Protocolos colaborativos - HC-UFMG/Extubação

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Protocolos colaborativos - HC-UFMG
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

1- População alvo ou problema[editar | editar código-fonte]

Pacientes pediátricos em ventilação mecânica invasiva que são candidatos à extubação

Instruções de preenchimento
A definição de um tópico deve fazer sentido do ponto de vista clínico. Deve representar uma situação, um problema, uma circunstância, enfrentada pelos pacientes. Assim é possível buscar as evidências disponíveis que dizem respeito a possíveis cursos de ação para cada tópico.

Do ponto de vista didático, dividir o conhecimento em partes é um imperativo, tanto para quem ensina, como para quem aprende. Por exemplo, o conhecimento sobre a pancreatite aguda frequentemente está disposto em tópicos, que incluem diagnóstico e investigação etiológica, avaliação da gravidade e prognóstico, analgesia, hidratação e nutrição. Esses tópicos podem ser capítulos em uma diretriz (guideline), no Dynamed ou no UpToDate, citando os sumários mais conhecidos.

Deve representar um problema, uma situação real, quando decisões precisam ser tomadas. Muitos terão foco em um período de tempo com início e fim claros, para outros haverá sobreposição com outros tópicos.

Assim, a definição do tópico deixa claro que todas as perguntas PICO que serão respondidas terão, em comum, o mesmo P: dizem respeito ao mesmo problema ou aos mesmos pacientes.

2- Sumários[editar | editar código-fonte]

NOME DO SUMÁRIO INSTITUIÇÃO RESPONSÁVEL ANO MOTIVO DA INCLUSÃO
1 Extubation Management UpToDate 2016 Metodologia GRADE, atualização recente
2 Clinical Practice Guideline for the

Removal of the Endotracheal Tube

AARC 2007 Única diretriz encontrada em meta-buscadores
3 Dynamed Dynamed 2016 Atualização recente, buscas amplas
Instruções de preenchimento
Você deverá começar a estudar utilizando um sumário amplamente reconhecido, preferencialmente de grande credibilidade metodológica e bem atualizado. Como isso nem sempre é possível, de um modo geral, você irá comparar 3 sumários, de modo a aproveitar o melhor de cada um. Os motivos que o levaram a fazer as escolhas deverão ser citados.

Antes de definir os 3 sumários que serão suas referências principais, peça ajuda a colaboradores experientes, para evitar a exclusão de uma diretriz atualizada, respeitada, ou de grande importância local.

É fundamental conhecer e utilizar os instrumentos de busca federada para encontrar boas diretrizes. O ACCESSSS e o TripDatabase estão nessa categoria. Outra fonte importante é o National Guideline Clearinghouse. Veja o texto específico sobre busca, para mais dicas.

3- Conceitos-chave[editar | editar código-fonte]

Descrição/definição

Indicações, objetivos, preditores para a decisão de extubar – avaliação da prontidão para a extubação / Preparo paciente/equipe/material/família

Contraindicações

Intervenções para evitar comlicações - OVAS por laringoespasmo, edema laríngeo, reintubação, edema pulmonar, aspiração, IRA,

Procedimento

Avaliação da evolução e manejo pósextot

Instruções de preenchimento
Comece procurando as informações relacionadas ao conhecimento básico essencial. Aqui estão incluídos conceitos, definições, dados epidemiológicos relevantes, critérios diagnósticos, mecanismos fisiopatológicos e farmacológicos, premissas importantes, etc...

Esses conhecimentos básicos serão a introdução breve da sua apresentação ou do protocolo. Sem eles, será difícil contextualizar ou entender as perguntas PICO que serão formuladas e precisarão ser respondidas para a elaboração das recomendações do tópico.

É importante que não se inclua recomendações nos conceitos-chave. Aqui estão listados conceitos que não dependem de escolhas ou decisões clínicas.

4- Desfechos[editar | editar código-fonte]

Nome do desfecho Descrição do desfecho Importância
1 Morte CRÍTICA
2 Reintubação CRÍTICA
3 Tempo permanência CTI CRÍTICA
4 Infecção IMPORTANTE
5 Estridor laríngeo NÃO-IMPORTANTE
6
7
Instruções de preenchimento
Desfechos descrevem riscos inerentes a uma situação, principal preocupação dos pacientes, quando tem esse conhecimento. A importância de um ataque vascular cerebral, por exemplo, pode ser resumida nos desfechos mortalidade e dependência funcional (seja causada por um comprometimento da linguagem, da deglutição, da mobilidade ou do equilíbrio).

Para cada tópico, haverá desfechos esperados, riscos que queremos reduzir para os pacientes naquela situação. Tente identificar os desfechos “críticos” - aqueles de máxima importância para os pacientes. Reconheça também os desfechos “importantes”. Geralmente a mortalidade total e aspectos relacionados à qualidade de vida representam desfechos críticos ou de máxima importância. Já os desfechos importantes incluem menor duração de sintomas transitórios como tosse, náuseas e vômitos, dor, reinternações, etc. Somente quando desfechos clínicos importantes e críticos não tiverem sido avaliados é que você deverá incluir desfechos substitutos que geralmente serão classificados como não-importantes.

Algumas vezes, desfechos importantes não serão mencionados nos sumários, porque representam novidade, ou porque são incomuns. Talvez essa informação seja muito relevante para alguns pacientes. Tente reduzir o número de desfechos a um máximo de 5, escolhendo os mais importantes.

5- Intervenções[editar | editar código-fonte]

Cite e descreva as intervenções diagnósticas ou terapêuticas possíveis para esta população que possam melhorar os desfechos listados no item 4.

Intervenções diagnósticas[editar | editar código-fonte]

Intervenção Descrição
1 Avaliação clínica subjetiva
2 Teste do balonete Desinsuflar balonete do tubo endotraqueal e avaliar presença de escape aéreo
3

Intervenções terapeuticas[editar | editar código-fonte]

Intervenção Descrição
1 Corticóide sistêmico Uso de corticoide parenteral para prevenção de reintubação por estridor laríngeo
2 Ventilação não invasiva
3 Oxigenioterapia de alto fluxo