o que não significa que estes restaurantes fora do circuito sejam ruins.

Cozinha Oriental[editar | editar código-fonte]

  • Na Liberdade, está a maior concentração de restaurantes japoneses, chineses e coreanos. Aos domingos, a feirinha que acontece na Praça da Liberdade reserva opções interessantes de comida e petiscos, apesar de estar sempre cheia. Também vale entrar nos mercadinhos japoneses do bairro, que são repletos de produtos orientais difíceis de serem encontrados em outros lugares.

Rodízios[editar | editar código-fonte]

  • Na Marginal Tietê, há grande concentração de churrascarias. O mesmo acontece nas avenidas expressas 23 de Maio, na zona sul, e Radial Leste, na zona leste.
  • Para comer em lugares requintados, muitas vezes com preços salgados, vá aos tradicionais restaurantes do bairro dos Jardins ou do Itaim.

Beba e saia[editar | editar código-fonte]

Como toda grande metrópole, São Paulo tem uma vida noturna concorrida. Historicamente, a noite paulistana sempre foi citada como uma das mais agitadas da América Latina. Recentemente, a cidade tem sido classificada como um novo nome no seleto grupo das melhores opções noturnas do planeta. Uma característica de São Paulo é a diversidade e a democracia de sua noite. É possível encontrar opções das mais populares a clubes exclusivos cuja entrada pode chegar à casa da centena de dólares.

A região da Avenida Paulista concentra inúmeros atrativos para se curtir a noite paulistana.

Espalhados por toda a cidade, os “botecos” são a opção preferida dos paulistanos para encontrar amigos, beber cerveja ou chopp e ainda experimentar petiscos. Esses bares despojados estão dos bairros mais elegantes à distante periferia. Os mais concorridos ficam na região da Vila Madalena, Pinheiros, Jardins, Vila Nova Conceição, Vila Olímpia, Tatuapé, Santana, além do centro.

Nos últimos anos, a cidade foi invadida por uma série de “botecos chiques”, principalmente na Vila Madalena, Pinheiros e Vila Nova Conceição. Eles mantêm características e decoração dos antigos bares, mas oferecem serviço e opções de cardápio diferenciados. A cozinha desses botecos é um capitulo a parte, e é uma ótima opção para pratos tipicamente populares, como coxinhas, pastéis, sanduíches e outras porções.

Depois de alguns – ou muitos – chopes, o viajante tem uma infinidade de opções para terminar a noite. As discotecas – mais conhecidas na cidade como danceterias ou, simplesmente, baladas – também estão espalhadas e as alternativas são praticamente infinitas. De segunda a segunda, a noite paulistana oferece opções que vão desde a música country às mais variadas vertentes da música eletrônica, passando por clubes de rock, hip-hop, rap, samba, pagode e axé.

Nos últimos anos, São Paulo tem entrado no hall das melhores noites do mundo. Quem diz isso não são os paulistanos, e sim grandes publicações mundiais, como a inglesa i-D e o norte-americano The New York Times.

As opções eletrônicas concentram-se, principalmente, na região da Vila Olímpia (Zona Sul), onde uma série de clubes congestionam as ruas do bairro que, durante o dia, é tranquilo e endereço de famílias de classe média alta e escritórios. Há outros clubes em bairros centrais, como o D-Edge, na Barra Funda, Glória, na Bela Vista, e Vegas, em Cerqueira César. Outros nomes conhecidos são a Lotus - filial do clube de Nova York, no Brooklin, e o Pacha - de Ibiza, na Vila Leopoldina. Para o público LGBT, as mais concorridas são a The Week, na Lapa; Bubu Lounge e Disco em Pinheiros; Megga Fun!, Flexx e Blue Space na Barra Funda, e diversas outras baladas e bares localizados nas regiões do centro e Avenida Paulista.

Outra forte vertente é o rock. Os pequenos clubes da região da Paulista e Rua Augusta concentram uma série de festas que são regadas desde o rock indie até noites dedicadas ao rockabilly. Na região, estão os Milo Garage, Funhouse, Vegas, Outs e Inferno, além disso, tocando exclusivamente rockabilly temos o The Clock em Perdizes. Fora desse circuito, destaque para o Berlin e o CB, na Barra Funda e o Morisson em Pinheiros. Para os amantes de rock pesado existem o Blackmore em Moema e o Manifesto no Itaim.

Outras opções são encontradas por toda a cidade. Para acompanhar a agenda, é aconselhável comprar os jornais às sextas-feiras. Nesse dia, os principais títulos da cidade (Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo, Jornal da Tarde e Diário de São Paulo) têm cadernos específicos com um roteiro completo para a semana.

Durma[editar | editar código-fonte]

Região dos Jardins tem várias opções de hospedagem

São Paulo tem variadas opções de hospedagem, para todos os gostos e bolsos. A cidade conta hoje com cerca de 410 hotéis, o que significa, na prática, 42 mil quartos a disposição. Grandes redes hoteleiras internacionais também marcam sua presença na cidade: Accor (Ibis, Sofitel, Mercure, Formule 1), Hilton, Grand Hyatt, Renaissance, Sheraton, Holiday Inn, Tivolli, Gran Meliá, Caesar etc. Além dessas grandes redes, também há "Hotéis Boutique", de grande prestígio e renome, tais como Emiliano e Fasano. Não só das grandes cadeias hoteleiras e dos hotéis mais exclusivos vive a hotelaria paulistana: há ainda hotéis sem bandeira, hotéis familiares, hostels e muitas outras opções.

Mantenha contato[editar | editar código-fonte]

A maior cidade do Brasil possui um dos mais sofisticados sistemas de comunicação do Brasil.

Código de área: 11

Para ligações do exterior: +5511

Desde 2012 todos os celulares de DDD 11 passaram a incluir o dígito 9 antes do número

Telefonia fixa[editar | editar código-fonte]

O Museu de Arte de São Paulo "Assis Chateaubriand" ou simplesmente MASP

.

  • A cidade é bem servida por telefones públicos facilmente identificados pela cor Laranja e Roxa e o logotipo em branco da VIVO. Os aparelhos funcionam com cartões telefônicos encontrados facilmente no comércio, como bancas de jornal, farmácias e padarias. Vale a pena pesquisar por cartões promocionais que permitem tempo maior de conversação em ligações para telefones fixos. Não é possível usar moedas.
  • Nas ruas, outra opção são as centrais pagas de telefonia. No centro da cidade e em áreas centrais de alguns bairros, é possível encontrar alguns pontos que oferecem o serviço. Uma das redes mais conhecidas é a Baratofone. Nesse serviço, o cliente usa uma das cabines, realiza a ligação - para telefones fixos e celulares do Brasil ou exterior - e paga pelo minuto falado. Essa é a opção mais barata para ligações para o exterior e outros Estados do Brasil. Há tabela de preços afixada no caixa.
  • Para realizar ligações interurbanas ou internacionais de telefones fixos, públicos ou celulares, é preciso usar uma operadora de longa distância. Para completar a chamada é preciso discar 0 XX código de área + número de telefone. O XX é substituído pela operadora. Em São Paulo, as mais usadas são Telefônica (15), Embratel (21) e Intelig (23). Para comparar preços, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) oferece tabela de preços conforme horário e dia da semana em seu sítio na internet. Para ligações internacionais, o formato do número é 00 XX código do país + código da cidade + número de telefone e as operadoras, as mesmas.

Telefonia celular[editar | editar código-fonte]

A cidade de São Paulo é servida por cinco operadoras de telefonia móvel e dois sistemas tecnológicos. A cobertura atinge toda a cidade e áreas de sombra são observadas, geralmente, apenas em bairros periféricos. A transmissão de dados é em alta velocidade, com tecnologia 3G na maioria das companhias. Clientes nacionais têm, normalmente, roaming automático. Clientes internacionais têm a opção de escolher a operadora a ser utilizada em São Paulo. Vale a pena pesquisar os preços antes de chegar na cidade para não ter uma surpresa desagradável na conta no final da viagem.

  • A tecnologia GSM é usada pelas operadoras da cidade, Claro, Tim, Oi(GSM 1800) e Vivo(GSM 850/1800Mhz)com rede de dados GPRS e EDGE. Nas quatro operadoras, o roaming internacional e é automático para a maioria das operadoras da Europa e América Latina. Mesmo assim, é recomendável consultar sua operadora antes da viagem. Clientes pós-pagos e pré-pagos do Brasil, também têm roaming automático em São Paulo.
Edifício Altino Arantes, mais conhecido como Prédio do Banespa. Um dos grandes ícones arquitetônicos de São Paulo tem seu mirante aberto à visitação gratuita

.

  • Também na cidade as 4 operadoras disponibilizam a tecnologia 3G HSDPA/HSPA que opera em 2100Mhz(Oi e TIM) ou 850/2100Mhz(Claro e Vivo) e até o final do ano de 2013 a Vivo e Claro irão disponibilizar a Teconologia 4G LTE na frequência de 2600Mhz.
  • Para turistas corporativos, também é possível usar os serviços da Nextel. Verifique com a operadora como pode ser feito o roaming, inclusive internacional.

Internet[editar | editar código-fonte]

Cyber cafés são facilmente encontrados em locais de grande movimento como o centro velho, região da avenida Paulista e Faria Lima. Nas demais áreas, os pontos de acesso estão geralmente em Lan Houses, casas de jogos em rede que também oferecem o acesso à rede. Em todas essas opções, o serviço é cobrado por tempo de acesso. Geralmente, costuma-se pagar por 15 minutos iniciais e, depois, por fração de hora. A hora custa entre R$ 1,50 a R$ 5.

  • Os postos "Acessa SP" oferecem acesso gratuito durante um período de 30 minutos e podem sem encontrados em vários locais de grande movimento além de estações do metro como os das Estações São Bento na linha 1-azul e Palmeiras-Barra Funda da Linha na 3-Vermelha, existem também postos como o da Avenida Casper Líbero próximo a Estação da Luz ou como o da FATEC do Parque da Juventude próximo ao Metrô Carandirú.
  • Uma das opções mais baratas é o serviço prestado pelo McDonald's. Para clientes da cadeia de lanchonetes, há diversas lojas que oferecem o acesso gratuito à rede por 15 minutos ou 30 minutos. Os computadores estão na entrada da loja.

Os hotspots, pontos de conexão sem fio, não são tão fáceis de encontrar em São Paulo. Diferentemente dos Estados Unidos e Europa, os pontos de acesso paulistanos são pagos. Hotéis, cafés, restaurantes, shoppings e aeroportos são alguns dos pontos que oferecem o serviço que pode ser pago por hora, com a compra eletrônica de um cartão pré-pago, ou por período, com a contratação semanal ou mensal do serviço. Para comprar o serviço, basta ligar o notebook ou palm, escolher uma das redes disponíveis e seguir as instruções na tela.

  • Pontos gratuitos, de rede aberta, são mais facilmente encontrados nas avenidas Paulista, Faria Lima, Luiz Carlos Berrini, bairro dos Jardins, Consolação, Pinheiros e centro.

Correios[editar | editar código-fonte]

Agências dos Correios estão espalhadas por todos os bairros da cidade. Os pontos de atendimento oferecem serviço de telegrama, entregas rápidas, internet - em algumas agências - e venda de selos. Todas as agências recebem correspondência. A postagem também pode ser feita, desde que devidamente selada, nas milhares de caixas de correio amarelas e azuis distribuídas pela cidade.

Cotidiano[editar | editar código-fonte]

Embaixadas e Consulados[editar | editar código-fonte]

A capital paulista possui consulados honorários e embaixadas dos seguintes países:

  • Flag of Germany.svg Alemanha site:http://www.sao-paulo.diplo.de/Vertretung/saopaulo/pt/Startseite.html email:info@sao-paulo.auswaertiges-amt.de endereço:Ave Brigadeiro Faria Lima, 2092, 12F, 01451-905 tel: '+55 11 3097 6644 telgratis= fax=+55 11 3815 7538 funcionamento=8AM-11:30AM }}
  • Flag of Australia.svg Austrália site:http://www.australian-consulate.org.br/consulado.htm email:consular.saopaulo@austrade.gov.au endereço:Alameda Ministro Rocha Azevedo, 456, 2F, 01410-000 tel: '+55 11 2112-6200 telgratis= fax=+55 11 2112-6220 funcionamento=9AM-11AM
  • Flag of Argentina.svg Argentina site: email:consarsp@terra.com.br endereço:Ave Paulista, 2313 - sobreloja tel: '+55 11 3897-9522 telgratis= fax=+55 11 3285-0748 funcionamento=9AM-5PM
  • Flag of Canada.svg Canadá site:http://www.canada.org.br email:spalo-cs@international.gc.ca endereço:Ave Nações Unida, 12.901, 16F tel: '+55 11 5509-4321 telgratis= fax=+55 11 5509-4260 funcionamento=M-Th 8AM-5PM, F 8AM-1:30PM
  • Flag of the People's Republic of China.svg China site:http://saopaulo.china-consulate.org/chn/ email: endereço:Rua Estados Unidos, 1071, Jardim América, 01427-001 tel: '+55 011 3082-9877 telgratis= fax=+55 11 3062-4396 funcionamento=9AM-1PM
  • Flag of Colombia.svg Colômbia site: email:cspaulo@cancilleria.gov.co endereço:Rua Tenente Negrao, 140-9° andar. Cj.92 São Paulo, CNPJ 04.919.564/0001-83 tel: '+55 11 3078-0322 - 3078-0262 telgratis= fax=+55 11 3078-0298 funcionamento=9AM-noon 2PM-5PM
  • Flag of South Korea.svg Coréia do Sul site: email: endereço:Ave Paulista, 37, 9F, 01311-902 tel: '+55 11 3141-1278 telgratis= fax=+55 11 3141-1279 funcionamento=9AM-5PM
  • Flag of Spain.svg Espanha site:http://www.maec.es/subwebs/Consulados/SaoPaulo/es/home/Paginas/home_cgsaopaulo.aspx email:cog.saopaulo@mae.es endereço:Av. Brasil, 948 tel: '+55 11 3087-2600 telgratis= fax=+55 11 3087-2620 funcionamento=8:15AM-12:15PM
  • Flag of the United States.svg Estados Unidos site:http://brasilia.usembassy.gov/index.php?itemmenu=165&submenu=14&action=saopaulo.php email: endereço:Rua Henri Dunant, 500, Chácara Santo Antônio, 04709-110 tel: '+55 11 5186-7000 telgratis= fax=+55 11 5186-7199
  • Flag of France.svg França site:http://www.ambafrance.org.br/saopaulo/francais/index.html email: endereço:Ave Paulista, 1842, Torre Norte, 14F, 01310-923 tel: '+55 11 3371 5400 telgratis= fax=+55 11 3371 5410 funcionamento=8:30AM-noon
  • Flag of Greece.svg Grécia site: email:grcongen.spa@mfa.gr endereço:Avenida Paulista, 2073, Conjunto Nacional, Edificio Horsa II, 23o andar - conj. 2303 CEP 01311-940 tel: '+55 11 3251 0675; Emergencies:+55 11 8138 2129 telgratis= fax=+55 11 3289 0178
  • Flag of Japan.svg Japão site:http://www.sp.br.emb-japan.go.jp email:consuladogeraldojapao@nethall.com.br endereço:Ave Paulista, 854, 3F, 01310-913 tel: '+55 11 3254-0100 telgratis= fax=+55 11 3254-0110
  • Flag of Mexico.svg México site:http://consulmex.sre.gob.mx/saopaulo email:consulmexbsb@uol.com.br endereço:Rua Holanda 274 Jardim Europa 01446-030 tel: '+55 3576-5400 telgratis= fax=3088-7768 funcionamento=830A-11A
  • Flag of Lebanon.svg Líbano site: email:consuladosp@libano.org.br endereço:Ave Paulista, 688, 16F, Bela Vista, 01310-100 tel: '+55 11 3262-0604 telgratis= fax= funcionamento=9AM-1PM
  • Flag of New Zealand.svg Nova Zelândia site:http://www.nzembassy.com email:consuladonz@nzte.govt.nz endereço:Al. Campinas 579, 15F tel: '+55 11 3148-0616 telgratis= fax=+55 11 3148-2521 funcionamento=9AM-1PM
  • Flag of Norway.svg Noruega site: email:consuladosp@consuladogeraldanoruega.com.br endereço:Rua General Almério de Moura, 780, Morumbi, 05690-080 tel: '+55 11 3759-2379 telgratis= fax=+55 11 3758-5986 funcionamento=8AM-6PM
  • Flag of the Czech Republic.svg República Tcheca site:http://www.mzv.cz/wwwo/default.asp?idj=1&amb=128 email:saopaulo@embassy.mzv.cz endereço:Ave Morumbi, 635, Jardim Guedala, 05607-000 tel: '+55 11-3031-1729 telgratis= fax=+55 11-3031 1822
  • Flag of the United Kingdom.svg Reino Unido site:http://www.mae.es/consulados/saopaulo/es/home email:saopaulo@gra-bretanha.org.br endereço:Rua Ferreira de Araújo, 741, 2F tel: '+55 11 3094 2700 telgratis= fax=+55 11 3094 2717
  • Flag of Russia.svg Rússia site: email:consul_sp@teknobank.com.br endereço:Rua Groenlândia, 808, Jardim América tel: '+55 11 3062-6268 telgratis= fax=+55 11 3064-1591
  • Flag of Sweden.svg Suécia site:http://www.suecia.org.br email:swenor@uol.com.br endereço:Rua Arandu, 205, Conj 1009, 04562-030, Brooklin Novo tel: '+55 11 5506 9994 telgratis= fax=+55 11 5507 4371
  • Flag of Switzerland.svg Suíça site:http://www.eda.admin.ch/eda/pt/home/reps/sameri/vbra/cgsao.html email:sao.vertretung@eda.admin.ch endereço:Av. Paulista 1754, 4° andar, Edifício Grande Avenida tel: '+55 11 3372 8200 telgratis= fax=+55 11 3253 5716

Segurança[editar | editar código-fonte]

Segurança é um dos principais problemas de cidades grandes em todo o mundo, assim sendo cabe estar sempre atento aos locais onde se está.

As áreas turísticas de São Paulo têm, em geral, bom policiamento e os indicadores de violência costumam ser inferiores à média de locais mais afastados da cidade. Áreas como Jardins, Avenida Paulista, Pinheiros e Vila Madalena são consideradas seguras. Apesar de ataques a gays e outras minorias por parte de pequenos grupos radicais ("neonazistas" ou "skinheads") ocorrerem de forma muito pontual e não serem tão frequentes quanto muitos imaginam, cabe uma certa atenção em locais como a Av. Paulista, Praça Roosevelt e Largo do Arouche/Republica (locais estes que abrigam a maior diversidade de pessoas e tribos na cidade como, por exemplo, redutos GLBT).

Em relação ao centro, cabe dizer que é uma área muito movimentada durante do dia, devido a atividade comercial intensa, quando o policiamento é mais facilmente percebido dando maior "Sensação de Segurança". O centro da cidade tem dois fatores a serem considerados:

  • Sensação de segurança, em virtude dos moradores de rua, de acumulo de lixo em alguns locais, pichações, edifícios com má conservação e presença de vendedores abulantes a sensação de segurança pode ser menor do que a segurança que há de fato em muitos pontos da região. O urbanismo precário (caçadas sujas, buracos poluição visual) de alguns pontos também pode causar uma má impressão e gerar uma falsa sensação de insegurança já que a região hoje é bem mais segura dos que era nos anos 80, 90 e 2000 e tem um dos menores índices de homicídios da cidade embora tenha indices altos de furtos e roubos a pedestres.
  • Policiamento durante o dia é facilmente percebido pela presença da polícia e da guarda municipal mas diminui bastante à noite quando o movimento de pessoas cai substancialmente, o que deixa mais evidentes as carências urbanas e sociais da região que ainda luta para superar a degradação decorrente do esvaziamento econômico provocado pelo surgimento de outros centros econômicos a partir dos anos 1970 como a Avenida Paulista, a Faria Lima e a região da Berrini.

No geral, a polícia de São Paulo é educada, mas há pouquíssimos policiais que falam outras línguas. É preciso atentar – principalmente os turistas estrangeiros – que a formação de parte dos policiais brasileiros (os que trabalham no policiamento ostensivo, que vai para as ruas) é militar. Isso faz com que a reação dos policiais seja, muitas vezes, mais brusca, mas no geral estes são simpáticos e prestativos.

Dicas de segurança

São Paulo, como outras cidades do Brasil, tem poucos batedores de carteira em comparação com outros países; normalmente o roubo é anunciado e utilizam armas (brancas ou de fogo) ou simulacros, ou mesmo à força para realizar os mesmos. Assim as preocupações quanto a onde guardar os pertences e como não devem ser prioridades, e sim o quanto o que está carregando chama atenção.

  • É aconselhável sair do hotel com poucos pertences, principalmente relógios e joias caríssimos e evitar manipular dinheiro nas ruas.
  • Evite passar em áreas pouco movimentadas com equipamentos fotográficos podem ser alvo de roubo.
  • No carro, não deixe bolsas e pastas de laptops à vista. É aconselhável manter bolsas no assoalho do veículo e os notebooks ou no porta-malas.
  • Em restaurantes e bares abertos, evite deixar bolsas fora de seu campo de visão.
  • Se, por acaso, for abordado por criminosos, jamais tente reagir.
  • Em caso de ocorrência policial, chame 190.
  • Em caso de ocorrência de trânsito, chame 1188.

Cidades próximas pra se visitar[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.viaquatro.com.br/linha-4-amarela
  2. http://www.bienaldolivrosp.com.br/