Utilizador:DOgando/Rascunho princípios

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Princípios da recepção e da expedição[editar | editar código-fonte]

Princípios da recepção

Os seguintes princípios servem como guia da actividade de recepção por forma a dar-lhe uma maior dinâmica. Estes pretendem simplificar o fluxo de material através da recepção e garantir que através do mínimo trabalho os requisitos são satisfeitos. Os princípios da recepção são (Tompkins et al., 1996, p. 397-400):

  1. Não receber - Para alguns materiais, a melhor recepção acontece quando a mercadoria não chega a ser recebida.Fazer com que o vendedor faça o envio directo dos materiais para o cliente, poupa tempo e trabalho laboral associados à recepção. Um exemplo disso são encomendas grandes e volumosas que ocupem muito espaço no armazém.
  2. Pré-receber - Quando se está na doca de recepção, a actividade que ocupa mais tempo e mais espaço dá-se aquando do recebimento, pois existe a necessidade de manter o material para identificação do produto, designação do local de armazenagem, entre outros. Em alguns casos a informação sobre os materiais que estão a chegar pode ser enviada directamente do vendedor na altura da expedição, pode estar guardada num smart card que vem com a encomenda ou então através de mecanismos de rádio frequência colocados ao longo do percurso.
  3. Cross-docking - O objectivo da recepção é preparar o material mais rapidamente para ser expedido. A maneira mais rápida e produtiva é o cross-docking, pois a expedição é feita a partir da doca de recepção. Material paletizado com um SKU por palete, caixas soltas empilhadas no chão e mercadoria reservada por clientes são excelentes candidatos ao cross-docking.
  4. Arrumar directamente para locais de maior movimento ou de reserva - Quando o material não pode ser cross-docked pode-se poupar alguma movimentação de material, eliminando a paragem para recepção e pondo o material directamente em locais de picking ou de reserva.
  5. Ordenar em locais de armazenamento - Se o material tiver de ser ordenado para armazenamento pode-se proporcionar locais de armazenamento para receber o material, minimizando assim o espaço necessário para a ordenação.
  6. Desfazer e movimentar as cargas eficientemente - O maior tempo disponível para preparar um produto para ser expedido acontece durante a recepção, pois assim que a encomenda do produto seja recebida não resta muito mais tempo para essa preparação. O processamento dos materiais deve ser sempre feito com antecedência possível, estas actividades incluem:
    1. Pré-embalar nas quantidades mais vendidas;
    2. Marcar e colocar etiquetas;
    3. Medir o volume e pesar para planeamento de armazenagem e transporte.
  7. Separar os materiais recebidos para serem armazenados eficientemente - Tal como o picking por zona e em sequência são estratégias eficazes para melhorar a produtividade do picking, os materiais recebidos podem ser separados de maneira a serem retirados do armazém, ou por zona, ou por sequenciação.
  8. Combinar arrumações com retiradas do armazém sempre que possível - Ao combinar estas duas actividades, estamos a reduzir o número de viagens que os veículos industriais fazem vazios. Esta técnica é especialmente usada para paletes.
  9. Nivelar a utilização de recursos na recepção - Esta nivelação pode acontecer, recebendo a horas diferentes e fazendo as conferências de material em períodos de menor movimento. Comunicando com os fornecedores as empresas melhoraram o acesso a informações sobre o momento em que são enviados os materiais. Podem assim usar esses dados para coordenar o momento de recepção e para informar os seus próprios clientes sobre a expedição.
  10. Minimizar ou eliminar os percursos a pé, fazendo mover os materiais e não as pessoas - Uma estratégia eficaz para aumentar a produtividade do picking, especialmente quando tem de ser efectuada uma grande variedade de tarefas nos materiais (embalar, contar e etiquetar), é colocar os stocks no local do picking. A mesma estratégia deve ser aplicada na recepção, por ser uma actividade que também envolve movimentação de cargas.


Princípios da expedição

Muitos dos princípios que se aplicam na recepção também podem ser aplicados na expedição, mas no sentido contrário. Os seguintes princípios servem como guia da actividade de expedição por forma a dar-lhe uma maior dinâmica. Estes pretendem simplificar o fluxo de material para a expedição e garantir que através do mínimo trabalho os requisitos são satisfeitos. Os princípios da expedição são (Tompkins et al., 1996, p. 400-402):

  1. Seleccionar unidades de movimentação eficientes em termos de custo e espaço:
    1. Para caixas soltas - paletes de madeira, de metal (têm como características a durabilidade e capacidade de carga), de plástico ( têm como características a durabilidade, limpeza e a cor) e paletes que encaixam umas nas outras (têm como características a poupança de espaço, mas não são duráveis nem suportam objectos pesados).
    2. Para artigos avulso - tabuleiros empilháveis ou rebatíveis e caixas de cartão. Os factores de selecção da opção mais apropriada incluem o impacto ambiental, custo inicial, ciclo de vida, limpeza e o nível de protecção do produto.
  2. Minimizar os estragos no produto
    1. Agrupar e acondicionar artigos avulsos em caixas ou tabuleiros. Para além de existir um carga unitária para mover os materiais, o artigo deve ser acondicionado dentro da unidade de carga. Para os artigos soltos em caixas ou tabuleiros isso pode ser feito com esferovite, plásticos com bolhas, jornal e almofadas de ar.
    2. Agrupar e acondicionar as caixas soltas em paletes. O processo mais popular é embrulhar as caixas na palete com tela plástica, mas também podem ser usadas cintas de várias qualidades.
    3. Agrupar e acondicionar as paletes soltas nos camiões. O método mais comum são placas de espuma e madeira.
  3. Eliminar a preparação da expedição e carregar directamente os camiões. Tal como acontece na recepção a actividade da expedição que usa mais mão-de-obra e espaço é a preparação. Para facilitar a carga directa das paletes nos camiões podem usar-se empilhadoras (manuais ou com mastro) para retirar as paletes do armazém e carregar os veículos evitando a preparação.
  4. Usar prateleiras para minimizar as necessidades de área necessárias para a preparação da expedição. Se for necessário preparar a carga, as necessidades de área podem ser minimizadas fazendo a preparação em prateleiras.
  5. Dar instruções aos condutores sobre os percursos dentro das instalações com o mínimo de burocracia e de tempo. Para melhorar a gestão da expedição e dos condutores dos camiões, podem ser fornecidos smart cards aos condutores e pontos de acesso on-line ao estado da encomenda e disponibilidade de acesso aos cais.