REA - Educação a Distância e Ambientes de Aprendizagem/Concepções de Infância

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Recycle001.svg Esta página precisa ser reciclada (discuta).
Ao melhorá-la, você estará ajudando o Wikilivros.

== O vídeo é pra pensar sobre o que é ter infância, o que é ser criança, mostra a realidade de muitas crianças no mundo. Retrata as várias concepções de infância! ==

POSSIBILIDADES COMUNICATIVAS:[editar | editar código-fonte]

O que quero comunicar: concepções de infância. A partir do vídeo que será mostrado aos alunos, meu objetivo é que os alunos possam debater a construção social do conceito de infância, o que é ter infância? O que é ser criança? Todas crianças estão nas escolas? O que é direito da Criança? O que nós sabemos sobre infâncias, crianças e suas culturas? Desde sempre a criança foi reconhecida como um ser de direitos? Como era a relação das famílias com as crianças antigamente? Eles poderão pesquisar em livros, internet, fazer uma produção textual, construir cartazes sobre estes questionamentos sobre infâncias. Podem usar imagens como eu utilizei no vídeo para contrastar essas realidades existentes de infância.

Atividade 1[editar | editar código-fonte]

https://picasaweb.google.com/nandabrumster/EAD#slideshow/6028331893003676434 (montagem feita a partir de fotos disponíveis no Google).

A infância é um período muito peculiar na vida do ser humano, é definida nos dicionários como a fase compreendida entre o nascimento e a puberdade, possui modos específicos de sentimentos, ações e comportamentos que devem ser compreendidos de maneira a se respeitar as diferentes culturas de determinado tempo e espaço, relacionando-se, ainda, com a troca de conhecimentos que se estabelecem entre crianças, adolescentes e adultos. Tendo em vista esse tempo e espaço em que o período da infância está compreendido, temos que considerar as relações culturais de cada sociedade que acabam por produzir diferentes transformações na construção da visão da criança e do adolescente, e consequentemente no modo de tratá-la.

A fase da criança deve ser trabalhada, analisada e contextualizada dentro da sociedade que está inserida. Ao consultarmos o dicionário a palavra criança está definida como ser humano no período da infância; menino ou menina. Pessoa que se entretém com coisas pueris ou não trata os negócios com seriedade. Sabemos que ao longo da história as crianças tiveram uma evolução tanto da concepção de infância quanto de seu desenvolvimento infantil ligado ao modo de se tratar a criança e o espaço que a mesma ocupa em âmbito familiar e social. Mas mesmo assim, ao nos depararmos com a realidade, encontramos vários tipos de infâncias, crianças trabalhando, crianças brincando nas ruas, crianças nas escolas, crianças que levam vida de adultos, crianças com a agenda cheia de atividades e deveres, crianças nas sinaleiras pedindo dinheiro, crianças morrendo de fome...

Muitos meninos e meninas desse Brasil não conseguem ter uma vida de criança, pois desde cedo precisam trabalhar. São crianças que têm sua infância roubada. Ainda pequenas, elas aprendem que é preciso se virar para continuar vivendo. Filhas de família pobres, elas têm que ajudar na renda da casa, prejudicando assim seu presente e seu futuro. Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), feita em 2003, constatou que existem no país aproximadamente 3,6 milhões de crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos de idade, que trabalham. Eles apresentam quase 20% de todas as pessoas economicamente ativas, ou seja, de todos os trabalhadores brasileiros. E muitos deles, ainda por cima, desenvolvem atividades definidas como perigosas, isto é, que podem colocá-lo em risco. Por isso os meus questionamentos: o que é ter infância? O que é ser criança? Todas crianças estão nas escolas? O que é direito da Criança? O que nós sabemos sobre infâncias, crianças e suas culturas? Desde sempre a criança foi reconhecida como um ser de direitos? Como era a relação das famílias com as crianças antigamente?

Atividade 2:[editar | editar código-fonte]

Aula pensada para um 4º ano.

Conteúdos:[editar | editar código-fonte]

Estatuto da criança e do adolescente. Concepções de infância.

Objetivos:[editar | editar código-fonte]

Fazer com que os alunos reconheçam seus direitos a partir do "ECA", conhecer a história da criança na sociedade, perceber quais mudanças ocorreram, e reconhecer as várias concepções de infância.

Procedimentos:[editar | editar código-fonte]

Como motivação prévia irei levar para os alunos, o vídeo feito no move maker, após eles assistirem, irei disponibilizar fotos de várias infâncias, crianças trabalhando, crianças estudando, crianças brincando...) e eles terão que separar o que eles acham que é dever da criança e o que eles acham que não é. No quadro terá dois cartazes para que eles colem as imagens separando-as por: o que uma criança deve fazer, e o que uma criança não deve fazer.

Logo após entregarei impresso para os alunos o "ECA" na versão tirinhas para crianças. http://www.conselhodacrianca.al.gov.br/sala-de-imprensa/publicacoes/ECA_ilustrado%20tirinhas.pdf

Iremos fazer uma roda de conversas para questionar: Criança não trabalha? Por que existe crianças que trabalham? Com que idade é permitido começar a trabalhar? Quais são os deveres das crianças? Quais órgãos que protege as crianças? Por que o trabalho infantil é proibido por lei?

Avaliação:[editar | editar código-fonte]

A avaliação será a partir da participação do aluno nas atividades propostas.

SUGESTÕES PEDAGÓGICAS[editar | editar código-fonte]

4 Rs[editar | editar código-fonte]

Revisar e remixar:[editar | editar código-fonte]

O que você acha desta temática? É importante trabalhar sobre os direitos das crianças em sala de aula? O filme do movie maker é adequado? Poderiam os alunos fazer um filme com as imagens disponíveis?

Redistribui-lo e reutilizado:[editar | editar código-fonte]

Como você trabalharia esta temática nos anos iniciais? Usaria o Estatuto da Criança e do Adolescente? Que atividades faria?