Utilizador:Pedro Rito/Rascunhos

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Introdução[editar | editar código-fonte]

A previsão pode ser tanto uma estimativa probabilística como uma descrição de valores e condições futuras. Para se obter uma boa capacidade de planeamento e controlo é necessário efectuar previsões que contenham uma estimativa da média, da extensão e da probabilidade. O termo probabilidade, realça que uma previsão não deve ser um único valor, mas uma extensão de valores. As previsões são efectuadas para reduzir as incertezas e o risco associado às tomadas de decisões. No entanto, estas nunca poderão eliminar por completo os erros presentes nestas estimativas (DeLurgio 1998, p. 9-10).

As técnicas de previsão podem ser subdivididas em duas áreas, os métodos quantitativos e os métodos qualitativos. Nos métodos quantitativos, recorre-se a modelos matemáticos que variam entre causais e estatísticos. Nos métodos qualitativos, recorre-se à intuição e experiência de peritos. Deles são exemplos o método de Delphi, a pesquisa no mercado, a força de vendas e o júri de opinião executiva. Existem empresas que utilizam somente um dos dois tipos de métodos. A combinação dos dois daria, no entanto, uma previsão mais eficiente (Heizer, 2004, p. 106).

As técnicas a adoptar dependem de diversos factores, nomeadamente o nível de exactidão pretendido, a disponibilidade de dados, o horizonte temporal e o orçamento disponível para realizar a previsão (Davis, 1999, p. 213).

De modo a obter uma boa previsão há que seguir determinados procedimentos que ajudam a estruturar o problema em si. Em primeiro lugar tem de se definir o problema. De seguida, deve proceder-se à obtenção de informação e análise da mesma, de maneira a seleccionar-se a técnica de previsão mais adequada. Finalmente, é preciso rever a previsão elaborada e implementar os resultados obtidos (Makridakis, 1998, p. 13-16).

Uma das mais importantes aplicações das técnicas de previsão, na logística, é a previsão da procura. Realizar este tipo de previsões ajuda a determinar os requisitos necessários para a produção e distribuição de um novo produto ou serviço (Werner, 2009, p. 3).




Importância Estratégica das Previsões[editar | editar código-fonte]

Na logística a importância de efectuar as previsões da maneira correcta é perfeitamente estratégico para o funcionamento de uma empresa.

Para que o funcionamento de um sistema operativo seja óptimo, a previsão de todos os factores do mercado que possam influenciar a produção, como por exemplo, a procura, a oferta, os prazos de entrega, os custos, são da maior relevância. Na verdade são o ponto de partida na cadeia de abastecimento logística, para que todas as operações industriais patentes numa empresa sejam adequadamente programadas, de modo a maximizar o lucro.

A previsão é parte integrante das actividades de gestão com vista ao processo de tomada de decisão Calendarização/inventariação – o uso eficiente de recursos requer uma calendarização da produção, transporte, fluxos de caixa, pessoal, etc Aquisição de recursos – determinação dos requisitos de recursos no futuro


Porque a previsibilidade é de extrema importância para a avaliação logística???

    1. Melhor planeamento orçamentário e de capital com menor variação entre o custo previsto e o realizado
    2. Melhor alocação dos recursos físicos nos processos operacionais
    3. Atendimento aos requisitos de nível de serviço aos clientes, garantindo a competitividade dos produtos e serviços da empresa no mercado
    4. Redução dos custos operacionais através da optimização de processos e melhor planejamento
    5. Melhor gestão da operação através de uma redução nas fontes de variabilidade dos processos ##Maior integração e melhor comunicação entre as áreas funcionais da empresa (marketing, finanças, vendas e logística)

Melhora a informação estratégica Melhora a informação operacional Conduz as decisões de marketing Melhora a informação financeira Melhora a afectação de recursos escassos Melhora o serviço ao cliente Melhora a eficiência operacional Mais flexibilidade na resposta ao cliente Elimina os desperdícios Mais produtividade Melhor rendibilidade Reduz o stock de produtos acabados

Cadeia de abastecimento Crucial para fornecedores, fabricantes ou retalhistas Determina as quantidades a comprar, produzir ou expedir Necessária aos processos de operação básicos Controlo de custos

Uma previsão da procura precisa permite um nível de serviço prestado ao cliente elevado através do aumento da eficiência e eficácia do processo logístico


Por previsão colaborativa entende-se a previsão com base nas contribuições dos vários intervenientes na cadeia de abastecimento de um produto. Apesar de complexa, exigindo níveis de coordenação elevados, se conseguir beneficiar do conhecimento específico de cada um sobre a sua área, poderá conduzir a previsões mais fiáveis. www2.egi.ua.pt/cursos/files/DL/Métodos%20de%20Previsão.pdf

Um modelo de negócio baseado na resposta rápida, privilegiando a flexibilidade, poderá diminuir significativamente a necessidade de previsões. www2.egi.ua.pt/cursos/files/DL/Métodos%20de%20Previsão.pdf


Um sistema de previsão estabelece a ligação entre as previsões feitas pelas diferentes áreas da gestão (compras, produção, marketing, financeira, estratégia)

A previsão de uma família de produtos ou da agregação de vários produtos é mais precisa do que a previsão de cada produto individualmente Normalmente, outras entidades fornecem indicações de médio-longo prazo, competindo aos responsáveis logísticos fazer previsões de curto prazo.


Métodos Qualitativos[editar | editar código-fonte]

"Os métodos qualitativos são um ramo das técnicas de previsão que se baseiam em estimativas e opiniões, de maneira a compreender melhor o problema abordado." (Mark M.Davis, 2001)

Geralmente estas técnicas são usadas

As técnicas qualitativas são subjetivas ou optativas por natureza e são baseadas em estimativas e opiniões. Estas técnicas são utilizadas, principalmente, quando não existem dados disponíveis. Usados quando a situação é vaga e existem poucos dados

  1. novos produtos
  2. nova tecnologia

Envolvimeto intuição e experiência

Baseia-se no conhecimento de especialistas

Os métodos quantitativos são geralmente usados quando não há dados quantitativos, ou seja

quando a hipótese de estabilidade não se verifica, ou seja os dados passados não correspondem com os que prevalecem no futuro.

Previsão a longo prazo

Em relação ao horizonte temporal, é possível efectuar previsões a longo, médio e curto prazo. As previsões a longo e médio prazo prolongam-se num período que vai de uns meses até diversos anos. No entanto não são muito fiáveis, visto que as previsões a longo e médio prazo têm uma margem de erro bastante elevada, visto que o espaço temporal é vasto. Exemplos destas previsões podem ser o estudo sobre a implementação de um novo produto no mercado, projectar um rede logística, afectar os stocks em armazém, assim como, fazer os planos anuais de produção e distribuição . Por outro lado as previsões a curto prazo, que se estendem de umas semanas a uns meses, são muito mais precisas, sendo exemplos a afectação de recursos humanos e determinar os níveis de produção.

As técnicas mais empregadas são as de pesquisas de mercado com consumidores (71%), opiniões de júri de executivos e de especialistas (53%), composição da força de vendas (40%) e analogia com outros produtos (36%); www.scielo.br/pdf/raeel/v4n2/v4n2a07.pdf


Exemplos: Procura de novos produtos, novas tecnologias, quotas de mercado de produtos novos, determinação dos custos e o tempo para desenvolver novos produtos e tecnologias e a escolha de estratégias competitivas no mercado.


Método Delphi

O método Delphi é um processo sistemático e interactivo de estimativa, que se baseia na experiência independente de vários especialistas. Estes são cautelosamente seleccionados pela sua experiência em determinadas áreas do conhecimento, e respondem a questionários num ou mais ciclos. Após cada ciclo, é feito um sumário anónimo das estimativas de cada especialista, assim como das razões nas quais se baseou. De seguida, estes são incentivados a rever as suas previsões, com base nas opiniões dos outros participantes ou com base em informação recolhida à medida que as rondas vão sendo realizadas. Durante este processo procura-se que ocorra uma convergência das estimativas propostas, de maneira a encontrar a resposta para o problema. É de realçar que não existe um número predefinido em relação à quantidade de especialistas que deve participar em todo o processo, dependendo este do tipo de problema a ser tratado e da população passível de ser consultada (Alvarenga, 2007).

De acordo com Werner, (2009) o método foi implementado de maneira a superar os problemas de interacção num grupo de especialistas, isto é, de forma a prevenir a influência de um sobre a opinião do outro, o que explica o anonimato dos participantes e o facto de nunca comunicarem durante todo o processo.

No entanto, este método qualitativo tem algumas desvantagens, nomeadamente o tempo para obter um resultado consensual, que na maioria dos casos é longo, e os custos associados, que são bastante elevados.


História

O método Delphi foi desenvolvido pela primeira vez no início da guerra fria, de modo a estimar o impacto que a tecnologia teria, se se desencadeasse uma guerra intercontinental que não envolvesse acções terrestres. Este estudo foi iniciado, em 1946, pela Douglas Aircraft, uma empresa aeronáutica americana, que desenvolveu o projecto RAND. Rapidamente, os investigadores foram confrontados com diversos problemas, ao nível dos métodos de estimativa tradicionais e quantitativos, visto que estas técnicas só são aplicáveis quando há experiência precisa e científica. Para combater estes problemas, foi desenvolvido, a partir de 1959, o método Delphi por Olaf Helmer, Norman Dalkey e Nicholas Rescher. O método consistia no seguinte: os especialistas davam a sua opinião sobre a probabilidade, frequência e intensidade de possíveis ataques hostis, enquanto que outros, anonimamente, davam o seu feedback. O processo era repetido até se chegar a uma opinião consensual. Desde então o método tem vindo a ser utilizado regularmente, apesar de ter sofrido ligeiras modificações e reformulações.

Características

  • Controlo do fluxo de informação

Após cada ronda de questionário a informação é recolhida e analisada de forma a evitar que informações irrelevantes sejam abordadas na ronda seguinte.

  • Feedback pontual

Existe uma partilha de respostas e feedback entre os participantes, sendo que a qualquer momento estes podem rever as suas previsões anteriores. Em reuniões comuns os participantes tendem a defender fortemente as suas opiniões prévias, ou então a conformar-se demasiadamente com as opiniões do líder do grupo, no método Delphi isto tende a não acontecer.

  • Anonimato dos participantes

Todos os participantes mantém o anonimato, mesmo após o relatório final. Desta forma, os especialistas expressam as suas opiniões abertamente, admitindo mesmo os próprios erros através da revisão de opiniões anteriores.

  • Não-confrontação cara-a-cara

É imperativo que não hajam confrontos cara-a-cara entre os participantes, de modo a eliminar quaisquer pressões que estes poderiam ter nesse tipo de confrontação (Alvarenga, 2007).

Aplicações

São muitas as áreas nas quais se verifica a utilização do método Delphi. Inicialmente, como já foi referido anteriormente, o método foi aplicado na previsão do desenvolvimento da ciência e tecnologia. Posteriormente, foi aplicado em problemas políticos, como tendências económicas, saúde e educação. Por exemplo, num caso reportado por Basu e Schoroeder (1977), o método Delphi previu as vendas de um novo produto durante os primeiros dois anos com uma imprecisão de 3-4% em relação às vendas reais. Outros métodos quantitativos produziram erros de 10-15%, e métodos tradicionais não estruturados tiveram erros de cerca de 20%. Este método é, também, amplamente utilizado para estimativas de negócios e possui certas vantagens sobre outras técnicas de estimativas de mercado.


Pesquisa de mercado

A pesquisa de mercado é um método sistemático e objectivo que recolhe e analisa dados referentes a um mercado alvo, competition and environment. Este método de pesquisa utiliza sempre uma recolha de dados ...

Market Research is a systematic, objective collection and analysis of data about a particular target market, competition, and/or environment. It always incorporates some form of data collection whether it be secondary research (often referred to as desk research) or primary research which is collected direct from a respondent.

A pesquisa no mercado é uma ferramenta de trabalho importante para obter informações, de maneira a auxiliar nas tomadas de decisões.

A pesquisa de trabalho é uma ferramenta para obter informações importantes em relação ao mercado na qual actua e no qual pretende actuar. Quanto maior o conhecimento sobre o mercado, os clientes, os fornecedores e os concorrentes, melhor será o desempenho da empresa. 2005(Gomes, 2005)

Este método de pesquisa tem como principal objectivo estudar os problemas relativamente ao plano de produção e distribuição, assim como ...marketing, de forma a aumentar as vendas e por sua vez o lucro da empresa.

A pesquisa do mercado consiste no planeamento, a colheita de dados, análise e apresentação de dados, no qual os consumidores são questionados sobre as suas preferências e percepções.

Após a pesquisa ter sido concluída, a empresa deve analisar cuidadosamente o seu conteúdo e chegar à conclusão se entra ou não no mercado.

Normalmente é utilizado para previsões de longo prazo e para a venda de novos produtos.

Para melhor atender um mercado-alvo, as organizações devem dispor de informações relevantes sobre seu campo de atuação, seu negócio, sua concorrência e especialmente seus clientes. O processo de Pesquisa de Marketing consiste na definição do problema e dos objetivos de pesquisa, desenvolvimento do plano de pesquisa, coleta de informações, análise das informações e apresentação dos resultados para administração. Ao realizarem pesquisa, as organizações devem decidir se devem coletar os dados ou usar dados já disponíveis. Devem também decidir sobre qual será a abordagem da pesquisa (observação, grupo focal, levantamento, experimental) e que instrumento (questionários ou dispositivos mecânicos) usar.(WIKIPEDIA)

A principal razão para uma organização adotar a pesquisa de mercado é a descoberta de uma oportunidade de mercado. Uma vez com a pesquisa concluída, a empresa deve, cuidadosamente, avaliar suas oportunidades e decidir em que mercados entrar. Os mercadólogos dependem ainda da pesquisa de mercado para determinar aquilo que os consumidores querem e quanto estão dispostos a pagar. Eles esperam que este processo lhes confira uma vantagem competitiva sustentável.(WIKIPEDIA)

ETAPAS DA PESQUISA DE MERCADO. DEFINIÇÃO DO PROBLEMA E OBJETIVOS DA PESQUISA; DESENVOLVIMENTO DO PLANO DE PESQUISA; COLETA DE DADOS E INFORMAÇÕES; ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES; APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS; DECISÕES:AÇÕES DE MARKETING.

ENQUETES TESTES DE MERCADO

MARKETING

- Levantamentos, através dequestionários e entrevistas, dos fatores mais relevantes que influem na preferência do consumidor. - Menor validade em termos de horizonte de projeção, e menor confiabilidade, por estar suscetívela erros de orientaçãoe interpretação. - Devido à grande quantidade de dados necessários, a pesquisa pode demorare custar caro.~http://www.pro.poli.usp.br/graduacao/todas-as-disciplinas/principios-de-gestao-da-producao-e-logistica/oferecimento_00004/analise%20de%20mercado.PDF

Analogia histórica


São subjetivas ou optativas por natureza e são baseadas em estimativas e opiniões de especialistas e em instituições

São utilizadas quando não há dados disponíveis

Análise comparativa de um produto a ser lançado com outro similar já existente - Exemplo: Lançamento da Tv em cores. Comparação com a demanda inicial por TVs branco e preto. Levantamento do grau de semelhança e de possíveis causas para diferenças na demanda. - Precisão razoável para projeções de médio e longo prazo. Pode ser demorada, mas custa relativamente pouco, uma vez que não utiliza computadores.http://www.pro.poli.usp.br/graduacao/todas-as-disciplinas/principios-de-gestao-da-producao-e-logistica/oferecimento_00004/analise%20de%20mercado.PDF

Fonte desta secção:http://www.producao.ufrgs.br/arquivos/disciplinas/119_teq2_tecnicas_qualitativas.pdf (4-3-2010)

Erros de previsão[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]