REA - Educação a Distância e Ambientes de Aprendizagem/Personagens em Contos de Fadas

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< REA - Educação a Distância e Ambientes de Aprendizagem
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Personagens em contos de Fadas[editar | editar código-fonte]

Sobre a imagem...[editar | editar código-fonte]

O livro representa os personagens que, até então, não estavam incluídos na literatura infantil tradicional, mais precisamente, nos Contos de Fadas. De que forma incluir novos personagens mais reais, mais parecidos com os nossos alunos no nosso cotidiano? Hoje em dia existem livros infantis que abordam outras etnias, novas relações de gênero, classes sociais diversas, mas e os contos de fada? Nem toda criança vai se interessar apenas por contos de fadas, mas sabemos, que na mídia, são estes os mais conhecidos, mais difundidos. Como mostrar para as crianças que ser uma princesa boazinha de cabelos e olhos claros que quer encontrar seu príncipe não é a única forma de ser aceita? Que um príncipe em um cavalo branco, com roupas maravilhosas e que saiba usar uma espada e dê um beijo em uma princesa adormecida não será o único a ter o seu final feliz? Não acredito que acabar com os contos de fadas já existentes seja o caminho, mas incluir novos personagens, novas visões de mundo. Fazer com que toda e qualquer criança possa se identificar com alguma personagem, com alguma história. O varal e a parede são de uma sala de aula de uma escola estadual da cidade de Porto Alegre. Local onde, muitas vezes, os famosos contos de fadas em sua versão original são lidos e relidos por professores e alunos, sem exercitar a criticidade, sem questionar a fisionomia e a história dos personagens. As escolas estaduais nem sempre estão na periferia da cidade, locais onde a prefeitura, anos mais tarde, acabou construindo suas escolas.

Como trabalhar....[editar | editar código-fonte]

a. conteúdos:[editar | editar código-fonte]

-Diferenças étnicas, culturais e de gênero; -Produção textual cooperativa; -Produções artísticas.

b.objetivo:[editar | editar código-fonte]

-Proporcionar aos alunos a vivencia de novas possibilidades temáticas na literatura infantil para que reconheçam o outro e a si mesmo como protagonistas.

c. procedimentos:[editar | editar código-fonte]

-Realizar conversa com turma de 3º ou 4º ano sobre os contos de fadas tradicionais e seus personagens, questionando sobre a etnia, fisionomia, comportamento e e relações de gênero. -A partir da conversa propor novos personagens, novos locais e novos finais; -Construir em grupos novas histórias que possam acolher todas as diferenças citadas pelos próprios alunos; -Realizar oficinas para ilustração das histórias; -Documentar a produção do livro; -Passar histórias e ilustrações para o computador para que outras crianças, adultos, professores e escolas possam ter acesso e possam incluir suas histórias e produções.

d. avaliação:[editar | editar código-fonte]

De que forma as conversas, produções e oficinas atingiram os alunos? A relação das crianças com a história permaneceu a mesma? Até que ponto eles aceitam ou não a modificação em suas histórias preferidas?

SUGESTÕES PEDAGÓGICAS em 4 Rs[editar | editar código-fonte]

Como reutilizar este mesmo material em outras turmas, escolas, cidades e até mesmo países? Em primeiro lugar é necessário que concorde com o ponto de vista aqui colocado. Mais uma vez deixo claro que não sou contra ás histórias já existentes, pelo contrário, tenho um carinho especial por elas que cultivo desde a infância. Porém, acredito que novas possibilidades devam ser abordadas para que nosso alunos tenham a possibilidade de conhecer novos mundos, novas etnias e se sintam incluídos nestas possibilidades.

Após concordar com a proposta do trabalho, precisamos lembrar dos 4 Rs:

Revisar e remixar:[editar | editar código-fonte]

Qual foco darei a este trabalho? Será que na minha turma ler contos de fadas sobre inclusão é o mais necessário no momento? Que personagens faltam para englobar meus alunos? Será que a minha turma já tem idade para escrever uma história? Quem sabe um texto coletivo escrito pelo professor com sugestões dos alunos? Turmas de educação infantil podem criar suas histórias a partir de desenhos.

Redistribuir e reutilizar:[editar | editar código-fonte]

Depois de adaptar para a sua realidade, pense em como vai reutilizar e como vai redistribuí-lo para seus alunos. Em uma aula? Como uma atividade para ser feita individualmente? Quem sabe abrir espaço para pesquisas sobre personagens de outras culturas e etnias? De onde eu venho? Qual a cultura dos meus antepassados? São muitas possibilidades, pois a temática da diferença dentro dos contos de fadas pode ser trabalhada de diferentes pontos de vista. Dependendo da turma, do contexto social e histórico e das características da turma.