Retórica e argumentação/Os 5 Cânones da Retórica/Memória

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O cânone da memória mira em três pontos:

  • Técnicas de memorização de discursos.
  • A memorização de toda sorte de informação que possa ser utilizada em um debate não ensaiado.
  • Elaboração de um discurso que fique gravado na memória da audiência.

Vejamos cada um destes pontos.


Técnicas mnemônicas[editar | editar código-fonte]

Uma das técnicas mnemônicas mais populares entre os oradores da antiguidade era a técnica loci (do Latim, "locais"). Pense em um local com o qual você seja familiarizado - sua casa, por exemplo - e atribua a cada parte do discurso uma parte ou cômodo do local escolhido. No momento de proferir o discurso, imagine a si próprio caminhando por este local.

Em uma variação desta técnica, o local escolhido é o próprio local no qual o discuso será proferido. Assim, basta bater o olho na parte do local atrelada à parte do discurso para lembrar-se desta.

Memorização de informação[editar | editar código-fonte]

Rekopis chopin.jpg Esta página é somente um esboço.
Ampliando-a você ajudará a melhorar o Wikilivros.

Elaboração de discursos memoráveis[editar | editar código-fonte]

Para um discurso ser memorável, seu conteúdo deve ser relevante à audiência e sua forma deve ser elegante a ponto de merecer ser citada e reproduzida.

Não há muito o que possamos falar aqui sobre o conteúdo. Para a forma, dê uma boa estudada nas figuras de estilo. Segue abaixo alguns outros truques que valem a pena serem mencionados.

  • Descrições vívidas: Utilize uma linguagem que estimule a imaginação da audiência. Substantivos são meros rótulos atrelados as coisas; utilize adjetivos para dar mais vida a um discurso (repare que muita gente, ao contar um filme, esquece o nome das personagens e as designa por adjetivos). Verbos são mais vívidos do que substantivos, mas podem ficar ainda mais vívidos se acompanhados por advérbios.
  • Brincadeiras fonéticas com a linguagem: Rimas, aliterações e outras formas de assonância são ótimos recursos mnemônicos. Exemplos:
    • "Vozes veladas, veludosas vozes,/Volúpias dos violões, vozes veladas,/Vagam nos velhos vórtices velozes/Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas." (João da Cruz e Sousa, Violões que Choram)
    • Muitos autores de ficção nomeiam suas personagens de forma que seus nomes não sejam esquecidos: Clark Kent, Lois Lane, Lex Luthor, Wonder Woman, Mickey Mouse, Donald Duck, Peter Parker, Bruce Banner etc.