Utilizador:Rui M Simões/V&D

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As embalagens metálicas têm como principais vantagens (Sustainability, [2008?]):

  1. Prevenção do desperdício
    • O metal é um material robusto, que oferece protecção total contra a passagem de gases, ar e luz em relação a outros materiais da embalagem, o que significa um prazo de validade prolongado (4 key, [2011] e Advantages, [2007?]).
  2. Segurança e saúde dos consumidores
    • São as melhores em fiabilidade e segurança (Sustainability, [2008?]).
    • Oferecem 100 % de protecção contra contaminações, dado que são hermeticamente fechadas (Sustainability, [2008?]). Evitam o derrame acidental durante o transporte, distribuição e armazenamento. A fim de manter este nível de integridade, o processo de abertura de algumas embalagens de produtos industriais exige normalmente um maior esforço, resultando no uso de ferramentas adicionais, como chaves de fendas ou facas. Para darem resposta à crescente exigência de conveniência por parte dos consumidores, os fabricantes de embalagens têm vindo a adoptar tecnologias de abertura amigas do utilizador (user-friendly). A abertura é fácil e segura, sem comprometer a integridade da embalagem (4 key, [2011]).
    • Permitem a esterilização a temperaturas elevadas, eliminando contaminadores microbianos possíveis causadores de intoxicações alimentares (Benefits, [2009?]).
    • São as embalagens ideais para produtos potencialmente perigosos (e.g. tintas, vernizes e produtos de limpeza) (Sustainability, [2008?]). Oferecem fiabilidade e resistência a diferenças de temperatura, corrosão e oxidação. Estes são atributos necessários, porque frequentemente se armazenam os produtos em locais pouco adequados, como armazéns ou caves, onde a extrema humidade ou diferenças drásticas de temperatura são comuns. As embalagens metálicas incluem uma série de características, que são essenciais para proteger produtos delicados e potencialmente perigosos, das difíceis condições encontradas durante os seus ciclos de vida (4key, [2011]).
  3. Rentabilidade Económica
    • Taxas de produção elevadas, tanto para o fabricante como para o utilizador (Advantages, [2007?]).
    • Pequenos desperdícios no processo de enchimento, selagem, embalagem, distribuição e venda.
    • São empilhadas até níveis mais altos que a maior parte das alternativas, poupando recursos (Sustainability, [2008?]).
    • São entregues por fábricas normalmente localizadas perto dos clientes, poupando transporte.
    • São compatíveis com os equipamentos existentes e que se têm tornado norma na indústria, eliminando a necessidade, por parte das marcas de produtos industriais, de investir em equipamento novo, quando são adoptados novos conceitos de embalagem (4 key, [2011]).
  4. Produção a partir de fontes de matérias-primas viáveis
    • O alumínio e o ferro são o 3º e 4º elemento mais abundantes na crosta terrestre (Sustainability, [2008?]).
    • 75 % de todo o alumínio primário e 19 mil milhões de toneladas de aço ainda estão em uso e disponíveis através da reciclagem.
    • As técnicas avançadas de produção das embalagens metálicas (e.g. moldagem por sopro) dão, aos vendedores, um vasto leque de possibilidades de desenvolvimento das formas desejadas. Dependendo dos objectivos comerciais específicos, as embalagens podem apresentar suavidade, formas subtis ou altamente inovadoras e formatos assimétricos surpreendentes. O formato pode também melhorar a ergonomia da embalagem, com contornos confortáveis e formas fáceis de segurar, o que pode melhorar ainda mais a conveniência dos produtos industriais para o consumidor (4 key, [2011]).
    • A capacidade de aplicar vários métodos gráficos possibilita aos donos das marcas incorporar uma vasta gama de acabamentos decorativos criativos (e.g. gravação, mudança de cor, fosco, brilhante, de toque suave e efeitos lenticular, de espelho e holográfico) permitindo que as embalagens transmitam a aparência ou o sentimento que as marcas pretendem captar. Estes tipos de acabamentos servem para criar movimento, diferenciação e chamam a atenção dos consumidores, sem comprometer os benefícios estruturais que as embalagens metálicas oferecem.
  5. As latas são as campeãs da reciclagem de embalagens
    • O metal tem as melhores taxas de recuperação e reciclagem, entre todos os materiais de embalagem concorrentes e está a melhorar de ano para ano. Em 2008, os valores na União Europeia, foram de 70 % para todas as latas de aço e 62 % para latas de alumínio de bebidas. Na Europa, mais de 50 % das latas de alumínio são recicladas (Cans, [2009]).
    • De ano para ano a indústria de embalagens de metal faz mais com menos. A reciclagem reduz significativamente as emissões de CO2. Cada lata de aço reciclado economiza o dobro do seu peso em CO2. Nos últimos 20 anos as latas tornaram-se, em média, 33 % mais leves e a indústria está empenhada em continuar esta tendência (Sustainability, [2008?]).
    • Em 2006, as embalagens de aço recicladas pouparam, 4,8 milhões de toneladas de minério de ferro, 1,7 milhões de toneladas de carvão e 4,7 milhões de toneladas de CO2.
    • A recolha de embalagens metálicas para reciclagem é simples, económica e existem vários sistemas de recolha na União Europeia.
    • O metal é reciclado infinitas vezes sem perder as suas propriedades essenciais.
    • As latas de alumínio são fáceis de ser transformadas em novas latas e novamente colocadas nas prateleiras das lojas. O custo de reciclagem de uma lata é menor do que fabricar uma nova lata (Aluminum, [2011]).
    • Em 2004, foram recicladas mais de 60 mil milhões de latas de alumínio, o que corresponde à mesma quantidade de energia de cerca de 15 milhões de barris de petróleo bruto (15 milhões de barris de petróleo é quanto os Estados Unidos consomem de gasolina num dia) e a reciclagem de 40 latas de alumínio proporciona uma economia de energia equivalente a um galão (3,78 L) de gasolina. De acordo com a Environmental Protection Agency (EPA) dos EUA, a reciclagem de alumínio reduz em quase 55 % as latas que acabam em aterros.
    • A indústria de alumínio paga todos os anos um total de 800 milhões de dólares por latas de alumínio vazias. Esse dinheiro vai para organizações tais como, os escuteiros, escolas e Habitat for Humanity. O dinheiro obtido com a reciclagem regressa, novamente, à comunidade.
    • Ao contrário dos plásticos, não se tem que remover as etiquetas de papel ou limpar a lata. O calor usado no processo de fusão elimina qualquer poluente.
    • A reciclagem de uma tonelada de alumínio economiza 10 metros cúbicos de espaço em aterro.
    • As latas recicladas podem ser transformadas em móveis, aviões, electrodomésticos e muito mais.
    • Cria menos 97 % de poluição na água que a produção de metal novo a partir de minério.
    • Reduz os custos de eliminação de resíduos (desde que as latas de alumínio sejam removidas do fluxo de resíduos) e custos de mão de obra (associados à movimentação de latas de alumínio durante o processo de eliminação de resíduos).
    • Ajuda a optimizar as operações de processamento de resíduos em geral, libertar espaço (utilizado para o armazenamento temporário de latas de alumínio) e melhorar a segurança e a limpeza nos locais de trabalho.
    • A reciclagem é mais rápida, mais barata e energeticamente eficiente do que antes (Aluminum, [2011]) e economiza 70 % da energia necessária para a produção de aço a partir de matérias-primas e 95 % da energia necessária para a produção de alumínio (Sustainability, [2008?]).

As embalagens metálicas têm como principais desvantagens:

  1. Corrosão
    • A corrosão das embalagens metálicas é mais comum em fruta enlatada e em alimentos não ácidos. Quando exposto ao ar e água, o metal pode oxidar e provocar a deterioração da embalagem. A corrosão inicia-se quando o metal começa a voltar ao seu estado original. Para ser evitada, é muito importante o controlo de espaço e em muitos casos as embalagens são revestidas com outros materiais (e.g. crómio) (Fuller, 2010 e Paine et al., 1992, p. 269-270). A redução da tensão nos extremos da lata é feita em vácuo parcial, durante o processo esterilização. O sistema de vácuo controla o prazo de validade do produto, reduz a quantidade de oxigénio (que causa descoloração, perda de vitaminas e oxidação em alguns alimentos), hidrogénio (pode ser formado a partir do ataque do ácido de certos alimentos à base da lata ou provocar o inchaço da lata), corrosão e ferrugem (Paine et al., 1992, p. 269-270).
  2. Deterioração dos alimentos
    • A presença de bactérias ou de corrosão é a principal causa da deterioração dos alimentos enlatados. É importante uma boa higiene durante o processo de fabricação, mas também, armazenar as latas em ambientes não corrosivos, de modo a mantê-las em boas condições, evitando assim a sua corrosão. A sobrevivência de alguns bolores e organismos a processos de embalamento de fruta e de aquecimento, pode levar à formação de enzimas (responsáveis pela desintegração do produto) e esporos nos alimentos (Paine et al., 1992, p. 269-270). Não se deve consumir o alimento quando se desconfia que está estragado e deve-se eliminá-lo o mais rápido possível. Segundo N (2010), os alimentos estragados podem formar bolhas que aparecem quando a lata é aberta, emitir um odor desagradável, apresentar descoloração e inchar a embalagem. No processo de limpeza é aconselhável usar luvas, lavar e esterilizar todos os objectos com que o alimento tenha mantido contacto, incluindo utensílios e balcões.
  3. Problemas ambientais
  4. Impossibilidade de ver o seu conteúdo
    • No sector de retalho, as embalagens metálicas têm a limitação de não serem transparentes e o consumidor não poder ver o seu conteúdo, dificultando a escolha numa possível compra. As embalagens de plástico, por exemplo do tipo blister, permitem ao consumidor verificar o tamanho e o tipo dos produtos no interior da embalagem (Fuller, 2010).
  5. Problemas de armazenamento
    • Ao contrário de um recipiente de papel ou de plástico, que pode ser facilmente dobrado ou esmagado à mão e arrumado, as embalagens metálicas, tanto durante como após o seu uso, são difíceis de serem dobradas ou esmagadas e arrumadas de forma eficaz num armário ou qualquer outro local de armazenamento.
  6. Reciclagem de alumínio
    • É necessário separar o alumínio do aço, plásticos e outros detritos. A separação é demorada e tem custos (Aluminum, [2011]).
    • O alumínio perde qualidade quando é continuamente reciclado. Um produto feito com alumínio novo, tem qualidade superior ao produto reciclado.
  7. Acessibilidade
    • A abertura de latas de alumínio pode ser um desafio sem a ajuda de um abre-latas. É possível abrir as latas com uma faca, mas corre-se o risco de lesão ao fazê-lo. O plástico e o papelão são materiais de embalagem de alimentos que se abrem facilmente e a sua utilização evita, por exemplo, que se tenha que ir de propósito a uma loja, por o abre-latas se ter partido quando se preparava uma refeição (Edwards, 2010).
  8. Risco de lesão
    • Depois de abrir uma lata, o seu interior pode cortar devido às bordas afiadas, um risco que afecta tanto as crianças como os adultos e que não se encontra noutros tipos de material de embalagem de alimentos. Segundo o British Medical Journal, os ferimentos sofridos ao abrir as latas de alumínio podem causar a necessidade de suturas, pensos e antibióticos.