Utilizador:Pablo MGN

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A FAUNA ANGOLANA

INTRODUCÃO A fauna angolana ou fauna de Angola é muito rica e variada. A fauna terrestre distribui-se de acordo com a vegetação, e assim, na zona da savana e da estepe, abundam os herbívoros, com o hipopótamo e a girafa como também palanca negra gigante que como representante das selecção de futebol e etc...






== Texto de cabeçalho

==

Desenvolvimentos

Destaca-se o elefante africano animal corpulento mas de dentes relativamente pequenos, conhecido em quase todos os dialectos indígenas por Ongamba ou N´jamba; o rinoceronte, conhecido por Chucurro, de que existem duas espécies: o rinoceronte branco, bastante raro, e o rinoceronte preto, com dois cornos que chegam a atingir 70 cm; a zebra, numerosos ruminantes, como o boi doméstico, muito perseguido pela mosca tsé-tsé cuja picada é mortal; o carneiro, a cabra, o almiscareiro, único ruminante em que cada pata possui quatro dedos completos com os metacarpianos completamente desenvolvidos e separados, numerosos representantes da família dos antílopes, como a gazela, a palanca, o Quichôbo ou Buzi, mergulhador tão potente como o hipopótamo, que habita no rio Cuchibi e Alto-Cuando, não se encontrando no Baixo-Cuando nem no Zambeze, pela presença aí de numerosos crocodilos.


Os carnívoros abundam nas zonas habitadas pelo herbívoros, porque estes são para eles a sua quase exclusiva alimentação. Existem em grande número o leão, o leopardo, a hiena , a raposa, o chacal e muitos outros.

Na zona das florestas são muito abundantes o chimpanzé e os macacos, especialmente dos géneros Crcopitecus e Cynocephalus.

Dos insectívoros, roedores e desdentados existem numerosas espécies em toda a província, assim como de outros mamíferos, cuja referência se torna impossível pelo seu elevado número.

As aves são muito abundantes, de cores vivas e variadas, e que se encontram distribuídas de acordo com a vegetação.

Dentre os répteis, são numerosos os crocodilos, que povoam grande número dos rios de Angola. Existem poucas serpentes venenosas, mas são numerosas as víboras. Os batráquios são abundantes, sendo conhecidos pelas populações de Manjunda.

Os animais inferiores são inumeráveis, alguns muito perigosos, quer pelas doenças que directamente podem determinar, quer por aquelas de que possam ser transmissores.

A fauna marítima é das mais ricas de toda a costa africana.

São numerosos os cetáceos, que em fins de Maio começam a aparecer acerca de 20 a 30 milhas da costa, caminhando para norte, e que fazem a retirada para o sul em Setembro.

As principais espécies já observadas ao longo da costa são baleia preta, a mais vulgar, com 15 a 18 metros de comprimento; baleia azul, com 20 a 25 metros, Rithwal, de 18 metros; baleia fina ou carapau azul, de 10 a 15 metros, baleia branca.

Dentre os cetáceos, encontram-se ainda a toninha e o cachalote de 10 a 15 metros.

Os peixes constituem a principal riqueza da fauna marítima de Angola.

Entre os esqualos, as espécies que mais frequentemente se observam no litoral são: o tubarão de S. Tomé, o tubarão da praia, e o tubarão toupeiro ou marracho.

Numerosos outros peixes, como a corvina, calafate, cherne, garoupa, moringa, serrano, mero, pargo bico, pargo mulato, cachucho, choupa, boga, anchova, charro amarelo, charro preto, charro largo, tainha amarela, tainha branca, sardinha, savelha, biqueirão, pescada, peixe espada ou lírio, dourada, peixe galo, cabra ou ruivo, linguado, carta, charroco, salmonete, imperador, congro, e outros. A orografia e as características climáticas de Angola originaram uma diversidade na cobertura vegetal proporcionando habitats próprios a uma grande variedade de espécies de animais de grande e pequeno porte. Em Cabinda, predomina a floresta densa e húmida, rica em madeiras exóticas e onde ainda se encontram gorilas. A sul do Zaire e nas bacias do Kwanza, Kuango, Kuíto e afluentes do Cassai, localiza-se a floresta / savana. Na zona planáltica predomina a floresta aberta com vegetação e fauna características. Mais a sul encontra-se a zona desértica do Namibe onde se pode encontrar uma espécie vegetal, única no mundo, a Welwitshia Mirabilis. A fim de preservar espécies animais e vegetais, algumas ameaçadas de extinção, foram delimitados parques e reservas naturais, em todo o território angolano. A caça, actualmente, está proibida e existem reservas especiais para protecção e controlo da fauna selvagem. Entre as várias espécies de animais existentes destacam-se a palanca negra, apenas existente em Angola, o elefante, a pacaça, o potamochero, leão, leopardo, chacal, olongo, elande, gnu, zebra entre muitos outros. Nos parques do litoral existem locais de desova da tartaruga marítima. Angola é também rica em belezas naturais que proporcionam paisagens espectaculares destacando-se as formações rochosas, várias quedas de água, praias, lagoas e rios. Angola é um país muito rico em recursos minerais e o seu subsolo abriga muitos dos minerais mais importantes para o comércio mundial como o petróleo, diamantes, gás natural, substâncias betuminosas, ferro, cobre e ouro.

Girafa angolana (Nome científico – Giraffa camelopardalis angolensis) – Rara, sem corno nasal. Ameaçada de extinção, vive no sul da linha do Equador, em Angola, Namibia, Botsuana, e Zambia. Pelagem: manchas largas e grandes, sub-quadrangulares com seus contornos bem marcados, algumas com vincos envolta de seus contornos, mancham espaçadas que se estendem às pernas.

Crocodilo a devorar um cão pintura inspirada em gravura, em baixo reproduzida, da obra de Ivens e Capelo «De Angola à Contra-Costa», e do lado direito estão representadas gazelas a pastar.

Fauna da África, no seu sentido mais amplo, refere-se todos os animais que vivem no continente Africano e dos seus mares e ilhas ao redor. A fauna mais característica africana é encontrado na ecorregião Afrotropical - anteriormente chamado etíope (da África Sub-Sahariana) Situada quase completamente nos trópicos, e também ao norte e ao sul do equador, cria condições favoráveis para uma rica vida selvagem. A palanca-negra, pala-pala ou palave (Hippotragus niger) é uma espécie de palanca nativa da África Oriental e Austral. Possui uma pelagem entre castanha e negra, com exceção do focinho e da barriga, que são brancos. São reconhecidas quatro subespécies: Hippotragus niger niger Hippotragus niger kirkii - classificada como vulnerável, Zâmbia Ocidental e centro de Angola Hippotragus niger roosevelti - Quénia, Tanzânia e possivelmente Moçambique Hippotragus niger variani, palanca-negra-gigante de Angola, criticamente ameaçada. Fauna é o termo coletivo para a vida animal de uma determinada região ou de um período de tempo. O termo correspondente para plantas é flora. Flora, fauna e outras formas de vida como os fungos são coletivamente chamados de Biota. Zoólogos e paleontólogos geralmente usam o termo fauna para se referir a uma coleção de animais tipicamente encontrados em um período específico ou lugar específico, por exemplo a "Fauna do Deserto de Sonora" ou "a fauna de Burgess Shale". Paleontólogos se referem a uma sequência de cerca de 80 estágios de fauna, que são séries de rochas contendo fósseis similares. O nome vem da Romana Fauna, deusa da terra e da fertilidade. Fauna é também o nome dado aos livros que catalogam animais. O termo foi usado pela primeira vez por Lineu como título de sua obra de 1746 Fauna Sueci Fauna da África, em seu sentido mais amplo, é de todos os animais que vivem no continente africano e seus mares adjacentes e ilhas. A fauna africana mais caracterizada é encontrada na ecorregião da região afro-tropical - anteriormente chamado etíope (a África subsariana). Mentir quase inteiramente dentro do trópicos, e igualmente para o norte e sul do equador cria condições favoráveis para a rica vida selvagem. Considerando que os primeiros vestígios de vida no registro fóssil da África data para os primeiros tempos, a formação de fauna africana, como a conhecemos hoje, começou com a divisão do supercontinente de Gondwana, em meados da era Mesozoica. Durante o início Terciário, a África era coberta por uma vasta floresta sempre verde. No Plioceno o clima tornou-se seco e maior parte da floresta foi destruída, os animais da floresta se refugiam nas ilhas de florestas remanescentes. Biodiversidade de África A África, onde os seres humanos se originaram, mostra evidências talvez porque a coevolução de animais de grande porte juntamente com os primeiros seres humanos desde o tempo suficiente para que eles desenvolvam defesas eficazes. A sua situação nos trópicos poupou também a partir da Era Glacial e o clima não mudou muito. Há grandes lacunas de conhecimento humano sobre invertebrados africanos. África Oriental tem uma fauna de ricos corais com cerca de 400 espécies conhecidas. Mais de 400 espécies de equinodermos e 500 espécies de Ectoproctos vivem lá também, bem como um especies de Cubozoa (Carybdea alata) De nematoides, o Onchocerca volvulus, Necator americanus, Wuchereria bancrofti e Dracunculus medinensis são parasitas humanos. Algumas importantes de plantas parasitas nematodes de colheitas os poucos Onychophora Peripatus, Peripatopsis e Opisthopatus vivem na África. Cerca de 100 mil espécies de insetos foram descritas a partir de sub-saariana, mas há muito poucas visões da fauna como um todo (estima-se que os insetos africanos fazem cerca de 10-20% das riquezas de espécies de insetos globais, e cerca de 15% das descrições de novas espécies vêm de trópicos africanos). A única ordem de insetos endêmica africano é Mantophasmatodea. Cerca de 875 espécies africanas de libélulas foram registrados. A África é o continente mais rico de peixes de água doce, com cerca de 3000 espécies. Os lugares mais ricos em espécies de camaleões é Madagascar. As cobras encontradas na África são a Pythonidae (Pitão), Typhlopidae (Typhlops) e Leptotyphlopidae (Leptotyphlops, Rhinoleptus). Lá vivem (temporariamente ou permanentemente) mais de 2600 aves de espécies em África (cerca de 1500 deles são passeriformes). Alguns deles são 114 espécies ameaçadas de extinção.






Conclusão Depois grande pesquisa feita, incluímos que fauna Angola é muito diversificado pelo variada de animal que a maior descarte vai para palanca negra gigante esta que se encontra na província de Malanje.












Bibliografia 1. Ir para cima ↑ Fasulo, p. 52 2. Ir para cima ↑ Coulon, p. ix 3. Ir para cima ↑ «The Nobel Peace Prize 1988». Prêmio Nobel. Consultado em 15 de novembro de 2015. 4. Ir para cima ↑ «Current peacekeeping operations» (em inglês). Organização das Nações Unidas. Consultado em 21 de julho de 2016. 5. ↑ Ir para: a b «United Nations Peacekeeping Operations». Nações Unidas. 30 de setembro de 2013. Consultado em 9 de novembro de 2013. 6. Ir para cima ↑ «The UN's Role in Nation Building: From the Congo to Iraq» (PDF). RAND Corporation. Consultado em 30 de dezembro de 2008. 7. Ir para cima ↑ «The Human Security Report 2005». Human Security Centre. Consultado em 19 de novembro de 2015. 8. Ir para cima ↑ Kennedy, p. 56 9. Ir para cima ↑ Ball, Howard (2011). Genocide: A Reference Handbook ABC Clio [S.l.] p. 46. ISBN 978-1-59884-488-7. 10. Ir para cima ↑ Kennedy, p. 187 11. Ir para cima ↑ Kennedy, pp. 102–05 12. Ir para cima ↑ Meisler, pp. 294–311 13. Ir para cima ↑ Lynch, Colum (16 de dezembro de 2004). «U.N. Sexual Abuse Alleged in Congo». The Washington Post. Consultado em 19 de novembro de 2015. 14. Ir para cima ↑ «UN troops face child abuse claims». BBC News. 30 de novembro de 2006. Consultado em 19 de novembro de 2015. 15. Ir para cima ↑ «Aid workers in Liberia accused of sex abuse». The New York Times. 8 de maio 2006. Consultado em 19 de novembro de 2015. 16. Ir para cima ↑ Holt, Kate (4 de janeiro de 2007). «UN staff accused of raping