REA - Educação a Distância e Ambientes de Aprendizagem/Infâncias na Cidade

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agenda Cultural Infantil

Planejamento APP

Objetivos especificos para a criação do Aplicativo:

 Que professores, pais e demais pessoas possam sugerir opções de lazer e entretenimento aos educandos/filhos.

- Devido a minha dificuldade em localizar eventos de acordo com a faixa etária de minha filha, penso que isso facilitaria a vida para que pudéssemos valorizar todas as formas de cultura na nossa cidade. Penso que hoje devemos diversificar o dia a dia de nossas crianças e ajudar na difusão das amostras culturais existentes aqui em Porto Alegre

- Que o professor tenha condições de verificar se os recursos e a metodologia de ensino utilizada com esses alunos são apropriados, adequados e eficazes. 

Conteúdos:

 Este conteúdo será disponibilizado para professores e demais pessoas que procuram acrescentar conhecimento a nossas crianças de uma forma rápida e diversificada, com opções de roteiros culturais gratuitos e/ou pagos existente na nossa cidade

  • Através de lincks
  • Palestras
  • Jornais
  • Museus
  • Saral
  • Salas de Cinema
  • Cursos
  • Exposições
  • bibliotecas
  • Teatros

Procedimentos a serem seguidos para que cada conteúdo/aba escolhido seja utilizado da melhor forma que conseguires.

 Usarei endereços de lincks sobre o assunto, assim como avisos sobre palestras, cursos, exposições culturais, opções e dicas de filmes.

Possíveis formas de avaliar seu aplicativo já no primeiro uso com os alunos.

O meu aplicativo será direcionado aos professores, familiares e demais pessoas que queiram participar de atividades diferenciadas  e minha avaliação será na interação aos acessos e possíveis retornos.

Infâncias na Cidade[editar | editar código-fonte]

"As brincadeiras tradicionais trazem em sua bagagem cultural suas técnicas e regras, que são transmitidas e expressadas pela oralidade e por gestos. Conforme Friedmanm (1992), seus criadores são anônimos e essas brincadeiras estão sempre em transformação incorporando novos elementos."(SILVA, Eduardo Rodriguês da. Vamos Brincar de Preservar? As Brincadeiras Infantis como Patrimônio Imaterial.

O objetivo deste trabalho é resgatar as brincadeiras de rua como patrimônio cultural.Trago algumas das brincadeiras de meu bairro e proponho quem tiver outras do seu meio social que compartilhem.

Brincadeiras do meu Bairro:[editar | editar código-fonte]

Dois Contra Dois[editar | editar código-fonte]

Faz-se duas goleiras com chinelos, tijolos, pedras ou o que for, medindo 3 passos de distância. Divide-se a turma em dois times, sem nenhum goleiro.Todos jogam e ganha o time que fizer o maior número de gols na goleira adversária.

Três Dentro e Três Fora[editar | editar código-fonte]

Um goleiro fica no gol para defender as bolas da dupla que vai jogar, os dois jogadores contra o goleiro. Neste jogo ganha quem fizer três gols e perde quem jogar três bolas para fora da goleira, se isso acontecer o jogador vira goleiro.

Fugueirão[editar | editar código-fonte]

Escolhe-se o portão de um vizinho. Um Goleiro e dois jogadores. Ganha quem fizer dois gols primeiro.

Pé na bola[editar | editar código-fonte]

Escolhe-se dois jogadores, um chuta a bola para longe dos demais e o outro vai atrás da bola, enquanto todos se escondem. Quando ele volta com a bola, a deixa no meio da rua e sai a procura dos jogadores que estão escondidos. Quando encontra, coloca o pé na bola e diz um, dois, três e pé na bola. Se ele se distrair um dos escondidos pode chutar a bola novamente e diz um, dois, três, pé na bola, salva tudo. Termina o jogo quando se acha todos os jogadores.

Siga ao mestre[editar | editar código-fonte]

Todos de bicicleta, um vai à frente e cria um caminho cheio de obstáculo ou inventa manobras. Os que estão atrás tem que fazer o mesmo caminho, se não conseguir ele vira o mestre, criando um novo caminho ou novas manobras. Exemplo de Manobras: Empinar, Surfar e soltar as mãos.Surfar:Tirar os dois pés do pedal, coloca-se um pé no ferro do meio da bicicleta e outro no banco, com as mãos no guidão.

Policia e ladrão[editar | editar código-fonte]

É divido a turma no discordar, quem ganha é a polícia e quem perde é o ladrão. A polícia tem que pegar os ladrões, quando terminar de pegar todos os ladrões, inverte-se os papéis, a polícia vira ladrão e o ladrão vira polícia. As armas são confeccionadas de folhas de ofício.

(imagem não disponível)

Esta imagem representa as brincadeiras de rua realizadas no bairro Porto Verde na Cidade de Alvorada - RS. Enquanto a cidade de Alvorada possui 48 anos de emancipação, o bairro Porto Verde tem apenas 14 anos de existência. Um bairro planejado para a classe média da cidade. Na entrega dos terrenos todas as ruas foram entregues asfaltadas, com encanamento de esgoto e portões padronizados para todas as casas. Além de existir um plano diretor específico para o bairro, exigindo que as construções sigam determinadas regras e padronização, como telhas de barro e casas de alvenaria, também é proibido comércio entre as residências. As ruas do bairro são organizadas em ordem alfabética e todas têm nomes de pássaros. Águias, Anhumas, Araras, Beija Flor, Biguás, Caturritas, Corujas... E assim vai. È um bairro super tranquilo, as crianças podem brincar livremente pelas ruas. Elas são planas e asfaltadas o que facilita a brincadeira da criançada. Em dias de sol e férias de verão tem tanta criança brincando que parece uma praça. Falando em praça, o que impede que as crianças brinquem na praça é a localização delas. Existem 3 praças no bairro, mas foram projetadas em locais longe das residências, na parte mais afastada do bairro, dessa forma, para que as crianças possam ir lá brincar é necessário o acompanhamento dos adultos. Os pais sentem-se seguros em deixar os filhos brincar na rua, sempre tem um ou outro dando uma supervisão na criançada. Quando se ouve um barulho de um carro vindo mais acelerado logo saem os moradores a chamar a atenção, o que educa os novos vizinhos a andar devagar pelas ruas já que as crianças estão ali a brincar. Outro fator que leva as crianças a brincarem nas ruas desse bairro são os tamanhos dos terrenos, por ser um bairro planejado, os custos do metro quadrado é superior aos demais terrenos da cidade, para ganharem mais dinheiro com a venda dos terrenos, a metragem foi bem reduzida, o que faz que as crianças quase não tenham quintal para brincar. Essa imagem retrata um pouco esse bairro e as brincadeiras de rua que acontecem nesse lugar quase que chamativo a brincar na rua.

O vídeo é um recorte das brincadeiras de rua do filme Menino Maluquinho, baseado na obra de Ziraldo, que mostra a infância dos anos 90. Vale a pena assistir para inspirar-se, e recordar da sua infância ou dos seus filhos.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Pretendo através dessa imagem, instigar os alunos e os professores sobre as brincadeiras de rua. Antigamente por não ter tantos brinquedos industrializados e a organização familiar da época, em que as mães ficavam em casa, oportunizava aos filhos as brincadeiras na rua, e essas aconteciam em todo lugar. Hoje em dia pelo aumento excessivo do consumo e pelas práticas sociais em que a maioria das crianças ficam na escola e não mais em casa, as brincadeiras de rua têm se tornado quase que extinta na maioria das cidades. Com o intuito de dar valor a tradição, como nos adverte Arendt, 2005:“A tradição serve para guiar nossas atitudes no presente, buscando coisas belas e interessantes do passado para ser resgatado no presente.” (ARENDT, Hanah. 2005,pg.231) e também, seguindo o que diz o Mec: "Toda educação tem valores. Para ter raízes na cultura, é preciso que a educação inclua os valores da comunidade a qual está inserida."(BRASIL. Ministério da Educação. Portal do MEC.Brinquedos e Brincadeiras de Creche. 2012.Pg.53)

Dessa forma, para resgatar os valores da comunidade a qual eu me insiro trago algumas brincadeiras realizadas na rua do meu bairro por meninos e meninas de 4 a 10 anos. Essas brincadeiras foram catalogadas através de uma observação e questionamentos as crianças que me explicaram como funcionava cada brincadeira, abaixo descritas:

Investigação das Brincadeiras de Rua no Porto Verde - Alvorada- RS[editar | editar código-fonte]

Dois Contra Dois

Faz-se duas goleiras com chinelos, tijolos, pedras ou o que for, medindo 3 passos de distância. Divide-se a turma em dois times, sem nenhum goleiro. Todos jogam e ganha o time que fizer o maior número de gols na goleira adversária.

Três Dentro e Três Fora

Um goleiro fica no gol para defender as bolas da dupla que vai jogar, os dois jogadores contra o goleiro. Neste jogo ganha quem fizer três gols e perde quem jogar três bolas para fora da goleira, se isso acontecer o jogador vira goleiro.

Fugueirão

Escolhe-se o portão de um vizinho. Um Goleiro e dois jogadores. Ganha quem fizer dois gols primeiro.

Pé na bola

Escolhe-se dois jogadores, um chuta a bola para longe dos demais e o outro vai atrás da bola, enquanto todos se escondem. Quando ele volta com a bola, a deixa no meio da rua e sai a procura dos jogadores que estão escondidos. Quando encontra, coloca o pé na bola e diz um, dois, três e pé na bola. Se ele se distrair um dos escondidos pode chutar a bola novamente e diz um, dois, três, pé na bola, salva tudo. Termina o jogo quando se acha todos os jogadores.

Siga ao mestre

Todos de bicicleta, um vai à frente e cria um caminho cheio de obstáculo ou inventa manobras. Os que estão atrás tem que fazer o mesmo caminho, se não conseguir ele vira o mestre, criando um novo caminho ou novas manobras. Exemplo de Manobras: Empinar, Surfar e soltar as mãos.Surfar:Tirar os dois pés do pedal, coloca-se um pé no ferro do meio da bicicleta e outro no banco, com as mãos no guidão.

Policia e ladrão

È divida a turma no discordar, quem ganha é a polícia e quem perde é o ladrão. A polícia tem que pegar os ladrões, quando terminar de pegar todos os ladrões inverte-se os papéis, a polícia vira ladrão e o ladrão vira polícia. As armas são confeccionadas de folhas de ofício.

Apostar corrida de Bicicleta

Dois integrantes ficam em cada ponta da quadra. Um fica no meio de todos que vão participar da corrida de bicicletas para dar a largada, conta até três, quando ele diz já, todos saem pedalando o mais rápido possível. Quem apertar a mão do integrante que está na outra ponta da quadra primeiro é o vencedor.

Queimada

Divide-se a turma em dois, duas pessoas ficam nas pontas e demais no meio. O objetivo é acertar o maior número de pessoas com uma bola de tênis. A pessoa que é atingida fica atrás da que a acertou. Ganha quem tiver mais pessoas no final do jogo.

Chute a gol

Duas filas. Uma fila para quem quer ser goleiro e outra para quem quer chutar.

O chutador chuta a bola, se acertar no gol, troca o goleiro e o próximo da fila vira goleiro. Se não acertar, troca só o chutador.

Pular obstáculo

Coloca-se um tijolo e uma tábua no meio da rua. O objetivo é saltar mais longe.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Resgatar através desse REA, as diferentes brincadeiras de rua nas diferentes cidades do Brasil, valorizando a brincadeira como parte da nossa cultura.

"Cada criança é diferente da outra. Uma vive no centro, outra na periferia, em bairros nobres ou populares. Algumas vivem em famílias que falam outras línguas, têm hábitos alimentares e forma de brincar que são diferentes, porque trazem a cultura de outros países. Enfim, todas são crianças, mas diferentes na forma de falar, pensar, relacionar-se e até brincar." (BRASIL. Ministério da Educação. Portal do MEC.Brinquedos e Brincadeiras de Creche. 2012.Pg.37)


Procedimentos[editar | editar código-fonte]

Trouxe como base, as brincadeiras de rua das crianças do bairro onde moro na cidade de Alvorada - RS.

"Conforme a região do país, há diferentes formas de brincar e denominações diferentes para a brincadeira, como pipa, pandorga, quadrado, rodar pião, com diversas regras."

"As práticas sociais de expressão de brincadeiras incluem desde fazer bonecos de sabugo de milho a relógio de sol,pisar nas sombras dos outros, desenhar os pingos da chuva, esconder-se, pisar nas poças de chuva, ser perseguido pela mula- sem cabeça, pelo monstro ou pelo super-herói."(BRASIL. Ministério da Educação. Portal do MEC.Brinquedos e Brincadeiras de Creche. 2012.Pg.46).

Deixo o convite as minhas colegas professoras, aos alunos e toda comunidade que queira contribuir nesse resgate de cultura, que reeditem esse texto, trazendo as brincadeiras do seu estado, da sua cidade ou do seu bairro, contribuindo assim para o resgate dessa tradição tão enriquecedora que são as brincadeiras de rua.

Sugestões Pedagógicas em 4 RS[editar | editar código-fonte]

Deixo algumas sugestões para guiá-lo na escrita das suas brincadeiras.

1- Revisar[editar | editar código-fonte]

Quais as brincadeiras de rua do meu estado, cidade ou bairro? Como eram as brincadeiras de rua na época dos meus pais e como é ou foram as minhas brincadeiras? Será que todas as crianças brincam na rua? Se não brincam por que, o que as impede?

2- Remixar[editar | editar código-fonte]

Contribua escrevendo suas histórias, nas diferentes realidades vividas. Envie fotos ou vídeos das crianças brincando na rua por onde você passar. Revise o meu texto e retire dele alguma parte que você tenha achado interessante, reedite com os dados que queira mostrar a sua turma.

3- Redistribuir[editar | editar código-fonte]

Reutilize em uma aula sobre esse tema, ou sobre outro de sua preferência, podes mostrar as brincadeiras por classe social, por gênero, por raça. Podes trazer as tradições das brincadeiras na cultura afro ou indígena ou as brincadeiras para as crianças com necessidades especiais.

4- Reutilizar[editar | editar código-fonte]

E redistribua aos seus alunos e professores com o fim de ter novas contribuições de acordo com o tema que você se apoiou.